Índice da edição de 14/10/2009

EUA: Zonas mortas oceânicas dobram a cada década, por Henrique Cortez Lula no São Francisco, artigo de Roberto Malvezzi (Gogó) Biolubrificantes: Protegendo o ambiente, artigo de Carol Salsa Reunião ministerial sobre posição brasileira na negociação do clima termina sem consenso Minc diz que Brasil estuda estabilizar emissões de gases de efeito estufa até 2020 Procuradoria Geral da República reitera inconstitucionalidade da Lei de Biossegurança Uma corrente de respeito ao meio ambiente Cassel afirma que novo índice de

EUA: Zonas mortas oceânicas dobram a cada década, por Henrique Cortez

Expansão das zonas mortas no estado do Oregon, EUA Milhares de caranguejos mortos em razão da hipoxia, nas zonas mortas do estado do Oregon, EUA [EcoDebate] Oceanos da Terra tem atualmente mais de 400 zonas mortas, áreas com pouco ou nenhum oxigênio, ocupando centenas ou milhares de quilômetros quadrados e praticamente desprovida de vida durante os meses de verão. E o pior, estas áreas estão dobrando de número e área a cada

Lula no São Francisco, artigo de Roberto Malvezzi (Gogó)

[EcoDebate] Esses dias uma caravana formada por Lula, Dilma e Geddel Vieira Lima estará percorrendo algumas áreas do São Francisco. São lugares especialmente selecionados para a visita do presidente. Ele já quis visitar a área várias vezes e, por falta do que ver, várias vezes sua viagem foi adiada. Levarão Lula para ver uma reconstituição das matas ciliares do Velho Chico. Algumas árvores plantadas em espaço de 100 km. Claro, na

Biolubrificantes: Protegendo o ambiente, artigo de Carol Salsa

[EcoDebate] O termo biolubrificante aplica-se a todos os lubrificantes que são rapidamente biodegradáveis e não tóxicos para os seres humanos e para o meio ambiente. Todas as máquinas que têm peças móveis, do motor do seu carro ao seu barbeador elétrico, exigem lubrificantes para funcionar de forma suave e duradoura. Hoje, a maioria dos lubrificantes é feita com o chamado óleo base, acrescido com aditivos para melhorar o desempenho em cada uso

Reunião ministerial sobre posição brasileira na negociação do clima termina sem consenso

O ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, fala à imprensa após reunião sobre posição brasileira na negociação do clima, no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) Foto: Antonio Cruz/ABr A menos de 60 dias da reunião da Organização das Nações Unidas sobre mudanças climáticas, marcada para dezembro em Copenhague (Dinamarca), o governo federal ainda não definiu que posições os negociadores brasileiros defenderão na negociação e que compromissos o Brasil vai

Minc diz que Brasil estuda estabilizar emissões de gases de efeito estufa até 2020

O Brasil pode chegar a 2020 com os mesmos índices de emissão de gases de efeito estufa medidos em 2005, de 2,2 bilhões de toneladas anuais, sem comprometer a meta de crescimento econômico de 4% ao ano. A conta é do ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, que apresentou ontem (13) ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva a proposta da pasta para a posição a ser defendida pelo Brasil

Procuradoria Geral da República reitera inconstitucionalidade da Lei de Biossegurança

Para vice-procuradora, lei viola o princípio da precaução e da democracia, entre outros. O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, enviou ao Supremo Tribunal Federal (STF) parecer na ação direta de inconstitucionalidade (ADI 3526) que questiona 24 dispositivos da Lei de Biossegurança (Lei nº 11.105). Essa lei estabelece normas de segurança e mecanismos de fiscalização de atividades que envolvam organismos geneticamente modificados (OGM). O parecer foi feito pela vice-procuradora-geral da República, Deborah

Uma corrente de respeito ao meio ambiente

Desde que foi fundado, há quase dois anos, o Movimento Água da Nossa Gente envia pontualmente toda semana uma mensagem para milhares de destinatários, onde tratamos de questões do meio ambiente, buscando mostrar as implicações dos graves problemas atuais na vida de todos nós. Sempre procuramos apresentar bastante informação para que, além de conhecer nossa concepção, o leitor receba também elementos informativos para a formação de sua própria opinião. 19845

Cassel afirma que novo índice de produtividade será absolutamente confortável para o agricultor

O ministro do Desenvolvimento Agrário, Guilherme Cassel, participa de audiência pública na Comissão de Agricultura e Reforma Agrária do Senado (13/10/2009) Foto: Wilson Dias/Abr O índice de produtividade a ser apresentado pelo governo para servir de parâmetro na classificação de propriedades rurais improdutivas no país será “absolutamente confortável” para o produtor rural brasileiro, a ponto de ser enxergado como um "índice de transição". O ministro do Desenvolvimento Agrário, Guilherme Cassel, fez

Consórcio não participa de audiência pública para debater indenizações a impactados pela Usina Hidrelétrica de Estreito

Ausência do consórcio responsável pela construção da Usina Hidrelétrica de Estreito foi considerada lamentável por impactados e pelas instituições presentes. Reunião em Brasília buscará estabelecer mecanismos de diálogo. Os procuradores da República no Tocantins, Álvaro Manzano, e no Município de Imperatriz (MA), Pedro Henrique Castelo Branco, coordenaram a audiência pública realizada na Câmara de Vereadores de Estreito (MA), na sexta-feira, dia 9 de outubro, e ouviram as demandas das comunidades locais

Comissão da Câmara dos Deputados aprova projeto que disciplina ocupação de terras na Amazônia Legal por estrangeiros

Amazônia Legal A Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados aprovou ontem (13), em caráter conclusivo, projeto de lei que regulamenta a ocupação de imóveis rurais na Amazônia Legal por estrangeiros. A proposta determina que, para ter a posse da terra, o estrangeiro terá que ter residência e domicilio há pelo menos dez anos na região. Pelo texto, que seguirá para apreciação do Senado se não houver recurso para votação

Governo cede áreas protegidas: Índios, posseiros e fazendeiros ficarão com partes de florestas e parques nacionais

O governo está disposto a abrir mão de uma área de 2.907.976 hectares em nove unidades de conservação espalhadas pelo Brasil. Essas terras, atualmente objeto de disputa, serão cedidas a posseiros, índios ou fazendeiros. Outra parte será afetada pela construção de hidrelétricas. Algumas já estão degradadas. Dessas nove unidades de conservação, sete ficarão menores e duas terão as perdas compensadas com ampliação da área em regiões limites, que ainda estão preservadas.

Top