Portal EcoDebate: Índice da edição nº 1.374, de 04/07/2011

A continuada devastação da Amazônia e o modelo de desenvolvimento, por Henrique Cortez Sustentabilidade na Sociedade, artigo de Roberto Naime A pobreza da riqueza no rural gaúcho, artigo de Paulo Mendes Filho Escravos da comunicação, artigo de Carlos Alberto Pompeu de Toledo Soares Rio+20 terá cúpula paralela organizada por entidades da sociedade civil MPRJ denuncia Usiminas por apresentar relatório irregular de auditoria ambiental na TKCSA Requerimento do MP para reparar

A continuada devastação da Amazônia e o modelo de desenvolvimento, por Henrique Cortez

[EcoDebate] Dentre os movimentos sociais, os ambientalistas têm sido os críticos de primeira hora dos equívocos das políticas públicas, principalmente dos modelos econômico e de desenvolvimento, bem como de seus impactos sociais e ambientais. Por diversas vezes alertamos que o processo de devastação avança sem controle e que não observamos medidas estruturais que possam interromper este processo equivocado de desenvolvimento, socialmente injusto e ambientalmente irresponsável. Ninguém está propondo a insanidade de condenar

Sustentabilidade na Sociedade, artigo de Roberto Naime

[EcoDebate] A sustentabilidade nas empresas formais começa pelo ecodesign, eficientização energética, otimização do uso de recursos hídricos, tratamento de águas, esgotos ou efluentes, adequada gestão de resíduos sólidos (que inclui minimização, segregação, reutilização e reciclagem), monitoramento ambiental e programas de responsabilidade socioambientais. Pesquisas mostram que 85% das pessoas (Hilary Bromberg, www.bio2.com.br) são percebidas como dispostas a aderir ao consumo de produtos ou operações empresariais que identificam como sustentáveis. Isto vale pra

A pobreza da riqueza no rural gaúcho, artigo de Paulo Mendes Filho

“Não se deve olhar o progresso de uma economia verificando o aumento da riqueza dos que já são ricos, mas na diminuição da pobreza daqueles que são muito pobres”. Amartya Sen [EcoDebate] O debate sobre a erradicação da miséria nos remete a uma reflexão acerca do conceito de riqueza e pobreza. Ser rico no meio rural é sinônimo de plantar na terra o que dá dinheiro, o que tem preço bom no

Escravos da comunicação, artigo de Carlos Alberto Pompeu de Toledo Soares

[EcoDebate] Uma pesquisa realizada pelo IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) com 2770 brasileiros em todos os estados do país aponta que 78% deles têm como atividade cultural assistir televisão todos os dias. Esse fato em si é uma das causas de o brasileiro ainda não ter uma vida digna. O termo “cultura” tem origem latina e significa cultivar o solo, cuidar. É um conjunto de conhecimentos teóricos e práticos que

Rio+20 terá cúpula paralela organizada por entidades da sociedade civil

Organizações da sociedade e movimentos ambientalistas estão se articulando para tentar influenciar as decisões da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (UNCSD) Rio+20, que será realizada no Rio de Janeiro, em 2012. A ideia é reunir entidades para instalar a Cúpula dos Povos da Rio+20 por Justiça Social e Ambiental, que funcionará paralelamente à conferência. A cúpula também acompanhará os eventos preparatórios para a Rio+20. Cerca de 150 entidades de 27

MPRJ denuncia Usiminas por apresentar relatório irregular de auditoria ambiental na TKCSA

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) denunciou por crimes ambientais, segunda-feira (27/06), a Usiminas e quatro de seus prepostos, Bruno Menezes de Melo, Ricardo Salgado e Silva, Marta Russo Blazek e Monica Silveira e Consta Chang, por apresentarem relatório de auditoria ambiental parcialmente falso e enganoso, inclusive por omissão, ao Instituto Estadual do Ambiente (INEA), para instruir o processo de licenciamento da Thyssenkrupp Companhia Siderúrgica do

Requerimento do MP para reparar áreas de risco em Niterói é deferido pela Justiça

Com base em requerimento formulado em duas Ações Civis Públicas propostas pelo Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro, os Juízes da 7ª e 8ª Varas Cíveis da Comarca de Niterói deferiram liminares obrigando o Município de Niterói e a Empresa Municipal de Moradia, Urbanização e Saneamento (EMUSA) a tomar as medidas de urgência necessárias para garantir a segurança da população que reside em áreas de risco no Morro

O intenso conflito socioambiental do sul de SC causado pela atividade carbonífera, por Tadeu dos Santos

'DESABAFO' O INTENSO CONFLITO SOCIOAMBIENTAL DO SUL DE SANTA CATARINA, CAUSADO PELA ATIVIDADE CARBONÍFERA, PELO QUE SE PERCEBE NÃO MAIS INTERESSA AO RESTO DO PAÍS. A declaração infelizmente é cruel, mas verdadeira. Não fosse a pertinência da coordenação da ONG Sócios da Natureza (ONGSN), o assunto estaria totalmente fora de pauta em todas as esferas, que de uma forma ou de outra tem abordagem ambiental, mesmo com o inconveniente título de 14ª

‘O Código Florestal cria o caminho ‘legal’ para concluir a grilagem da terra’. Entrevista com Mauricio Torres

“Entendo que a pesquisa nas situações de conflito não pode se limitar ao modelo onde o pesquisador ocupa o papel de sujeito, como agente das ações de perguntar e registrar, e o grupo estudado se limita a ser objeto da pesquisa.” Assim Mauricio Torres assume sua posição sobre as pesquisas que desenvolve na Amazônia. Em entrevista à IHU On-Line realizada por e-mail, Torres falou sobre os estudos que produz acerca

‘O uso de agrotóxicos no Brasil é abusivo, exagerado e incontrolável’. Entrevista com José Juliano de Carvalho

“Os agrotóxicos são usados sem nenhum controle pela sociedade brasileira. Seu uso está sob os interesses do que se chama de agronegócio”. constata o professor José Juliano de Carvalho, na entrevista a seguir, concedida por telefone para a IHU On-Line. Professor da Faculdade de Economia e Administração da Universidade de São Paulo – USP, Carvalho tem percebido a destruição e a inviabilização da agricultura familiar não apenas pelo agrotóxico, mas pelo

‘Novo’ Código Florestal: Proprietários rurais dividem imóveis para driblar a obrigação de preservar

Reforma do Código Florestal desobriga propriedades de até 4 módulos fiscais de manter áreas de reserva - Possibilidade de imóveis de até 4 módulos fiscais não precisarem manter áreas de reserva legal, como prevê reforma do Código Florestal, gera corrida aos cartórios para fracionar propriedades e transferir parte delas a parentes 'de confiança' A possibilidade prevista na reforma do Código Florestal de desobrigar as propriedades de até 4 módulos fiscais (20

Top