Biocombustíveis – Impactos do óleo de palma (dendê) sobre a biodiversidade neotropical

    Caros Colegas, Estou indicando artigos liderados por Lain Pardo, meu ex-aluno de doutorado, que estudou os impactos da expansão do óleo de palma (dendê) sobre os mamíferos nativos na Colômbia, usando o método de captura de câmeras. Como vocês sabem, o dendê está se expandindo rapidamente na América Latina e em outros lugares nos trópicos. O último artigo de Lain tem duas conclusões fundamentais: 1 - Reduções na diversidade de mamíferos não são tão

Indonésia: Uma saga de óleo de palma, conflito internacional e destruição de florestas

  Em setembro do ano passado, o presidente indonésio Jokowi impôs uma moratória sobre novas plantações de dendezeiros - um fator-chave para a destruição da floresta naquele país de mega-biodiversidade. Embora apenas parcialmente eficaz, a iniciativa de Jokowi foi aplaudida por conservacionistas e cientistas em todo o mundo. Mas agora, apenas seis meses depois, Jokowi está ameaçando renegar sua muito elogiada moratória. Por quê? Por ALERT (ALERT-conservation.org)   DESMATAMENTOS INTENSIVOS A ameaça de Jokowi é assustadora, dada

Mudança climática/perda de biodiversidade: Ameaças inseparáveis que precisam ser debatidas juntas

Perda de Biodiversidade - Modelos preveem aumento de 10 a 30 vezes nas terras agrícolas dedicadas à bioenergia PLATAFORMA INTERGOVERNAMENTAL DE POLÍTICA CIENTÍFICA SOBRE BIODIVERSIDADE E SERVIÇOS ECOSSISTÊMICOS (IPBES, em inglês)     A demanda por bioenergia para reduzir as emissões de CO2 procedentes de combustíveis fósseis pode causar um aumento de 10 a 30 vezes no uso relacionado à energia de áreas verdes nos próximos anos, acrescentando uma pressão esmagadora no habitat para

Para receberem créditos de descarbonização, usinas de biocombustíveis deverão produzir sem desmatamento, por Miguel Ivan Lacerda de Oliveira et al.

Miguel Ivan Lacerda de Oliveira¹ Marcelo Boechat Morandi² Marília Folegatti Matsuura³  Marcelo Ramalho Moreira4 [EcoDebate] Quando o assunto é a redução de gases do efeito estufa (GEE) por biocombustíveis, o risco de aumento do desmatamento está entre as principais preocupações em nível nacional e internacional. Em meados dos anos 2000, quando as primeiras políticas internacionais para produção de biocombustíveis começaram a ser elaboradas, houve uma grande mobilização na comunidade científica para investigar que impactos elas

Expansão de cana-de-açúcar para a Amazônia colocará em xeque os serviços ambientais da floresta

  Expansão de cana-de-açúcar para a Amazônia colocará em xeque os serviços ambientais da floresta. Entrevista especial com Lucas Ferrante IHU Apesar de a legislação proibir o cultivo de cana-de-açúcar na Floresta Amazônica desde 2009 por causa do impacto ambiental que esse tipo de cultura gera na biodiversidade, um projeto de lei recentemente discutido no Senado Federal propõe que esse plantio seja retomado em áreas degradadas. Entretanto, de acordo com o biólogo Lucas Ferrante, que já realizou estudos para

Possibilidades e limitações para a inserção da agricultura familiar no desenvolvimento e produção de bioenergia derivada da Palma-de-Óleo no Estado do Maranhão

    POSSIBILIDADES E LIMITAÇÕES PARA A INSERÇÃO DA AGRICULTURA FAMILIAR NO DESENVOLVIMENTO E PRODUÇÃO DE BIOENERGIA DERIVADA DA PALMA-DE-ÓLEO NO ESTADO DO MARANHÃO1 Adriano Venturieri1 adriano.venturieri@embrapa.br – Pesquisador da Embrapa Amazônia Oriental; Alfredo Kingo Oyama Homma1 alfredo.homma@embrapa.br – Pesquisador da Embrapa Amazônia Oriental; João de Deus Barbosa Nascimento Júnior1 joao.nascimento@embrapa.br – Pesquisador da Embrapa Amazônia Oriental; José Mário Ferro Frazão2 jose.frazao@embrapa.br – Pesquisador da Embrapa Cocais; Lucieta Guerreiro Martorano2 lucieta.martorano@embrapa.br –

Pesquisa da Embrapa identifica microalgas, cultivadas em resíduos líquidos, que geram biocombustíveis

  ABr  Pesquisa de biocombustíveis realizada em Brasília pela Embrapa Agroenergia identificou espécies de microalgas que podem ser cultivadas em resíduos líquidos de processamento em agroindústrias, gerando matéria-prima renovável. Além dos combustíveis, podem ser gerados, entre outros produtos, rações e cosméticos. Os estudos duraram três anos e também identificaram espécies na biodiversidade brasileira. Os estudos utilizaram a vinhaça, formada na produção de açúcar e etanol de cana, e o pome (palm oil mill

Pesquisa da Embrapa Agroenergia encontra microalgas que crescem em resíduos e geram biocombustíveis

  Por Vivian Chies, Embrapa Agroenergia A Embrapa Agroenergia (DF) conseguiu identificar espécies de microalgas que podem ser cultivadas em resíduos líquidos de processos de agroindústrias, os efluentes. Esse cultivo pode gerar matéria-prima renovável para biocombustíveis, rações, cosméticos e vários outros produtos. A pesquisa, que durou três anos, também teve como resultado a descoberta de espécies até então desconhecidas, na biodiversidade brasileira. Os efluentes utilizados nos estudos foram a vinhaça, formada na produção

Biodiesel de óleo de palma ameaça floresta tropical e polui mais que diesel

    O consumo de óleo de palma para a produção de biodiesel na Europa cresceu 2,6% em 2015, um aumento que ameaça a floresta tropical e que a Quercus (maior organização ambiental portuguesa) critica, já que esse combustível polui três vez mais do que o óleo diesel. “O biodiesel europeu é atualmente o principal produto final resultante do óleo de palma, atingindo o índice inédito de 46%. Isso significa que os condutores

Terra disponível no planeta não é fator limitante para a produção de bioenergia e alimentos, dizem especialistas

  Da Agência FAPESP Metas de produção de biocombustíveis, segurança alimentar e desenvolvimento sustentável podem ser alcançadas simultaneamente, de acordo com o relatório “Reconciling Food Security and Bioenergy: Priorities for Action [Conciliando a Segurança Alimentar e a Bioenergia: Prioridades para Ação]”, divulgado no dia 14 de junho por uma equipe internacional e multidisciplinar de especialistas de 10 instituições de pesquisa em sete países. O documento identifica medidas baseadas em conhecimento científico para mostrar que

A bioenergia deve ser sustentável, artigo de Reinaldo Dias

    [EcoDebate] A publicação da Lei no 13.263, no dia 24 de março deste ano, que altera os percentuais de adição de biodiesel ao óleo diesel comercializado no Brasil pode ser considerada um passo importante para o avanço das políticas públicas relacionadas aos biocombustíveis. Estabelece a obrigatoriedade de adição de biodiesel com aumento gradativo pré-estabelecido no texto legal. Serão adicionados 8% nos primeiros doze meses após a publicação da lei, passando

Brasil pode produzir 10 bi de litros de etanol de segunda geração até 2025, diz ONU

  Por Diego Freire, Agência FAPESP     Para cumprir os compromissos firmados na 21ª Conferência das Partes da Convenção das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP 21), no último mês de dezembro, em Paris, o Brasil precisa diminuir suas emissões de gases de efeito estufa em 37% até 2025. Uma saída está em investimentos na ampliação de biocombustíveis derivados da cana-de-açúcar na matriz energética brasileira, como o etanol de segunda geração, diz relatório da

Top