Estudo aponta que principais órgãos ambientais do governo não cumprem na íntegra legislação de transparência de dados

Levantamento do Imaflora utilizou critérios do Ministério da Transparência e Controladoria-Geral da União para analisar abertura de dados de seis órgãos socioambientais  Por Israel Lippe São Paulo, 06 de agosto de 2019 - Três anos após a aprovação da Política de Dados Abertos do Poder Executivo Federal, criada para ampliar a transparência do governo, os principais órgãos federais da área socioambiental estão descumprindo a lei. Um dos orgãos, inclusive, sequer divulgou seu

O descalabro da gestão ambiental no Governo Bolsonaro

  O descalabro da gestão ambiental no Governo Bolsonaro. Entrevista especial com Aldem Bourscheit   Por: João Vitor Santos | IHU Ainda bem antes de 1500, quando o Brasil foi “descoberto”, degredados, náufragos e viajantes sempre achavam uma forma de tirar proveito de fauna e flora abundantes. Com o “descobrimento”, a expropriação foi oficialmente deflagrada. Passamos pela Colônia, a chamada República Velha e anos da “nova” República sem que a preservação do meio ambiente fosse de fato uma preocupação estatal. “Nossa história é repleta

Bolsonaro diz que busca parceria internacional para a exploração do território amazônico brasileiro

  Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil   Em resposta a questionamentos de países europeus sobre a gestão das riquezas naturais da Amazônia, o presidente Jair Bolsonaro disse no sábado (27), durante cerimônia de formatura de paraquedistas no Rio de Janeiro, que busca parcerias “no primeiro mundo” e, em especial com os Estados Unidos, para a exploração do território amazônico brasileiro. “O senhor presidente da França [Emmanuel Macron], a senhora Merkel [chanceler da Alemanha] queriam que

Teste para as instituições, artigo de Montserrat Martins

    [EcoDebate] Você não pode fazer o que acha certo, da sua cabeça, porque considera que é “justo”, não se pode fazer “justiça pelas próprias mãos”, ou o chamado “exercício arbitrário das próprias razões”. O que caracteriza a civilização são as regras para o convívio em sociedade, que para isso criou o Estado e suas instituições. Fazer o que dá vontade sempre é uma tentação, não fossem os limites legais. As pessoas

O Ocaso da Política Ambiental brasileira, artigo de Cristiana Losekann

IHU "Para compreender na conjuntura atual o que está em risco na política ambiental brasileira é preciso recuperar um pouco da trajetória dessa política ao longo da história do Brasil. Eu farei essa retomada chamando atenção para o ponto que eu penso que seja o cerne das atuais propostas de mudanças e que é também aquele que caracteriza de forma marcante a política ambiental brasileira", escreve Cristiana Losekann, cientista política. Eis o artigo. Na contramão do

Nota de repúdio do GT da Sociedade Civil para a Agenda 2030 ao Decreto nº 9.759/2019, que extingue e limita a criação de órgãos colegiados no governo federal

    O Grupo de Trabalho da Sociedade Civil para a Agenda 2030 (GT Agenda 2030) vem a público manifestar seu repúdio ao Decreto nº 9.759/2019, publicado no dia 11/04/2019 no Diário Oficial da União. Tal medida extingue e limita a criação de órgãos colegiados no governo federal, ao revogar o Decreto nº 8.243/2014, que instituiu a Política Nacional de Participação Social (PNPS) ambos conquistas importantes para o fortalecimento da democracia em países

Do negacionismo climático a mudanças de estruturas administrativas: ações do governo que põem em xeque a política ambiental

  Do negacionismo climático a mudanças de estruturas administrativas: ações do governo que põem em xeque a política ambiental. Entrevista especial com Adriana Ramos Por Patricia Fachin | Edição: João Vitor Santos IHU Os avanços no campo das políticas ambientais no Brasil, nos últimos anos, estão sendo desnutridos. É o que acredita Adriana Ramos, do Instituto Socioambiental - ISA. “Nos mais de 25 anos em que acompanho as políticas ambientais, é a primeira vez que vejo um ministro do

Bolsonaro diz que ‘pode sair fora’ do Acordo de Paris; Presidente eleito também critica Pacto Global de Migração

  O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) disse ontem (12) em pronunciamento pelas redes sociais que pretende propor, via Itamaraty, mudanças ao Acordo de Paris. "Se não mudar, sai fora. Porque temos de ficar? É um acordo possivelmente danoso para a nossa soberania", afirmou. "Muitos estão fora, não assinaram. Por que o Brasil tem de ficar, para ser politicamente correto?", questionou. Segundo ele, o Brasil pode não conseguir cumprir, até 2030, as exigências previstas no Acordo de Paris

Bolsonaro critica forma como europeus defendem meio ambiente e os indígenas

  O presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), criticou, no sábado (1º), a forma como europeus defendem o meio ambiente e os indígenas. Segundo ele, sua preocupação é garantir apoio à ciência e à proteção ambiental, assim como à integração dos povos indígenas à sociedade, oferecendo as mesmas oportunidades dadas aos demais cidadãos.     “Eu acredito na ciência e ponto final. Mas o que a Europa fez para manter as suas florestas e as

Bom para o Brasil, artigo de Montserrat Martins

  Bom para o Brasil é que cada governo faça o melhor que puder e melhore a vida dos mais de 200 milhões de brasileiros [EcoDebate] Bom para o Brasil é que cada governo faça o melhor que puder e melhore a vida dos mais de 200 milhões de brasileiros, entre os quais há 60 mil mortos ao ano vítimas da violência e pelo menos 11 milhões de favelados, dentre os cerca

Presidente Bolsonaro, não junte meio ambiente e agropecuária num único ministério, artigo de Braulio Ferreira de Souza Dias

  [EcoDebate] Agropecuária e meio ambiente são duas agendas prioritárias e estratégicas para o Brasil. O Brasil é reconhecido nacional e internacionalmente pela pujança de sua natureza e recursos naturais e pela excelência da sua agropecuária. Somos reconhecidos como campeões mundiais de conservação da natureza e da biodiversidade e da produção de alimentos. O mundo inteiro olha para o Brasil como solução para a segurança alimentar da crescente população mundial, para a

Michel Temer e a pior presidência da história da República, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

“Pensar mal é fácil, porque esta vida é embrejada. A gente vive, eu acho, é mesmo para se desiludir” Guimarães Rosa     [EcoDebate] Não é preciso ser monarquista para reconhecer que a República brasileira começou da pior forma possível. A mais importante mudança de regime político no Brasil não passou de uma quartelada militar contra um Imperador cansado, inoperante e chefe de uma Família Real sem liderança e capacidade de dirigir o

Top