Índice da edição de 23/02/2009

A erosão costeira no Alasca dobrou em 50 anos EUA: Usina nuclear suspeita pelo aumento de casos de câncer Nova pesquisa reafirma a necessidade de reduzir a contaminação dos oceanos por nitrogênio e fósforo OIT questiona governo brasileiro por não consultar índios sobre obras em suas terras Desperdiçar menos bastaria para alimentar toda a população mundial Dorothy Stang. 'Nenhum dos condenados por serem mandantes de crime cumpre pena até hoje'. Entrevista especial com José Batista

A erosão costeira no Alasca dobrou em 50 anos

Erosão na costa do Alasca, em trechos antes cobertos pelo permafrost. Foto de Benjamin Jones, USGS [Por Henrique Cortez, do Ecodebate] Uma nova pesquisa, publicada na edição online da Geophysical Research Letters , relata que a taxa de erosão ao longo da costa nordeste do Alasca, duplicou nos últimos 52 anos. Essa deterioração da costa ártica certamente trará impactos significativos nos ecossistemas locais, nas comunidades que vivem no Ártico, e,

EUA: Usina nuclear suspeita pelo aumento de casos de câncer

Central Nuclear Fermi (Foto de mandj98, flickr.com) [Por Henrique Cortez, do EcoDebate] De acordo com o jornal online Michigan Messenger um relatório mostra um aumento 31% na taxa de câncer entre os jovens no condado de Monroe, Michigan (Monroe County) desde 1996 A taxa de câncer entre pessoas com menos de 25 anos no Condado de Monroe aumentou em mais de três vezes a taxa média do estado de Michigan entre 1996

Nova pesquisa reafirma a necessidade de reduzir a contaminação dos oceanos por nitrogênio e fósforo

[Por Henrique Cortez, do Ecodebate] Um grupo internacional de cientistas, em razão da pesquisa “Controlling Eutrophication: Nitrogen and Phosphorus”, reafirma a necessidade urgente de reduzir os volumes de nitrogênio e fósforo, tanto nos rios como nas regiões costeiras, na tentativa de reduzir a eutrofização - ou a poluição por excesso de nutrientes. Na edição de 20/2 da revista Science, os pesquisadores afirmam que a dupla redução destes compostos nutricionais pode

OIT questiona governo brasileiro por não consultar índios sobre obras em suas terras

Em 18 de fevereiro, a Comissão de Especialistas na Aplicação de Convênios e Recomendações da Organização Internacional do Trabalho (OIT) publicou suas observações sobre a aplicação da Convenção 169 da OIT no Brasil. A Comissão solicitou ao governo brasileiro esclarecimentos sobre a ausência de consulta aos povos indígenas e quilombolas em relação às leis e obras que os impactam. 10265

Desperdiçar menos bastaria para alimentar toda a população mundial

Diariamente, o planeta recebe 200.000 bocas para alimentar. Até 2050, a população mundial deverá atingir 9,2 bilhões de habitantes ante os atuais 6,7 bilhões. A resposta mais comum para enfrentar este desafio é dizer que será preciso aumentar a produção mundial de alimentos em 50% até lá. A reportagem é de Laurence Caramel, Le Monde, 19-02-2009. A tradução é do Cepat. 10263

Dorothy Stang. ‘Nenhum dos condenados por serem mandantes de crime cumpre pena até hoje’. Entrevista especial com José Batista Gonçalves Afonso

Em 40 anos, mais de 800 pessoas foram assassinadas no Estado do Pará por seu comprometimento com a luta pelos direitos humanos. De todos os criminosos envolvidos – geralmente fazendeiros –, somente sete mandantes foram levados a júri popular. E apenas seis foram condenados. O outro foi absolvido. Justamente o que mandou matar a Irmã Dorothy Stang. Nesta entrevista concedida por telefone à IHU On-Line, um dos advogados de acusação do

Pesquisadores independentes acusam empresas de sabotar estudos de transgênicos

Empresas de biotecnologia estão impedindo cientistas independentes de pesquisar a eficácia e o impacto ambiental de plantações geneticamente modificadas, afirma um relatório encaminhado ao governo americano por um grupo de 26 pesquisadores de universidades. "Nenhuma investigação independente pode ser conduzida de forma legal em muitas questões críticas", escreveram os cientistas na declaração apresentada à EPA (Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos), que está recolhendo opiniões para pautar uma série de

Neocolonialismo agrário, artigo de Ignacio Ramonet

[Le Monde diplomatique] Uma das grandes batalhas do século XXI vai ser a batalha da alimentação. Muitos países, importadores de alimentos, vêem-se afectados pelo aumento dos preços. Os Estados ricos foram suportando esse aumento até que, na Primavera de 2008, se assustaram com a atitude proteccionista de nações produtoras que limitaram as suas exportações. A partir de então, vários Estados com crescimento económico e demográfico, mas sem grandes recursos agrícolas

(marolinhas ou marolonas) Alguns lembretes na hora do tufão, artigo de Washington Novaes

[O Estado de S.Paulo] Com a crise financeira global, parece haver ficado para as calendas, aqui, o projeto de reforma tributária que tramita pelo Congresso. É pena. Adia-se mais uma vez a discussão sobre a famigerada "guerra fiscal", que vai levando para a cucuia as finanças de boa parte dos Estados brasileiros, que insistem na tese de que a concessão de incentivos fiscais é decisiva para a atração de empresas

Estudo estima que o mar subirá 1,80 m até 2100

A velocidade com que o nível do mar está subindo agora é quase o dobro daquela verificada no século 20. Já se sabia que o fenômeno -alimentado pelo aquecimento global- era grave, mas os dados mais recentes, coletados desde 1993, mostram que a elevação da linha d'água até 2100 será de 1,80 metro, mais do que o dobro da prevista pelo painel do clima da ONU. 10252

Notícias internacionais sobre saúde, 23/02/2009

Vitaminas: uma falsa esperança? O uso de vitaminas vale a pena? Nos últimos anos, vários estudos não conseguiram demonstrar que as vitaminas, de alguma forma, previnam doenças ou prolonguem a expectativa de vida. “Vitamin Pills: A False Hope?” no New York Times, de 17/02/2009. O aumento da malária pelo mundo é associado ao clima. O aumento das temperaturas aumenta a população dos vetores ao mesmo tempo em que a

Top