Portal EcoDebate: Índice da edição nº 1.933, de 04/10/2013

    Projeções para a população mundial 2000-2300: o futuro está aberto, artigo de José Eustáquio Diniz Alves Rio Feliz, por Roberto Malvezzi (Gogó) e Nilton Freitas Biólogos da conservação trabalham muito duro? artigo de Valdir Lamim-Guedes Cajueiro: O esplendor das hortaliças, crônica de Mayron Régis BRASIL: Relatora da CIDH investiga casos de crianças e adolescentes em zona de conflito armado no país O Novo Relatório Climático do IPCC (do site realclimate.org,

Projeções para a população mundial 2000-2300: o futuro está aberto, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

    [EcoDebate] Pesquisadores do International Institute for Applied Systems Analysis (IIASA), na Áustria, realizaram projeções de longo prazo (2000 a 2300) da população mundial para os cenários do Intergovernmental Panel on Climate Change (IPCC). As projeções por idade e sexo levaram em consideração um amplo conjunto de hipóteses de fecundidade e três cenários de mortalidade com base em expectativa de vida máxima de 90, 100 e 110 anos. Em artigo publicado na

Rio Feliz, por Roberto Malvezzi (Gogó) e Nilton Freitas

  Bacia do Rio São Francisco   Rio Feliz Por Roberto Malvezzi (Gogó) / Nilton Freitas. Ei, São Francisco, Que contam as notícias das águas que trazes aí? Ei, Velho Chico, Dos meninos que brincam às margens morrendo de rir.   Pelas mágoas desse rio Seu futuro por um triz Pela voz de Frei Luís Vejo longe o futuro Dos rios do país Um futuro insano Um futuro incerto Quem sabe um deserto Um rio por um fio   Ei, São Francisco....   Pelas águas desse rio Pelo povo desse rio Peregrinos desse rio Vemos

Biólogos da conservação trabalham muito duro? artigo de Valdir Lamim-Guedes

    [EcoDebate] “Uma vida dedicada à conservação do meio ambiente”. Esta frase é bastante comum em obituários de pessoas que defenderam o meio ambiente, assim como de pesquisadores que trabalharam com biologia da conservação, ramo da ciência voltada para a conservação da biodiversidade que conta com contribuições da zoologia, botânica, ecologia, biologia molecular, patologia e outras áreas. Quando se diz “uma vida dedicada”, geralmente está-se referindo aos anos de atuação em

Cajueiro: O esplendor das hortaliças, crônica de Mayron Régis

  [Territórios Livres do Baixo Parnaíba] Lê-se Bar do Atola no alto. Acabavam de chegar ao povoado depois de alguns minutos na estrada que liga São Bernardo aos municípios de Santana, Araioses, Água Doce e Tutóia. O povoado de Cajueiro enxerga em seu território a família do seu Zé da Rocha. A área desse povoado chega a mais de 900 hectares e extrema com a propriedade do Junior Esperança, a propriedade do

BRASIL: Relatora da CIDH investiga casos de crianças e adolescentes em zona de conflito armado no país

  [Por Cristiano Morsolin, para o EcoDebate] Os Centros de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente do Estado de São Paulo tem o prazer de convidar as Organizações da Sociedade Civil de Defesa de Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes, de Atendimento à Criança e ao Adolescente, os Movimentos Sociais e os/as Lutadores/as pelos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes a participar do Encontro com a Senhora Rosa Maria

O Novo Relatório Climático do IPCC (do site realclimate.org, tradução: Alexandre Lacerda)

  [O que você faria se soubesse o que eu sei?] Nosso blog traz uma publicação especialíssima! É a tradução, por meu amigo Alexandre Lacerda, desta publicação sobre o novo relatório do IPCC, cuja fonte é o excelente site realclimate.org, que conta com contribuições de cientistas de verdade como Gavin Schmidt, Michael Mann (a quem tenho o prazer de conhecer pessoalmente e que foi condecorado com a comenda Hans Oescheger pela European

MG: Atlas identifica pontos críticos no Estado para prevenção e controle de inundações

  Estudo elaborado pela Semad identificou 1518 trechos inundáveis, sendo as principais bacias hidrográficas afetadas a do São Francisco, Doce e Grande   O Atlas se configura como uma ferramenta de planejamento a prevenção de inundações. Imagem: Reprodução   A Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) lançou o Atlas de vulnerabilidade a Inundações no Estado de Minas Gerais. O documento tem como objetivo apresentar, por meio de mapas, as áreas vulneráveis a inundações,

MPF realizará consulta pública sobre seca na Paraíba, na cidade de Sousa, no dia 10/10

    Evento será na cidade de Sousa, das 8h às 12h, no auditório da UFCG O Ministério Público Federal na Paraíba (MPF) realizará consulta pública, em 10 de outubro, na cidade de Sousa (PB), para estreitar relações com a sociedade e pautar quais as prioridades de sua atuação no tocante aos problemas da seca no estado. O evento "Seca, esse problema também é nosso. O MPF quer ouvir você" ocorrerá no auditório

Além da escassez, há um ‘nó’ na governança hídrica que poderá acirrar os conflitos no planeta

  Embora desde os séculos 17 e 18 existam experiências de utilização conjunta de bacias hidrográficas por diferentes países e regiões, foi a partir dos anos 1930 que algumas comunidades da França e da Espanha iniciaram pioneiramente a gestão de seus recursos hídricos segundo o modelo de bacias hidrográficas. Em 1964, o governo francês efetivamente dividiu as águas do país em seis grandes bacias. Mesmo no Brasil, há estudos integrados de bacias

Projeto da FAU/USP propõe aproveitar hidrovias que cercam 14 cidades da região metropolitana de São Paulo

        O projeto da FAU: ideia é aproveitar hidrovias que cercam 14 cidades da região metropolitana de São Paulo   A navegação fluvial – que está entre os sistemas de transporte mais baratos e limpos que existem – é pouco praticada quando comparada a outros meios de locomoção no Brasil. Pensando num futuro em que o transporte rodoviário estará cada vez mais sobrecarregado em metrópoles como São Paulo, o Grupo Metrópole Fluvial da Faculdade de

Nota Pública: Ataque aos Povos Indígenas, Criminalização de Ativistas Sociais e a Aliança do Bispo de Itaituba-Pa com o Capital

    A retomada do projeto desenvolvimentista pelo governo brasileiro, paradigma atualizado e agora caracterizado como liberal-desenvolvimentista, tem causado temor e grande preocupação entre os povos indígenas, ativistas, movimentos sociais, e moradores da floresta, dos rios e das cidades amazônicas. Dados do Comitê Nacional em Defesa dos Territórios Frente à Mineração apontam que, entre 2001 a 2011, a produção mineral cresceu 550% no país. Praticamente no mesmo período, entre 2002 e 2012, o

Top