Setor transporte responde por 25% das emissões globais de gases de efeito estufa

  O setor de transporte contribui com um quarto das emissões globais de gases de efeito estufa e é a área em que as irradiações de carbono mais crescem desde 2000. A informação consta de relatório apresentado na terça-feira (11) na 24ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP 24), em Katowice, Polônia. ABr     De acordo com o relatório Situação global do Transporte e Mudança Climática Global (tradução livre), elaborado por mais de

Emissões globais de gases de efeito estufa aumentam em 2017, diz relatório da ONU

  As emissões de gases de efeito estufa aumentaram no ano passado, depois de três anos de estabilização, segundo relatório das Nações Unidas divulgado ontem (27) em Paris.   O estudo mostra que as emissões globais atingiram níveis históricos de 53,5 gigatoneladas de gás carbônico equivalente. Os cientistas alertam que, se persistir a tendência atual, até o fim do século, a temperatura global poderá subir pelo menos 3º Celsius (º C).     Diante do crescimento

Emissões de gases de efeito estufa do Brasil caem 2,3% em 2017

As emissões brasileiras de gases de efeito estufa caíram 2,3% em 2017 em comparação com o ano anterior Emissões de gases de efeito estufa do Brasil - Redução do desmatamento na Amazônia puxou queda, que foi parcialmente cancelada por aumento da destruição no Cerrado, indicam dados do SEEG, sistema do Observatório do Clima, em sua sexta edição As emissões brasileiras de gases de efeito estufa caíram 2,3% em 2017 em comparação com

Vários gases de efeito estufa são emitidos à medida que plásticos comuns se degradam no meio ambiente

  A produção em massa de plásticos começou há quase 70 anos e a taxa de produção deve dobrar nas próximas duas décadas. Ao servir muitas aplicações devido à sua durabilidade, estabilidade e baixo custo, os plásticos têm um impacto negativo no meio ambiente. O plástico é conhecido por liberar uma variedade de produtos químicos durante a degradação, alguns dos quais afetam negativamente organismos e ecossistemas. Manoa School of Ocean and Earth

Rios em aquecimento fazem uma contribuição marcante para os níveis globais de gases de efeito estufa

  O aquecimento de rios e córregos pode estar contribuindo desproporcionalmente para a quantidade de gases do efeito estufa que aquecem o planeta, de acordo com um novo estudo - Globally, rivers and streams are important sources of carbon dioxide and methane, with small rivers contributing disproportionately relative to their size   University of Birmingham* Muitos desses cursos de água com altos níveis de sedimentos finos e materiais orgânicos acumulados em seus leitos podem

Derretimento do permafrost aumenta emissão de gases de efeito estufa, acelerando o aquecimento global

  Um estudo internacional, liderado pela Universidade de Queensland, poderia levar a previsões mais precisas da taxa de aquecimento global, resultante das emissões de gases de efeito estufa produzidas pelo derretimento do permafrost nos próximos 100 anos. University of Queensland *   Foto: University of Queensland   O estudo dos microrganismos envolvidos na degradação do carbono do permafrost liga as comunidades microbianas e a biogeoquímica ao aumento das emissões de gases de efeito estufa. Ele foi liderado

Análise aponta que rebanho bovino responde por 17% das emissões de gases de efeito estufa no Brasil

  Gado é o principal emissor do setor de agropecuária, mas também tem o maior potencial de redução de poluição indica nova análise do SEEG. O rebanho bovino brasileiro emitiu 392 milhões de toneladas de gases de efeito estufa em 2016. Isso equivale a 17% de todas as emissões de gás carbônico do Brasil naquele ano, ou 79% de tudo o que foi emitido no setor de agropecuária. Se fosse um país,

Publicação científica internacional descreve metodologia do SEEG (Sistema de Estimativas de Emissões de Gases de Efeito Estufa)

      Metodologia do sistema de estimativas de emissões do OC foi publicada no periódico Scientific Data, do grupo Nature A metodologia usada por organizações integrantes do Observatório do Clima para produzir os dados anuais de emissões e remoções de gases-estufa do Brasil foi descrita num periódico científico internacional. É o primeiro artigo científico contendo o passo a passo completo do SEEG (Sistema de Estimativas de Emissões de Gases de Efeito Estufa). Ele

Emissões nacionais de gases de efeito estufa subiram 8,9% em 2016 em comparação com 2015

  Da Rede de Especialistas de Conservação da Natureza Dados do SEEG mostram que país lançou mais gases de efeito estufa no ar mesmo em meio a pior recessão de sua história; desmatamento puxou elevação, a maior em 13 anos As emissões nacionais de gases de efeito estufa subiram 8,9% em 2016 em comparação com o ano anterior. É o nível mais alto desde 2008 e a maior elevação vista desde 2004. O país

Pesquisa Coppe-UFRJ revela que emissões de gases de efeito estufa no estado do Rio cresceram 40% em dez anos

    ABr As emissões de gases de efeito estufa, ou gás carbônico (CO2) equivalente, no estado do Rio de Janeiro cresceram 40% entre 2005 e 2015, segundo pesquisa feita pelo Centro Clima do Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Coppe-UFRJ). O aumento foi superior ao do Produto Interno Bruto (PIB, soma das riquezas produzidas no estado) e ao crescimento da população

Especialistas defendem energias renováveis para diminuir impactos como a emissão de gases de efeito estufa

    ABr Em meio a danos ambientais cada vez mais aparentes no mundo, especialistas defendem o uso de energias renováveis para diminuir impactos como a emissão de gases de efeito estufa e o aquecimento global. Um dos meios para isso é a substituição do petróleo como elemento principal da matriz energética global por formas de maior eficiência, como solar e eólica. Segundo o diretor do Departamento de Desenvolvimento Energético do Ministério de

Trump revoga medidas de redução de emissões de gases de efeito estufa dos EUA

    O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, assinou ontem (28) o decreto-executivo da Independência Energética, que revê medidas do governo do ex-presidente Barack Obama que tinham como objetivo diminuir as emissões de gases de efeito estufa dos Estados Unidos para atender aos compromissos feitos no Acordo de Paris, de 2015. Segundo Trump, o decreto é necessário uma vez que a gestão Obama implementou regulamentações “caras que prejudicaram os empregos e

Top