Poluição por fósforo atinge níveis perigosos em todo o mundo, revela um novo estudo

  American Geophysical Union* A poluição por fósforo, produzida pelo homem, atinge níveis perigosamente elevados em bacias de água doce em todo o mundo, de acordo com novas pesquisas. Um novo estudo publicado na Water Resources Research, uma revista da American Geophysical Union, estimou a quantidade global de fósforo de atividades humanas que entraram nos corpos de água doce da Terra de 2002 a 2010.     O fósforo é um componente comum dos fertilizantes de

Deixar faltar água e esgotamento sanitário é violação de direitos humanos. Entrevista com Léo Heller

  Por Silvia Noronha, Casa Fluminense Quando nos deparamos com falta d’água, estamos falando de violação de direitos humanos, orienta Léo Heller, pesquisador da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e relator especial da Organização das Nações Unidas (ONU) para os direitos humanos à água e ao esgotamento sanitário. Com mandato outorgado pelo Conselho de Direitos Humanos da ONU, Heller faz voluntariamente dois relatórios temáticos por ano, além de dois anuais sobre a situação

O retorno de doenças vetoriais é sintoma de políticas públicas não integradas. Entrevista com Marcia Chame

  IHU O retorno de surtos de doenças vetoriais, como febre amarela e dengue, por exemplo, praticamente erradicadas no Brasil, após décadas de vacinação, corresponde a uma série de fatores, que não se restringem, simplesmente, à precariedade da vacinação. “A simplificação e homogeneização dos ambientes naturais, pela perda de espécies silvestres de animais e plantas, por diversos impactos, pressionam o deslocamento e a dispersão de vetores e hospedeiros para áreas rurais e urbanas”, pontua Marcia Chame, professora e

Índice da edição nº 2.912, 2018 [de 26/01/2018]

    Sexta extinção em massa e a insegurança alimentar global, artigo de José Eustáquio Diniz Alves Estudo revela que partículas de poluição emitidas pelas cidades intensificam as chuvas na Amazônia Especialistas investigam relação entre o surto de febre amarela e degradação ambiental Rio já tem 131 macacos mortos em todo o estado; 69% foram vítimas de ação humana Disque Denúncia do RJ faz campanha contra contra o ataque a macacos Iniciativa da Articulação das CPT's da

Sexta extinção em massa e a insegurança alimentar global, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

    [EcoDebate] A humanidade, de modo geral, é egoísta e não se preocupa muito com o destino das demais espécies vivas da Terra. Pior, o avanço do bem-estar humano tem ocorrido às custas do empobrecimento dos ecossistemas e da crescente perda de biodiversidade. Enquanto cresce a população humana, decresce as populações não humanas da fauna e da flora. Mas este processo é insustentável e pode levar a civilização ao colapso, pois

Estudo revela que partículas de poluição emitidas pelas cidades intensificam as chuvas na Amazônia

    Partículas ultrafinas de aerossol intensificam as chuvas na Amazônia Por Karina Toledo | Agência FAPESP Um estudo divulgado no dia 25 de janeiro na revista Science revelou como a presença atmosférica de partículas ultrafinas de aerossol – aquelas com diâmetro menor do que 50 nanômetros (ou bilionésimos de metro) – pode intensificar o processo de formação de nuvens e também as chuvas que caem sobre a região amazônica. De acordo com os autores do artigo,

Especialistas investigam relação entre o surto de febre amarela e degradação ambiental

    ABr Um grupo de especialistas de diferentes estados do Brasil está se articulando para investigar a relação entre o surto de febre amarela e a degradação do meio ambiente. Eles acreditam que se houvesse mais conhecimento sobre o assunto, a propagação repentina do vírus de tempos em tempos poderia ser prevenida. O surto de febre amarela em Minas Gerais já provocou 38 mortes confirmadas em 2017, segundo o boletim epidemiológico mais recente

Rio já tem 131 macacos mortos em todo o estado; 69% foram vítimas de ação humana

  ABr O estado do Rio de Janeiro já contabiliza 131 macacos mortos desde o início do ano. No entanto, a maioria das mortes não deve ter relação com o vírus da febre amarela. Do total, 69% registram sinais de ataques humanos, seja por meio de espancamento ou de envenenamento. É o que aponta a Subsecretaria de Vigilância, Fiscalização Sanitária e Controle de Zoonoses (Subvisa) da prefeitura do Rio de Janeiro, órgão

Disque Denúncia do RJ faz campanha contra contra o ataque a macacos

    ABr O Linha Verde, programa do Disque-Denúncia específico para delatar crimes ambientais, lançou uma campanha contra o ataque a macacos no Rio de Janeiro, depois da morte de 118 primatas apenas este ano. Os animais são hospedeiros da febre amarela silvestre, e apesar de não transmitirem a doença, estão sendo atacados pela população. Quem souber de algum episódio de morte ou agressão a macacos deve entrar em contato pelos telefones 2253-1177 (para

Iniciativa da Articulação das CPT’s da Amazônia, Atlas de Conflitos na Amazônia é disponibilizado para download

  Lançada em setembro de 2017, a publicação é uma iniciativa da Articulação das CPT’s da Amazônia – projeto da Comissão Pastoral da Terra (CPT) que reúne os nove regionais presentes na Amazônia Legal: Acre, Amapá, Amazonas, Tocantins, Pará, Rondônia, Roraima, Maranhão e Mato Grosso. O Atlas tem como objetivo visibilizar, principalmente através de mapas e gráficos, os conflitos no campo presentes nestes estados. O Atlas de Conflitos na Amazônia foi lançado

PA: Justiça Federal condena mineradora Vale por assoreamento de rio e impactos a famílias quilombolas

  Empresa também foi obrigada a manter compensação financeira a famílias quilombolas impactadas e a implementar projeto de geração de renda A Justiça Federal condenou a mineradora Vale a reparar os danos ambientais relativos ao assoreamento de rios e igarapés e ao enfraquecimento do solo de área impactada por operações da empresa no território quilombola de Jambuaçu, em Moju, no nordeste do Pará. A decisão, do juiz federal Arthur Pinheiro Chaves, que

Índice da edição nº 2.911, 2018 [de 25/01/2018]

    Perda de biodiversidade e funcionalidades dos ecossistemas, Parte 3/3 (Final), artigo de Roberto Naime 14º Intereclesial das CEBs: realidade e perguntas que incomodam, artigo de Gilvander Moreira Metas globais de temperatura serão perdidas dentro de décadas, a menos que as emissões de carbono revertidas RJ: Após morte de botos-cinza, dragagem no Porto de Sepetiba é suspensa por 15 dias Em 2018, 118 macacos morreram no estado do Rio de Janeiro; Em 52% dos casos,

Top