O impacto devastador das mudanças climáticas na Etiópia

    A Etiópia enfrenta uma das piores secas em três décadas. Seis milhões de crianças estão vulneráveis à fome, falta de água e doenças. O acesso à água segura para o consumo pode protegê-las destes riscos e garantir a permanência na escola. Confira nesse vídeo do UNICEF.   Da ONU Brasil, in EcoDebate, 06/01/2017   [CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor,

De 1 milhão de mortos para 1 milhão de cisternas, artigo de Roberto Malvezzi (Gogó)

    [EcoDebate] Na seca de 82 a estimativa foi que pelo menos 1 milhão de Nordestinos ainda morreram de inanição, isto é, fome ou sede. Nessa seca que vem de 2012 até 2016, não há registros de mortes por inanição, nem o fenômeno das grandes migrações, nem frentes de emergência e muito menos saques nas cidades do sertão. O IX ENCONASA – Encontro da Articulação no Semiárido Brasileiro (ASA) -, acontecido entre

A questão hídrica atual do Nordeste seco! artigo de João Suassuna

    O setentrional nordestino, que há cinco anos vem enfrentando situações de seca, está em “estado de emergência” e muitos dos municípios da região, como o de Campina Grande, na Paraíba, que tem aproximadamente 355 mil habitantes, e Caruaru, em Pernambuco, com 300 mil habitantes, enfrentam problemas de abastecimento de água para o consumo de suas populações. O maior problema da seca é que não há gestão dos recursos hídricos e, em

Depois de cinco anos de seca no Nordeste, a possibilidade de um colapso é significativa

  Depois de cinco anos de seca no Nordeste, a possibilidade de um colapso é significativa. Entrevista especial com David Ferran Os cinco anos consecutivos de seca no Nordeste brasileiro são explicados pela presença do El Niño e pela não ocorrência do fenômeno climático La Niña, que “favorece bastante a ocorrência de chuvas” na região, diz David Ferran à IHU On-Line, na entrevista a seguir, concedida por telefone. Segundo ele, a não

Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE) diz que nível de reservatórios do Nordeste chegará a 7,5% no fim de novembro

  O Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE) estima que o nível de armazenamento nos reservatórios da Região Nordeste chegue a 7,5% no fim de novembro. No reservatório de Sobradinho, no norte da Bahia, a situação é mais grave e o nível deve chegar a 4%. Atualmente, o nível de armazenamento das represas na região está em 9,95% e, em Sobradinho, 6,76%.  Recentemente, a Agência Nacional de Águas (ANA) autorizou a

Nordeste brasileiro vive quinto ano de seca e se não chover nos próximos dias, não há plano B

  Nordeste brasileiro vive quinto ano de seca e se não chover nos próximos dias, não há plano B. Entrevista especial com João Suassuna O setentrional nordestino, que há cinco anos vem enfrentando situações de seca, está em “estado de emergência” e muitos dos municípios da região, como o de Campina Grande, na Paraíba, que tem aproximadamente 355 mil habitantes, e Caruaru, em Pernambuco, com quase 300 mil habitantes, enfrentam problemas de abastecimento

Agência Nacional de Águas (ANA) autoriza nova redução da vazão mínima de barragens no Rio São Francisco

    A Agência Nacional de Águas (ANA) autorizou a redução da vazão mínima das barragens de Sobradinho (BA) e Xingó (AL/SE), no Rio São Francisco, para 700 metros cúbicos por segundo (m³/s). O limite, que valerá até o dia 31 de janeiro de 2017, é o menor já adotado para os dois reservatórios, mas a agência poderá suspender a decisão caso haja recomendações técnicas. A resolução da ANA autorizando a redução

Cenários de seca extrema e seca excepcional cresceram no Nordeste, abrangendo partes de todos os 9 Estados

  Seca avança no Nordeste e assume contornos severos, mostra estudo  Os cenários de seca extrema e seca excepcional cresceram no Nordeste, abrangendo partes de todos os 9 estados. É o que mostra o mapa de setembro do Monitor de Secas do Nordeste do Brasil. O Ceará é um dos que apresentam maior avanço da estiagem. Segundo a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), 75% do território do estado apresenta

Plantações em mais de 100 cidades no semiárido são afetadas pela seca

  Cerca de 300 mil propriedades no Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas e Sergipe foram afetadas     Mais de 100 municípios do semiárido estão há pelo menos dois meses com déficit hídrico e tiveram o risco agroclimático classificado como alto e muito alto. Isso significa que o solo perdeu mais umidade para a atmosfera do que recebeu água em um período de 60 dias, segundo análise do Centro Nacional de Monitoramento e

Impasse entre Chesf e Ibama adia decisão sobre redução da vazão do Rio São Francisco

    A decisão sobre a redução da vazão mínima da Bacia do Rio São Francisco foi adiada para próxima segunda-feira (24) depois que uma reunião sobre o assunto terminou sem acordo ontem (17), na Agência Nacional de Águas (ANA). A redução da defluência mínima foi solicitada pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) por causa da queda na geração de energia. Atualmente, o patamar mínimo autorizado nos reservatórios de Sobradinho, na

Barragem de Jucazinho, maior reservatório de água do agreste pernambucano, entra em colapso

    O maior reservatório de água do agreste de Pernambuco entrou em colapso ontem (27). Depois de operar por dez meses com o volume morto, o nível de água na Barragem de Jucazinho, no município de Surubim, atingiu 0,01% da capacidade e, segundo a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), não oferece mais condições de captação da água para abastecimento humano. De acordo com a Compesa, a falta de chuva na região levou

Crise hídrica se agrava no semiárido brasileiro

  De 452 reservatórios analisados na região, 58% entraram em colapso ou em estado crítico; Pernambuco tem 24 dos 69 reservatórios sem água     O volume de água nos reservatórios do semiárido atingiu 22%, o que revela o agravamento da crise hídrica na região, informa o Instituto Nacional do Semiárido (Insa). Dos 452 reservatórios analisados, 58% já entraram em colapso ou estão em estado crítico. Ceará, Paraíba, Pernambuco e Rio Grande do Norte são

Projeções de clima sugerem que estiagens mais severas e prolongadas tenderão a ser a regra no Nordeste

  Por Peter Moon | Agência FAPESP   A seca atual que aflige o Nordeste iniciou em 2012 e se intensificou desde então. Ela já dura cinco anos e é considerada a mais severa em várias décadas. A intensidade e a persistência da atual estiagem podem ser indícios de que os extremos da variabilidade climática já começaram a cobrar a sua fatura no Nordeste brasileiro. E a conta pode aumentar se esses extremos

Seca se intensifica com alto risco para cerca de 90 municípios do semiárido brasileiro

    As chuvas de setembro a novembro devem se tornar mais escassas na Zona da Mata dos Estados de Sergipe, Alagoas, Pernambuco, Paraíba e Rio Grande do Norte. Há poucas chances de reversão do quadro crítico dos municípios impactados pela seca, conforme o Relatório da Seca no Semiárido Brasileiro e Impactos divulgado, ontem, pelo Cemaden O período chuvoso, entre abril e julho, apresentou um déficit pluviométrico, agravado no mês de agosto, com

Nasa adverte que seca na Amazônia pode ser histórica em 2016

    Por Ariane Póvoa, da Radiogência Nacional A seca na região amazônica pode bater recorde histórico neste ano. A conclusão é de pesquisadores da Nasa, a Agência Espacial Norte-Americana. A estiagem de 2016 deve ser ainda mais severa do que a seca registrada na Amazônia nos anos de 2005 e 2010. O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento divulgou que o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) registrou, nos últimos dois anos, chuvas abaixo do

A tradicional indústria da seca permite que o sertanejo morra de sede com água no joelho

seca

  A tradicional indústria da seca permite que o sertanejo morra de sede com água no joelho. Entrevista especial com João Abner Guimarães   “Qual a explicação para no Nordeste semiárido se disponibilizar água para irrigação durante um evento com criticidade secular? Ou se tem muita água – ao contrário do que se propaga, ou não se tem gestão, ou as duas coisas”, afirma o engenheiro hidráulico. Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil   A atual seca no Nordeste

Degradação do solo e secas causam malnutrição crônica de 800 milhões de pessoas, alerta ONU

  Em Dia Mundial de Combate à Desertificação e à Seca, celebrado na última sexta-feira (17), secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, alertou que “nos próximos 25 anos, a degradação do solo pode reduzir a produção de alimentos em até 12%, levando a um aumento de 30% no preço da comida”.   Quase 800 milhões de pessoas no mundo enfrentam subnutrição crônica ligada diretamente à degradação do solo, à redução da fertilidade das terras,

Mapas mostram a nova cara das secas no Brasil

  Monitor de Secas do Nordeste Brasileiro: Abordagem científica ao fenômeno busca evitar mortes, prejuízos e inação política     Há tempos o Brasil conhece bem a cara das vítimas das secas no Nordeste. Rostos curtidos precocemente pelo sol, corpos de humanos e animais emagrecidos pela falta de água e comida, plantas ressecadas: tudo isso já foi visto em fotos e vídeos que rodaram o mundo. Agora, o país poderá conhecer uma nova face

Mudanças climáticas à vista nas margens do Rio São Francisco

  Na Bahia, quase a metade das cidades da caatinga, no entorno do Rio São Francisco, têm alto risco de sofrer danos provocados pelas mudanças climáticas nos próximos 25 anos. A conclusão é de um estudo realizado por pesquisadores da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) que mapeou a vulnerabilidade às alterações do clima em 84 municípios, que fazem parte da bacia hidrográfica do Velho Chico e estão localizados na região do bioma

Especialista explica a conexão entre a estiagem e as inundações no Brasil

seca

Pesquisadores descobriram que a estiagem em São Paulo teve a mesma raiz que as inundações em Rondônia     De acordo com especialistas, a estiagem recorde que aconteceu em São Paulo, em 2014, teve a mesma raiz que as enchentes em Rondônia, o que causou prejuízos de cerca de R$ 5 milhões. O secretário-executivo do Observatório do Clima, Carlos Rittl, fala sobre o fenômeno: “existe uma conexão entre esse desequilíbrio, o excesso de umidade,

Top