nº 2.500, 2016 [31/03/2016]

    Relação cidade x natureza, parte II, artigo de Roberto Naime A web promete para este ano um festival de barbaridades, artigo de Celso Figueiredo Hábitos alimentares e qualidade da vida, artigo de Cibele Regina Laureano Gonsalves Prorrogação dos lixões: um retrocesso ambiental e social Brasil é um dos dez maiores investidores em energia renovável do mundo, aponta relatório do PNUMA Mudanças climáticas exigem adaptações das cidades, mas ainda não são prioridade Arroz com feijão continua sendo

Relação cidade x natureza, parte II, artigo de Roberto Naime

    [EcoDebate] Para que ocorram esses processos de racionalização nas estruturas e nas ações social, política e econômica, que BANNEL (2006) afirma que a “racionalização como possibilidade para a expansão de aprendizagem coletiva como a institucionalização da razão na Sociedade”. O entendimento que é permitido consiste na racionalização como expansão dos processos de aprendizagem, que se manifestam através das formas urbanas de vida, conceito este apresentado por Habermas. Tudo isso é para confirmar,

A web promete para este ano um festival de barbaridades, artigo de Celso Figueiredo

    [EcoDebate] Já virou lugar comum dizer que o que mais falta ao Brasil é a educação. Nas redes sociais, contudo, essa ignorância ganha contornos de batalha campal. Polarização, Fla-Flu, coxinhas versus mandiocas. Chame-se como quiser, o fenômeno mais presente nas redes sociais hoje – e que promete ainda perdurar ao longo do ano - é a oposição furibunda. De ambos os lados – e parece que são apenas dois, embora saibamos

Hábitos alimentares e qualidade da vida, artigo de Cibele Regina Laureano Gonsalves

    [EcoDebate] Em 31 de março, Dia Mundial da Saúde e Nutrição, liberte-se da ditadura do desânimo e dos maus hábitos alimentares e faça uma revolução em sua qualidade de vida. Esta data faz parte do calendário do Ministério da Saúde e deve levar a todos à refexão sobre suas escolhas alimentares, pois saber comer e dar relevância ao que se come é fundamental, já que uma alimentação adequada preveni doenças

Prorrogação dos lixões: um retrocesso ambiental e social

  Prorrogação dos lixões: um retrocesso ambiental e social. Entrevista especial com Antonio Silvio Hendges “A irresponsabilidade pública em relação aos resíduos sólidos terá uma sobrevida considerável se o Projeto de Lei 425/2014 for aprovado pela Câmara e sancionado pelo Executivo”, adverte o biólogo. Foto: cempre.org.br   Apesar de a Política Nacional de Resíduos Sólidos – PNRS ter determinado 2014 como o ano limite para extinguir todos os lixões existentes no país, alguns Projetos de Lei,

Brasil é um dos dez maiores investidores em energia renovável do mundo, aponta relatório do PNUMA

  Agência ambiental da ONU calculou que, em 2015, investimentos globais em energias renováveis atingiram o valor histórico de 286 bilhões de dólares. Recursos para energia solar no Brasil chegaram, pela primeira vez, às centenas de milhões, alcançando o equivalente a US$ 657 milhões. Energia eólica dominou mercado brasileiro, angariando 5,7 bilhões em recursos.     Investimentos em energias renováveis atingiram o valor de 286 bilhões de dólares em 2015. O montante é um

Mudanças climáticas exigem adaptações das cidades, mas ainda não são prioridade

  Por Heitor Shimizu, de Michigan, Agência FAPESP     As mudanças climáticas globais impõem riscos às cidades e levam à necessidade de desenvolver planos de adaptação. Mas de que modo cidades como São Paulo, que contam com tantos outros problemas de infraestrutura e desenvolvimento, podem desenvolver uma capacidade adaptativa que permita responder eficientemente aos desafios impostos pelas mudanças climáticas? Encontrar respostas para essa pergunta é um dos objetivos de uma pesquisa conduzida por cientistas

Arroz com feijão continua sendo a combinação ideal de vitaminas e nutrientes

    Devido à falta de informação, a dupla tradicional no cardápio brasileiro tem sido substituída por lanches e erroneamente tachada como engordativa; com 11 tipos de grãos, todos com controle de resíduos de agrotóxico, Broto Legal orienta pais que muitas vezes substituem alimento por guloseimas 31 de março é o Dia Mundial da Saúde e Nutrição. A data faz parte do calendário do Ministério da Saúde e tem o objetivo de conscientizar

Alimentos desperdiçados na América Latina e Caribe poderiam alimentar 37% das pessoas que passam fome em todo o mundo

  Reduzir o desperdício na AL "chave" para desenvolvimento sustentável Segundo a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO, com os alimentos perdidos na região da América Latina e Caribe seria possível alimentar 37% das pessoas que passam fome em todo o mundo.   Foto: FAO/Olivier Asselin   Laura Gelbert, da Rádio ONU em Nova York. Na América Latina são perdidas ou desperdiçadas até 348 mil toneladas de alimentos por dia, cifra que terá de

nº 2.499, 2016 [30/03/2016]

    O colapso da Siria: pico do petróleo e pico demoeconômico, artigo de José Eustáquio Diniz Alves Relação cidade x natureza, parte I, artigo de Roberto Naime A 'arte' da sonegação, artigo de Osvaldo Bertolino Cerca de 100 milhões de brasileiros ainda não contam com coleta de esgoto O que vem depois do desastre socioambiental? ONU-Habitat publica versão em português de Diretrizes Internacionais sobre planejamento urbano OPAS/OMS e Ministério da Saúde

O colapso da Siria: pico do petróleo e pico demoeconômico, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

    [EcoDebate] A Síria é um país em desintegração? É o que parece. A guerra, a fome, o sofrimento incalculável do seu povo, a destruição quase completa da infraestrutura e uma grande degradação do meio ambiente são fatos que aparecem todos os dias nas manchetes dos jornais. Em cinco anos de guerra civil, cerca de 250 mil pessoas morreram e 11 milhões foram deslocadas de suas casas, sendo que quatro milhões fugiram

Relação cidade x natureza, parte I, artigo de Roberto Naime

    [EcoDebate] SILVA et. al. (2015) discutem os problemas ambientais nas ultimas décadas, sob a dimensão da relação entre cidade e natureza. Estas discussões evidenciam a questão ambiental aliada ao contexto sociopolítico e econômico. Os parques urbanos surgem no século XIX na Europa num cenário de crescente desordenamento migratório do campo para cidade, mecanização pesada nas cidades e problemas de poluição e saúde de um modo geral. O parque urbano aparece ainda como

Top