Portal EcoDebate: Índice da edição nº 1.942, de 17/10/2013

    A Direita fica à Esquerda, artigo de Efraim Rodrigues Mercado exige características distintas de produção de farinha de tapioca em duas regiões no estado do Pará, por Raimundo Nonato Brabo Alves e Moisés de Souza Modesto Júnior Justiça obriga Bamin a desocupar terreno de culto afro na Bahia Floresta em pé - quilombolas incrementam produção de açaí no Pará Efeito das novas regras Código de Mineração sobre o meio ambiente

A Direita fica à Esquerda, artigo de Efraim Rodrigues

    [EcoDebate] Desde que comecei a tentar entender o mundo que vejo dois, e somente dois tipos ideológicos. Tem os que acreditam no indivíduo construindo o todo, chamados de direita, conservadores, capitalistas, neoliberais etc. e os que acreditam que o grupo constrói o indivíduo, que são os de esquerda, socialistas entre tantos outros termos. Ao longo do tempo parece que a cisão tem aumentado e as pessoas nem mais se preocupam em

Mercado exige características distintas de produção de farinha de tapioca em duas regiões no estado do Pará, por Raimundo Nonato Brabo Alves e Moisés de Souza Modesto Júnior

Raimundo Nonato Brabo Alves1, Moisés de Souza Modesto Júnior2 [EcoDebate] O Estado do Pará lidera a produção de mandioca, com participação de 20,54%. Em segundo o Paraná com 16,52%, a Bahia com 9,41%, o Maranhão com 6,53% e São Paulo com 6,17%. Esses estados somam 59,17% do volume produzido pelo País, em 2012 (IBGE, 2012). No Pará, a mandioca é matéria prima de farinha de mesa, farinha de tapioca, goma (amido a

Justiça obriga Bamin a desocupar terreno de culto afro na Bahia

    [Por Zoraide Vilasboas , para o EcoDebate] Uma Ação de Reintegração de Posse contra a Bahia Mineração –Bamin, empresa que vai explorar o ferro no sudoeste da Bahia, foi vitoriosa na Justiça de Caetité (Ba), garantindo a defesa de um santuário de cultos afros, declarado patrimônio afrocultural brasileiro, pelo Ministério da Saúde, e de utilidade pública, pelo Estado da Bahia, desde 2006. Foi o Terreiro de Axé Ilé Cicongo Roxo

Floresta em pé – quilombolas incrementam produção de açaí no Pará

    Manejo da cultura garante segurança alimentar e renda A Amazônia é um mundo de águas. No Porto da Palha em Belém, um canto dele, o rio Guamá se impõe. O chão é tomado de folhas de bananeiras e cestos de açaí enfeitam o cenário. O local é um dos pontos de venda do produto mais consumido na capital do Pará. Conforme o dia avança mais barcos chegam carregados do fruto em

Efeito das novas regras Código de Mineração sobre o meio ambiente preocupa especialista

  Assessora do Inesc afirma que o projeto é frágil do ponto de vista dos compromissos do minerador com a população afetada e com a prevenção de riscos ambientais     Representantes dos movimentos sociais têm participado das discussões que analisam o novo Código da Mineração, PL 5807/13, que está sendo debatido na Câmara doa Deputados. O atual código, de 1967, assegura a responsabilidade do minerador pelos danos ambientais e sociais causados pela atividade

MPF/SC abre processo de seleção de projetos de preservação ambiental em Joinville

    Recursos para implantação foram depositados pela Companhia de Navegação Norsul como parte de um termo de ajustamento de conduta O Ministério Público Federal em Joinville (SC) lançou ontem edital para seleção de projetos na área de preservação ambiental, a serem custeados com os recursos depositados pela Companhia de Navegação Norsul, em função de termo de ajustamento de conduta assinado no início deste ano. Os interessados têm até o dia 31 de

Bancada ruralista rejeita e critica homenagem a Chico Mendes na Câmara

  A bancada ruralista se recusou a dar o nome de Chico Mendes ao plenário onde funciona a Comissão da Amazônia, na Câmara dos Deputados. Os representantes da Frente Parlamentar da Agropecuária, que fazem parte da comissão, criticam duramente a homenagem. Alegam que o nome do líder seringueiro é uma ‘infeliz escolha’ e que a história de Mendes ‘é uma farsa’.   A reportagem é publicada pelo jornal Brasil de Fato, 15-10-2013. Os principais

Saneamento básico no Brasil: ‘Um cenário alarmante’. Entrevista com Édison Carlos, Instituto Trata Brasil

  “O governo federal pretende universalizar o saneamento básico no Brasil em 20 anos (2014 a 2033) e para isso estima a necessidade de 302 bilhões de reais somente para obras de água e esgotos. Teríamos de investir em média 15 a 16 bilhões/ano, mas ainda não passamos dos 9 bilhões de reais por ano”, adverte o presidente executivo do Instituto Trata Brasil. Foto: http://bit.ly/GJJ1fG A situação do saneamento básico no Brasil é “alarmante”

ONU alerta para o desperdício de um terço dos alimentos produzidos em todo o mundo

    As Nações Unidas alertaram ontem (16), no Dia Mundial da Alimentação, para o desperdício alimentar, uma das principais razões para que 842 milhões de pessoas continuem privadas de quantidades suficientes de alimentos. No mesmo comunicado, a ONU destacou a importância de uma dieta equilibrada para combater o aumento da obesidade e garantir a saúde das populações. Para marcar a data, na sede da FAO, em Roma, será oferecido hoje um almoço

FAO: pessoas saudáveis dependem de sistemas de alimentação saudáveis

  No Dia Mundial da Alimentação, comemorado neste 16 de outubro, a agência destaca a importância de alimentos saudáveis para que a população tenha saúde; 842 milhões de pessoas no mundo estão desnutridas.   Foto: FAO   O Dia Mundial da Alimentação, comemorado nesta quarta-feira, 16 de outubro, tem a sustentabilidade como tema. A data também celebra o aniversário da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO, fundada em 1945. Para a FAO, pessoas

Situação análoga à escravidão atinge 29,8 milhões de pessoas no mundo

  Existem atualmente no mundo 29,8 milhões de pessoas em situação análoga à escravidão. A estimativa consta do relatório Índice de Escravidão Global 2013, da Fundação Walk Free.     A África e a Ásia, de acordo com o documento, são os continentes com a maior incidência e prevalência de pessoas nessa condição. Somadas, a Índia, China, o Paquistão, a Nigéria, Etiópia, Rússia, Tailândia, o Congo, Myanmar e Bangladesh têm 76% do total mundial,

Top