Deputados do PV se mobilizam pelo fim de acordo nuclear entre Brasil e Alemanha

    O Partido Verde na Câmara dos Deputados se mobiliza pelo fim do Acordo Nuclear Brasil-Alemanha, assinado em 1975, durante o regime militar. O documento que prevê uso pacífico para a energia nuclear será renovado automaticamente, até o fim do ano, se nenhuma das partes se manifestar contrariamente à prorrogação (Decreto 76.695/75). No Brasil, não há perspectiva de o governo se posicionar contrariamente ao acordo por enquanto. Os integrantes do PV esperam

Parlamento alemão votará sobre fim de acordo nuclear com Brasil

  Partido Verde diz que pacto bilateral, em vigor desde 1975, não condiz com a atual política para o setor na Alemanha, que está banindo aos poucos energia atômica. Votação será no início de novembro.   O Acordo Nuclear Brasil-Alemanha, em vigor desde 1975, pode ser cancelado por Berlim em 2015. O Partido Verde entrou com uma moção no Bundestag (câmara baixa do Parlamento alemão) pedindo o fim da cooperação bilateral no setor.

Retirada da capa protetora de um dos reatores de Fukushima é adiada devido a risco de contaminação

    A Central Nuclear de Fukushima adiou por um ano a retirada da capa protetora de um dos reatores danificados devido ao risco de contaminação radioativa, o que poderá atrasar o processo de desmantelamento da central, informa hoje (16) a imprensa do Japão. Trata-se do reator número 1 da central, um dos que sofreu explosão de hidrogênio após o terremoto, seguido de tsunami, de 11 de março de 2011, e cujo edifício

Fukushima: municípios aceitam construção de depósitos temporários dos detritos da descontaminação

    Os municípios japoneses de Fukushima, Futaba e Okuma comunicaram ao governo que aceitam a construção de depósitos temporários para armazenagem dos detritos provenientes da descontaminação da central nuclear da região, atingida por um terremoto, seguido de tsunami, em março de 2011. "É um fardo pesado para a região, mas tomamos a decisão dolorosa de aceitar a construção desses locais de armazenamento", disse o governador de Fukushima, Yuhei Sato, aos ministros japoneses

Custo total do acidente nuclear de Fukushima chegará a ser o dobro do previsto

    O custo total do acidente nuclear de Fukushima chegará a 11,08 trilhões de ienes (aproximadamente R$ 241.976.292.143), quase o dobro do previsto pelo Executivo japonês em 2011, informou um estudo apresentado nesta terça-feira por duas universidades japonesas. Matéria da EFE, no UOL Notícias. De acordo com os autores do relatório, Kenichi Oshima e Masafumi Yokemoto, professores de Economia e de Política do Meio Ambiental nas universidades de Ritsumeikan e de Osaka,

Menores japoneses têm câncer de tireoide após acidente nuclear de Fukushima

radioativo

    Pelo menos 57 menores residentes na região da Central Nuclear de Fukushima, no Japão, desenvolveram câncer de tireoide desde que, em março de 2011, um terremoto, seguido de tsunâmi, desencadeou o pior desastre nuclear do país, mostram os últimos dados divulgados pelas autoridades de saúde. O número, que consta no relatório do Comitê de Investigação Sanitária da prefeitura de Fukushima, revela o aumento de sete casos em relação aos dados apresentados

Japão sinaliza retorno à energia nuclear

  egundo especialistas, usina de Sendai, no sul do país, é segura o suficiente para voltar a funcionar. Ambientalistas criticam avaliação, e governo quer antes ouvir a população.   Apesar de protestos da sociedade civil, a Autoridade de Regulação Nuclear (NRA) do Japão declarou que a usina de Sendai, no sul do país, está apta a funcionar novamente. Segundo um relatório divulgado nesta quarta-feira (16/07), com mais de 400 páginas, dois reatores

Japão lança campanha de racionamento no 1º verão sem energia nuclear

    O Japão lançou neste mês uma campanha de racionamento de energia elétrica diante do primeiro verão sem a participação das usinas nucleares na matriz energética do país. Pela primeira vez em quase meio século, nenhum dos 54 reatores nucleares do país está em funcionamento. O governo não impôs nenhuma meta de economia em termos quantitativos, mas tem pedido às pessoas que evitem o desperdício de energia "na medida do possível" nos meses

Aperta-se o cerco aos resíduos nucleares, artigo de Washington Novaes

    [O Estado de S.Paulo] E agora? A União foi condenada pela Justiça Federal (Estado, 14/5) a definir o orçamento para implantação imediata do depósito final de rejeitos radioativos das usinas de Angra dos Reis (RJ), onde, desde1982, eles estão sendo colocados em piscinas dentro das próprias geradoras. E intimou porque esses rejeitos "representam sérios riscos para a população". Alega a Eletronuclear que "tem controle total da gestão dos rejeitos", com

Esperança, a última que morre, por Chico Whitaker

  Para os que lutam por um Brasil livre de Usinas Nucleares, a primeira quinzena de maio foi pródiga em más notícias, mas também em informações impressionantes. - O Presidente Evo Morales anunciou orgulhosamente que enfim a Bolívia começará a usar a energia atômica. Graças ao apoio da indústria nuclear argentina, pouco preocupada com os problemas que essa tecnologia cria...1 “Para fins pacíficos”, diz evidentemente o Presidente. Só que a produção

Energia nuclear e os pré-candidatos presidenciais, artigo de Heitor Scalambrini Costa

    [EcoDebate] Ano de eleições presidenciais. Espera-se que os pré-candidatos se posicionem sobre os diferentes temas de interesse da população. E um dos mais importantes temas é sobre a questão energética. Até o momento, o quadro eleitoral apresenta sete pré-candidaturas. As três dos partidos que terão mais tempo na televisão e quatro dos “pequenos”. Estes em alguns casos fisiológicos, somente lançaram pré-candidaturas para negociar seus tempos de televisão, tendo também aqueles mais

Denúncia: Laboratório francês aponta contaminação ambiental em mina de urânio na Bahia

    O laboratório francês da Comissão de Pesquisa e Informação Independente sobre Radioatividade (CRIIRAD), especialista em detectar radioatividade no meio ambiente, com qualificação técnica certificada pelo Ministério da Saúde da França, identificou elevada taxa de radiação gama no ar e contaminação do solo por metais radiotóxicos no entorno da mineração de urânio das Indústrias Nucleares do Brasil (INB), que abastece as usinas atômicas de Angra dos Reis (RJ). A mina fica

Câmara rejeita exigência de depósito definitivo de rejeitos radioativos para construção de futuras usinas nucleares

    A Comissão de Minas e Energia da Câmara dos Deputados rejeitou na quarta-feira (7) o Projeto de Lei 4709/04, que proíbe a construção de novas usinas nucleares no Brasil até que o País disponha de um depósito definitivo de rejeitos radioativos. A proposta define como "novas usinas nucleoelétricas" aquelas projetadas depois das usinas de Angra 1, 2 e 3. Como tem caráter conclusivo e foi rejeitado pela única comissão que analisaria

Urânio em Movi(e)mento divulga relação oficial dos filmes de sua edição 2014

    Festival de cinema acontece de 14 a 25 de maio na Cinemateca do MAM A curadoria do Urânio em Movi(e)mento – International Uranium Film Festival divulga hoje a lista oficial dos filmes que serão exibidos em sua quarta edição. Ao todo, 63 filmes de 25 países, incluindo Japão, Alemanha, Estônia, Ucrânia, Rússia, EUA, Brasil, Argentina, entre outros, serão exibidos em dez dias de festival. O 4 ᵒ International Uranium Film Festival –

Três anos após a catástrofe nuclear de Fukushima, Japão decide manter energia nuclear

  Três anos após a catástrofe nuclear de Fukushima, governo aprova retomada da energia nuclear, anulando decisão do gabinete anterior de fechar todas as usinas até 2030. Segundo o texto do novo plano básico de energia, aprovado nesta sexta-feira (11/04) em Tóquio, o governo do Japão dará prosseguimento à "reativação das centrais nucleares" do país, que permanecem "paradas" em consequência do acidente nuclear provocado por um terremoto seguido de tsunami,

Ex-ministro alemão diz que Dilma bloqueou fim do acordo nuclear Brasil-Alemanha

  Cooperação iniciada na ditadura militar quase foi encerrada em 2004, por iniciativa dos então ministros dos Meio Ambiente Jürgen Trittin e Marina Silva. Dilma, na época chefe de Minas e Energia, teria barrado anulação. As usinas nucleares de Angra 1 e Angra 2, no Rio de Janeiro   O polêmico Acordo Nuclear Brasil-Alemanha, base para a construção das usinas nucleares em Angra dos Reis, estava perto de ser encerrado em 2004

Festival de cinema Urânio em Movi(e)mento divulga os primeiros filmes de sua edição 2014

    A Curadoria do festival de cinema Urânio em Movi(e)mento, que acontece entre 14 e 24 de maio, na Cinemateca do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, divulga hoje os 10 primeiros filmes de sua quarta edição. No dia 16 de abril, como forma de lembrar, 28 anos depois, a data do acidente nuclear mais grave já ocorrido numa usina - a de Chernobil (Ucrânia) -, e chamar a atenção

Pobres e sem qualificação são contratados para limpar Fukushima

    Em Fukushima, a medida se traduziu em empregos mais escassos e com salários mais baixos, o que afugentou os trabalhadores qualificados. Por isso, segundo informaram operários e outras pessoas, só ficaram em Fukushima funcionários que geralmente são contratados por empresas de recrutamento aventureiras que têm pouco conhecimento técnico e sobre as normas de segurança --isso sem falar na preocupação quase inexistente em relação à contratação de pessoas desesperadas. A polícia

Centrais nucleares nunca podem ser 100% seguras, diz diretor geral da AIEA

  Usina de Fukushima, após o desastre nuclear – Em 11 de março de 2011, o mundo soube da tragédia de Fukushima: um fortíssimo terremoto e um tsunami de grandes proporções, a que se seguiu a explosão de uma usina nuclear com todas as consequências de um acidente nuclear: a difusão de radioatividade, que permanecerá ativa durante anos, ameaçando muitas gerações. Foto: DW   O diretor geral da Agência Internacional da Energia Atômica

Deputados defendem a não renovação de cooperação nuclear com a Alemanha

    Lucio Bernardo Jr. / Câmara dos Deputados Sarney Filho: no Brasil, o custo-benefício nos diz que nós não precisamos de energia nuclear. Parlamentares defenderam, nesta quinta-feira, que o País não renove o acordo de cooperação nuclear com a Alemanha. Assinado em 1975, durante o regime militar, o documento que prevê uso pacífico para a energia nuclear será renovado automaticamente, até o fim do ano, se nenhuma das partes se manifestar contrariamente à

Top