Portal EcoDebate: Índice da edição nº 1.643, de 26/07/2012

  Visão holística, artigo de Roberto Naime A Água no Semiárido Brasileiro: potencialidades e limitações, artigo de João Suassuna Teologia da Libertação e Socialismo: ética e espírito a serviço da vida, artigo de Gilvander Luís Moreira Estudo avalia custos socioambientais da redução de áreas protegidas para a implantação de hidrelétricas na Amazônia Plano de Gestão de Resíduos Sólidos: prazo acaba no próximo dia 2 de agosto MMA traça o perfil de

Visão holística, artigo de Roberto Naime

  Figura 1: A poeira de Cantor em uma visão tridimensional (Fonte: Wikimedia) [EcoDebate] A palavra “fractal” começou a sintetizar uma forma de descrever, calcular e pensar as formas aparentemente irregulares, fragmentadas, recortadas e descontínuas. Uma curva fractal significa uma estrutura organizadora escondida atrás da complicação inerente a estas formas aparentemente irregulares. As estruturas maiores tendem a se reproduzir em estruturas menores, e todas elas estão organizadas, mesmo que muitas vezes não se

A Água no Semiárido Brasileiro: potencialidades e limitações, artigo de João Suassuna

  [EcoDebate] Apresentação O presente relato, sobre as potencialidades e limitações de acesso das águas do Nordeste seco, não tem a pretensão de ser conclusivo. Ao contrário, ele tem caráter evolutivo e dinâmico e, portanto, necessita de atualizações periódicas. Essas características são imperiosas, pois o torna importante mecanismo esclarecedor, junto à sociedade, sobre o uso mais coerente das águas interiores da região. Ele alerta, também, para a forma inadequada de como as

Teologia da Libertação e Socialismo: ética e espírito a serviço da vida, artigo de Gilvander Luís Moreira

  Teologia da Libertação e Socialismo: ética e espírito a serviço da vida. Gilvander Luís Moreira1 [EcoDebate] Antonio Julio de Menezes Neto, prof. Dr. da FAE2/UFMG me enviou os manuscritos do livro dele A Ética da Teologia da Libertação e o Espírito do Socialismo no MST (Ed. UFMG, Belo Horizonte, 2012).Junto veio um bilhete que dizia: “Gilvander, sabendo que tem muito de você no livro, convido-lhe para apresentar esse novo livro nosso.” Li

Estudo avalia custos socioambientais da redução de áreas protegidas para a implantação de hidrelétricas na Amazônia

  Foto: Imazon Redução de Áreas Protegidas para a Produção de Energia Araújo, E., Martins, H., Barreto, P., Vedoveto, M., Souza Jr., C., & Veríssimo, A. (2012). Redução de Áreas Protegidas para a Produção de Energia (p. 14). Belém: Imazon. Nos próximos oito anos, o governo brasileiro planeja investir R$ 96 bilhões para construir 22 hidrelétricas na região amazônica e a maioria desses empreendimentos está próxima ou dentro de áreas protegidas já estabelecidas. Um

Plano de Gestão de Resíduos Sólidos: prazo acaba no próximo dia 2 de agosto

  Prefeituras e governos estaduais que pretendem obter recursos federais precisam concluir seus respectivos planos de gestão. Veja as dúvidas mais comuns que chegaram ao MMA. Rafaela Ribeiro Encerra-se no próximo dia 2 de agosto, após carência de dois anos, o prazo para que estados e municípios concluam planos, estaduais ou municipais, de gestão de resíduos sólidos, caso pretendam pleitear recursos federais para investir no setor, como determina a Lei nº 12.305. "É

MMA traça o perfil de consumo dos brasileiros, com foco no comportamento feminino

  Já está disponível para consulta no portal do Ministério do Meio Ambiente (MMA) a íntegra da pesquisa qualitativa "O que o brasileiro pensa do meio ambiente e do consumo sustentável - Mulheres e tendências atuais e futuras de consumo no Brasil". Coordenado pela secretária de Articulação Institucional e Cidadania Ambiental do MMA, Samyra Crespo, o estudo foi realizado pela primeira vez em 1991 e este ano chega à sua quinta

Ibama reavalia uso de quatro tipos de agrotóxico e sua relação com o desaparecimento de abelhas no país

  Mesmo na ausência de levantamentos oficiais, alguns registros sobre a redução do número de abelhas em várias partes do país, em decorrência de quatro tipos de agrotóxico, levaram o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) a restringir o uso de importantes inseticidas na agropecuária brasileira, principalmente para as culturas de algodão, soja e trigo. Além de reduzir as formas de aplicação desses produtos, que não podem

Estudo relaciona trabalho escravo com pobreza e desmatamento no país

  O trabalho escravo ainda existe no Brasil, é produto da miséria e patrocinado por atividades produtivas que estão diretamente relacionadas ao crescimento do país. O diagnóstico, registrado 124 anos depois da Lei Áurea, é do Atlas do Trabalho Escravo no Brasil, produzido pelos geógrafos Eduardo Paulon Girardi, da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp), Hervé Théry, Neli Aparecida de Mello e Julio Hato, da Universidade de São Paulo

Portaria da AGU sobre terras indígenas será suspensa até setembro

  A polêmica Portaria 303, da Advocacia-Geral da União (AGU), publicada no último dia 17, que regulamenta a atuação dos advogados públicos e procuradores em processos judiciais envolvendo a demarcação e uso de terras indígenas em todo o país deve ser suspensa até o fim de setembro. A revisão da data de entrada em vigor das regras foi confirmada ontem (25) pelo advogado-geral da União, Luís Inácio Adams, e atende a uma

Funai e Justiça Federal acertam retirada de não índios da Terra Indígena Marãiwatsédé, em Mato Grosso

  Em breve, um grupo de pessoas que não pertencem à comunidade Xavante, inclusive grandes produtores rurais, terá de deixar a Terra Indígena Marãiwatsédé, no nordeste de Mato Grosso. Na última segunda-feira (23), a Fundação Nacional do Índio (Funai) atendeu às decisões judiciais e entregou à Justiça Federal no estado o plano de desocupação da reserva, que abrange 165.241 hectares (um hectare equivale a aproximadamente um campo de futebol oficial) dos

Regularização de terras de quilombolas em Alcântara ‘esquenta’ debate na Reunião da SBPC

  Moradores de comunidades quilombolas mantêm pressão pela regularização de terras na Base Espacial de Alcântara, onde desde 1980 está fixado o Centro de Lançamento de Alcântara (CLA), da Agência Espacial Brasileira (AEB). Há 30 anos, os quilombolas buscam recuperar uma extensão de área estimada em 78 mil hectares de terra usados para implementar o CLA, onde existem mais de 150 comunidades quilombolas. A afirmativa é do advogado Danilo da Conceição Serejo

Top