Videocast: Porque as nações podem perder muito dinheiro em grandes projetos

    Caro Henrique, O meu grupo de pesquisa produziu recentemente um terceiro vídeo dinâmico e breve em português, que salienta os sérios riscos de uma rápida expansão das estradas, focalizando amplamente as questões ambientais, econômicas e sociais. Aqui está o link para o novo vídeo: 1. Por que como nações podem perder muito dinheiro em grandes projetos https://www.youtube.com/watch?v=gFBJA-PX4sM   Aqui estão os links para nossos dois vídeos anteriores:   2. Porque razão como estradas são tão perigosas https://www.youtube.com/watch?v=_ySvW07t6js   3. Porque as

Cresce movimento global contra a exploração não convencional de petróleo e gás por fraturamento hidráulico (fracking)

  Países, estados, províncias e municípios mundo afora têm se mobilizado para banir a prática, que contamina águas rasas e subterrâneas, impacta a produção e a saúde da população, além de intensificar as mudanças climáticas     O movimento contra o fracking, técnica para exploração não convencional de petróleo e gás, principalmente de xisto, tem ganhado força em diversas regiões do planeta. Recentemente, mais um país da União Europeia baniu definitivamente o método. Em

Extremo oeste de São Paulo na mira da indústria do fraturamento hidráulico (fracking)

    Uma das áreas com menor desempenho econômico do Estado de São Paulo, região de Presidente Prudente se mobiliza para barrar investida da indústria do gás de xisto A Região Administrativa de Presidente Prudente, no extremo oeste de São Paulo, é uma das regiões mais pobres do estado. Abrangendo 53 municípios, ela é considerada uma das últimas fronteiras do desenvolvimento paulista, com presença constante nos noticiários que tratam de conflitos por terras.

Especialistas apontam riscos gerados pela degradação dos biomas

  Entre os problemas estão falta de água, expulsão de comunidades locais e consequente inchaço de periferias Lúcio Bernardo Junior/Câmara dos Deputados A falta de água nas cidades foi um dos pontos mais mencionados no debate como consequência da destruição dos biomas, principalmente do Cerrado. A representante da Coordenação da Campanha em Defesa do Cerrado, Isolete Wichinieski, lembrou que o Cerrado é considerado o “berço das águas” e que diversas cidades brasileiras sofrem

Governo prepara estímulo à mineração sem salvaguarda ambiental, alerta WWF-Brasil

    Por Jaime Gesisky, WWF-Brasil Atrair investimentos é a palavra de ordem no governo como resposta a uma das maiores recessões da história do Brasil. Para isso, o governo prepara um pacote para beneficiar o setor de mineração. A expectativa é aumentar em 50% a participação mineral no PIB brasileiro e reverter a paralisia em que o setor se encontra nos últimos anos. Essa paralisia, segundo diagnóstico oficial, decorre da insegurança jurídica criada

Intervenções no Rio Doce são insuficientes para conter processo erosivo provocado pelo desastre da Samarco

  Trator retira solo de área próxima ao Rio Doce para cobrir rejeitos lançados após o rompimento da barragem de Fundão Foto: Ibama O Ibama divulgou na quarta-feira (03/05) a versão final do terceiro relatório da Operação Áugias, que realiza um diagnóstico das áreas atingidas pelo desastre provocado pelo rompimento da barragem de Fundão, em Mariana (MG), e acompanha as atividades desenvolvidas pela Fundação Renova, criada pela mineradora Samarco e suas controladoras, Vale

Suape: Belo Monte esquecida, artigo de Heitor Scalambrini Costa

    [EcoDebate] Um amigo sulista, ao conhecer mais detalhes das violações socioambientais ocorridas no território do Complexo Industrial Portuário de Suape (CIPS), cunhou a frase utilizada como titulo deste artigo. Sem dúvida a comparação entre as duas realidades destas megaobras tem tudo a ver. Refletem a crueldade, perversidade, destruição, truculência, barbaridade, improbidade, desumanidade , indignidade, crime; cometido contra as populações nativas/tradicionais e contra a natureza. O que deve ser ressaltado é o

Ibama multa CearáPortos por lançamento de carvão mineral na Praia do Pecém

  Praia do Pecém é atingida por acidente ambiental envolvendo carga de carvão mineral Foto: Ibama Brasília (19/04/2017) – A empresa CearáPortos, que administra o Porto do Pecém, localizado em São Gonçalo do Amarante (CE), foi multada em R$ 13,8 milhões pelo Ibama em razão de acidente ambiental que resultou no lançamento de carvão mineral na praia do Pecém. A fiscalização resultou em três autos de infração.  A maior penalidade, referente ao lançamento de resíduos

Vale será multada por novo vazamento de rejeitos em Minas Gerais

  ABr   A mineradora Vale receberá multa da Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável de Minas Gerais (Semad) devido a um vazamento de rejeitos que contaminou rios e córregos da região central do estado. O problema ocorreu no último domingo (12), na conexão de um duto em Ouro Preto, em área próxima do município de Itabirito. O valor da multa ainda será calculado. A Vale também deverá apresentar, na próxima semana, um

Ibama multa usina sucroalcooleira em R$ 22,5 milhões por danos ambientais em MS

    O Ibama aplicou multa de R$ 22,5 milhões à usina Rio Paraná, localizada em Eldorado (MS), pela poluição e destruição da biodiversidade nas margens e no leito do córrego Dinarte, na Terra Indígena (TI) Cerrito. O dano é resultado do rompimento de uma represa com aproximadamente 80 metros de extensão que faz parte do empreendimento. Técnicos da Fundação Nacional do Índio (Funai) encaminharam denúncia ao Ministério Público Federal (MPF) após vistoria

RJ: Moradores de Santa Cruz cobram reparações após venda da TKCSA

Por Gabriel Strautman Foi anunciada na noite desta terça-feira, 21, a venda da ThyssenKrupp Companhia Siderúrgica do Atlântico (TKCSA) para a empresa Ternium. O preço de compra foi de 1,5 bilhão de euros (R$ 4,9 bilhões) e incorpora na cifra a dívida de 300 milhões de euros que a TK tem com o BNDES. A siderúrgica opera em Santa Cruz desde 2009 e só recebeu a licença de operação definitiva no

Impactos da produção de carne, artigo de Roberto Naime

    [EcoDebate] Até há bem pouco tempo atrás, as discussões ambientais restringiam-se a proteger ursos panda, evitar desperdício de água e reciclar latinhas de cerveja. A crise ambiental mais complexa, é resultante da repetição ao longo de décadas, de hábitos de consumo coletivos e individuais predatórios, mas abençoados pela lógica de mercado e por uma cultura de sobre-consumismo permanente. Entre os hábitos está o consumo indiscriminado de carne de qualquer origem. A atual

Top