Índice da edição nº 1.177, de 10/09/2010

Exaustão dos solos, artigo de Roberto Naime A Cobrança pela Água no São Francisco, artigo de Roberto Malvezzi (Gogó) Educação Ambiental e Formação/Capacitação de Recursos Humanos, Lei 9.795/1999, artigo de Antonio Silvio Hendges Oficina 'Mudanças Climáticas' na Resex Prainha do Canto Verde, CE, artigo de Mayron Régis Responsabilidade Social Empresarial, artigo de Alexandre Passos Gestão de bacias hidrográficas, artigo de Monica F. A. Porto e Rubem La Laina Porto Relatório da ONU estima que cidades já

Exaustão dos solos, artigo de Roberto Naime

[EcoDebate] O uso intensivo do solo com práticas convencionais, com a excessiva mecanização, tem reduzido a matéria orgânica e causado compactação. Ainda é comum, após o desmatamento, a implantação de lavouras sem adoção de práticas de conservação do solo. Em áreas de declives os problemas são ainda mais sérios, incluindo o empobrecimento dos solos, a formação de voçorocas, a sedimentação e assoreamento nos cursos de água, destruição das estradas vicinais e

A Cobrança pela Água no São Francisco, artigo de Roberto Malvezzi (Gogó)

[EcoDebate] Como estava previsto na lei nacional de Recursos Hídricos 9433/97, a cobrança pelo uso da água começa a se difundir pelo Brasil. Ela se torna possível quando é criado um comitê de bacia e esse comitê cria sua agência de águas, isto é, um corpo técnico que se torna responsável pela implementação da cobrança. Entretanto, a cobrança é uma decisão do comitê. O São Francisco começa nesse mês a cobrar

Educação Ambiental e Formação/Capacitação de Recursos Humanos, Lei 9.795/1999, artigo de Antonio Silvio Hendges

[EcoDebate] A legislação brasileira estabelece que educação ambiental são “os processos por meio dos quais o indivíduo e a coletividade constroem valores sociais, conhecimentos habilidades, atitudes e competências voltadas para a conservação do meio ambiente, bem de uso comum do povo, essencial à sadia qualidade de vida e sua sustentabilidade” (Lei 9.795/1999, artigo 1º). São estabelecidos princípios básicos e objetivos fundamentais que devem ser buscados através do ensino formal e

Oficina ‘Mudanças Climáticas’ na Resex Prainha do Canto Verde, CE, artigo de Mayron Régis

[EcoDebate] A expressão “bater fofo”, na gíria urbana de São Luis, capital do estado do Maranhão, diz respeito a um tapa que uma criança descreve com uma das mãos sobre um monte de figurinhas para que elas mostrem suas faces verdadeiras. Quem desvira mais figuras ganha a partida. Ela também é bastante utilizada quando alguém descumpre com um acerto firmado anteriormente por razões inexistentes ou imprecisas. Simplesmente, a humanidade “bate fofo”

Responsabilidade Social Empresarial, artigo de Alexandre Passos

[EcoDebate] De acordo com o Instituto Ethos (2009), a Responsabilidade Social Empresarial – RSE “[...] É a forma de gestão que se define pela relação ética e transparente da empresa com todos os públicos com os quais ela se relaciona e pelo estabelecimento de metas empresariais compatíveis com o desenvolvimento sustentável da sociedade, preservando recursos ambientais e culturais para gerações futuras, respeitando a diversidade e promovendo a redução das desigualdades

Gestão de bacias hidrográficas, artigo de Monica F. A. Porto e Rubem La Laina Porto

RESUMO O presente trabalho pretende apresentar o conceito de bacia hidrográfica, apresentar também o modo como o país encontra-se organizado para essa forma de gestão e discutir os principais pontos da gestão de recursos hídricos que estão associados a esse recorte geográfico. Abordam-se pontos difíceis da gestão integrada e a necessidade de aperfeiçoamento do sistema de decisão. Palavras-chave: Gestão de recursos hídricos, Gestão integrada, Bacias hidrográficas. ABSTRACT This

Relatório da ONU estima que cidades já consomem 70% dos recursos naturais do planeta

Relatório inédito do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente apresentado em Curitiba, nesta quinta-feira, revela que serviços ambientais podem economizar tempo e dinheiro para as economia dos estados e municípios. Dados da Organização das Nações Unidas constatam que mais da metade da população mundial está nas cidades e já é responsável pelo consumo de 70% de todos os recursos que o homem retira da natureza. Até 2050, com

Governo vai ampliar monitoramento de resíduos tóxicos em produtos de origem vegetal

O Ministério da Agricultura e da Pecuária (Mapa) vai ampliar o monitoramento sobre a qualidade dos produtos de origem vegetal em relação aos níveis de resíduos agrotóxicos. Na safra 2010/2011 foram incluídos seis novos produtos que serão submetidos à análise: alho, soja, laranja, pimentão, feijão e café. A ação foi oficializada por meio da Instrução Normativa 21, publicada ontem (9) no Diário Oficial da União. O monitoramento faz parte do Plano

Biorreator aeróbio desenvolvido na Esalq/USP obtém vinhaça mais limpa para adubação do solo

Vinhaça "in natura" e vinhaça tratada com posterior filtração Um biorreator aeróbio desenvolvido nos laboratórios do Centro de Energia Nuclear da Agricultura (Cena), da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq) da USP, em Piracicaba, possibilitou a degradação da vinhaça em mais de 80%, tornando o líquido apto a ser utilizado na adubação da cana-de-açúcar. A vinhaça é um resíduo obtido após o processo de produção do etanol a partir da

Etanol celulósico: Perspectiva para viabilização comercial é desanimadora nos EUA, avalia revista Science

Em sua edição de 13 de agosto, a prestigiada Science Magazine publicou "Is There a Road Ahead For Cellulosic Ethanol?" ("Há um caminho à frente para o etanol celulósico?"), que traça cenário pessimista, no curto e no médio prazo, para as tecnologias de produção do etanol a partir da celulose de biomassa nos EUA. Para a Science, neste 2010, o etanol de segunda geração "luta para cumprir a promessa de

Europa: Patenteabilidade de vegetal obtido por melhoramento com inovação será julgada ainda em 2010

"A guerra do brócolis" na Europa: Decisão sobre patentes de tomate sem água e brócolis anticâncer pode mudar regra de proteção para melhoramento convencional O Escritório de Patentes Europeu (EPO, na sigla em inglês) deverá decidir até o final de 2010 se processos de melhoramento convencional de plantas que envolvam etapas consideradas tecnicamente inovadoras podem ou não ser patenteados. De acordo com a diretiva europeia 98/44/EC, "um processo para a produção

Top