IV Encontro Popular debateu as lutas por Terra e Território na Bacia do São Francisco

  Na tarde do segundo dia (29 de maio) do IV Encontro Popular da Bacia do São Francisco, foram realizadas rodas de conversa sobre Terra e Território, um dos eixos de atuação da Articulação São Francisco Vivo. Quatro grupos debateram as experiências de algumas comunidades no processo de retomada de seus territórios e lutas por permanência em suas terras. O primeiro grupo relatou as experiências do povo indígenas Kariri-Xocó, de Alagoas, que lutam

Articulação Popular São Francisco Vivo define novos passos e lança Carta aberta às autoridades e à sociedade

  Depois de quatro dias reunida no Centro de Formação de Líderes de Bom Jesus da Lapa (BA), a Articulação Popular São Francisco Vivo encerrou, na manhã do domingo, 31 de maio o seu IV Encontro, que se propôs a avaliar seus 10 anos de atuação e planejar as ações prioritárias de agora em diante. Com base nas discussões e propostas, a partir de rodas de conversas e plenárias realizadas nos dias

Carta de Bom Jesus da Lapa – IV Encontro Popular da Bacia do Rio São Francisco

  IV Encontro Popular da Bacia do Rio São Francisco Carta de Bom Jesus da Lapa O RIO PRECISA, A CAMINHADA SEGUE! Dez anos após o I Encontro Popular da Bacia, reunimo-nos no mesmo local, Bom Jesus da Lapa, nos dias 28 a 31 de Maio de 2015, para avaliar a trajetória de atuação da Articulação Popular São Francisco Vivo (SFVIVO), então criada, e planejar seu futuro. Por meio desta carta, nós, 78 pessoas,

A decadência econômica do rio São Francisco, artigo de Roberto Malvezzi (Gogó)

    [EcoDebate] O óbvio se confirma. As principais atividades econômicas do rio São Francisco começam a entrar em decadência, em razão da diminuição do volume de água do Velho Chico. Hoje o ponto com mais água está aqui entre Juazeiro e Petrolina, com 1.000 m3/s. Vale lembrar que a vazão média do São Francisco até alguns anos atrás era de 2.800 m3/s. Sobradinho está com apenas 17% de sua capacidade ocupada

ANA mantém redução na água liberada de reservatórios do rio São Francisco

  A Agência Nacional de Águas (ANA) prorrogou até 31 de março a redução temporária da água que é liberada pelos reservatórios de Sobradinho e Xingó, no Rio São Francisco. A resolução foi publicada no Diário Oficial da União e entra em vigor hoje (25).   A vazão mínima de cada reservatório é 1,3 mil metros cúbicos por segundo (m³/s) e foi diminuída para 1,1 mil m³/s pela Resolução 442, de 8 de abril

A sustentável leveza das águas do São Francisco

Com o objetivo de analisar o projeto de transposição das águas do rio São Francisco, foram considerados neste texto os aspectos: vantagens e desvantagens para a população envolvida; prejuízos naturais versus desenvolvimento regional; e instrumentos de política ambiental. Acrescentamos fator primordial para análise de qualquer ação governamental no Brasil, que é o comportamento corrupto e descompromissado com os interesses coletivos dos políticos brasileiros, para pontuar como a condução do desenvolvimento

Transposição: uma análise cartesiana, estudo de Manoel Bomfim Ribeiro ( 23/12/1930 e + 03/12/2012)

1) Introdução Este trabalho mostra o quadro real da Transposição, como tudo ocorreu desde o início e as razões subterrâneas que levam à execução desta mega-obra que, em nada, resolverá os problemas hídrico do Semi-Árido brasileiro. Esta região já possui um grande manancial de água construído pela tenacidade do homem do Nordeste. É um grande cubo de 37 quilômetros cúbicos de água armazenados nos milhares de reservatórios espalhados por todos os

Governo e agência garantem que seca não vai atrapalhar transposição do Rio São Francisco, comentário de João Suassuna

    Meus Prezados, Na reportagem do Jornal Nacional, de 30/11, sobre a transposição do São Francisco, as assertivas do presidente da Agência Nacional de Águas (ANA) e do Ministro da Integração, de que os volumes retirados do rio, pelo projeto, são irrisórios, mostrou um semblante de preocupação em ambos. Pudera: afirmar que serão insignificantes os volumes que serão transpostos, em um momento no qual o rio está praticamente seco, bem retrata a

Com nascente seca, população teme morte do Velho Chico

  Por Paula Góes, do Global Voices A chuva que caiu na Serra da Canastra no final de outubro não foi suficiente para alimentar as esperanças de que a nascente do Rio São Francisco, que secou em setembro pela primeira vez na história, se recupere. Mudanças climáticas, estiagem prolongada, incêndios e devastação gradativa do ecossistema da região são algumas das causas da morte do minadouro do rio, um dos mais importantes de toda a

A crise hídrica em São Paulo e no São Francisco, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

    [EcoDebate] Alguém pode imaginar que São Pedro (o santo que controla as chuvas) está brigado com São Paulo e com São Francisco. Mas sem querer entrar nos meandros dos bastidores do céu, considero que a falta d’água é um problema bem terreno. O Brasil possui o maior volume de água doce do mundo e uma grande disponibilidade hídrica per capita. Mesmo assim sofre de escassez no meio da abundância e vive

A mirada de João Zinclar para o ‘Territó-Rio’ São Francisco, por Flávio José Rocha da Silva

A mirada de João Zinclar1 para o 'Territó-Rio' São Francisco Flávio José Rocha da Silva2 [EcoDebate] O singular não combina com o livro O rio São Francisco e as águas no sertão (Sivamarts Gráfica e Editora, 2010), de autoria do fotógrafo João Zinclar. São 191 fotografias com imagens registradas entre janeiro de 2005 e junho de 2010, durante os mais de 10 mil quilômetros percorridos pelo fotógrafo em oito Estados brasileiros pela

Rio das Rimas – Lembrando Guilherme de Almeida no dia de São Francisco, por Roberto Malvezzi (Gogó)

    Para não esquecer o santo, o rio, os chicos, nem o cinismo do Jornal Nacional ao afirmar que o São Francisco está bem, quando chover tudo voltará ao normal. Rio das Rimas - Lembrando Guilherme de Almeida no dia de São Francisco - Roberto Malvezzi (Gogó) E ele que nasce pequenino, franzino, feito um menino Como que juntando gota a gota Depois cresce, aparece E de um fio de pavio Se torna um rio. Vai descendo esguio feito uma serpentina Que dobra

Articulação Popular São Francisco Vivo entrega representação ao MPF pedindo moratória para o Velho Chico

    A Articulação Popular São Francisco Vivo protocolou na última semana uma Representação junto às unidades do Ministério Público Federal na Bacia do São Francisco exigindo Moratória para o Rio com a suspensão de novos licenciamentos e outorgas de águas para grandes e médios projetos e a revisão dos já concedidos. O documento pede que o MPF tome as “medidas cabíveis contra os agentes governamentais e privados que violam direitos ao promover

Secou a nascente histórica do São Francisco, por Roberto Malvezzi (Gogó)

  [EcoDebate] Como num funeral, ontem – 23/09/2014 - é um dia de luto histórico para o rio São Francisco e seu povo. Segundo o diretor do Parque Nacional da Serra da Canastra sua nascente histórica secou (G1).     Como dizia Shakespeare pela boca de Macbeth: Amanhã, e amanhã, e ainda outro amanhã arrastam-se nessa passada trivial do dia para a noite, da noite para o dia, até a última sílaba do registro dos

Projetos de recuperação hidroambiental do Comitê do São Francisco em diversos pontos da bacia

  Os projetos de recuperação hidroambiental que o Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco – CBHSF está implantando em diversos pontos da bacia surgiram de reivindicações comunitárias, motivadas por problemas de degradação hidroambiental, principalmente a poluição dos cursos d´água, que afeta a qualidade, e a erosão dos terrenos próximos, que afeta a quantidade de água disponível. As demandas locais foram acolhidas pelas Câmaras Consultivas Regionais – CCRs, que representam

Manifesto Moratória São Francisco Vivo!

  Manifesto Moratória São Francisco Vivo!   Meu Rio de São Francisco: quanta turvação!       A Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco passa por um momento extremamente grave – a pior seca em 100 anos. E a falta de chuvas não é a única culpada, como querem fazer crer os governantes. A crise hídrica se deve também e principalmente aos múltiplos, crescentes e conflitantes usos de suas águas, matas, solos e subsolos, decorrentes do modelo

MG: vazão da usina de Três Marias é reduzida para evitar desabastecimento

    Decisão foi tomada durante reunião convocada pelo Ministério Público Federal para discutir situação do rio São Francisco em virtude da estiagem prolongada Desde a última quinta-feira, 21 de agosto, a vazão defluente da represa de Três Marias, instalada no rio São Francisco, na região central do estado de Minas Gerais, baixou de 190 m³/s para 170 m³/s. Isso significa que um menor volume de água está sendo liberado do reservatório. A decisão

MPF investiga situação do rio São Francisco na região de Três Marias, MG

    Estiagem prolongada tem causado preocupação aos municípios que dependem do rio para sobreviver, em especial às populações ribeirinhas, ameaçadas com o desabastecimento de água O Ministério Público Federal em Sete Lagoas (MPF/MG) instaurou procedimento para apurar e acompanhar a situação de crise decorrente do baixo nível do rio São Francisco na região do lago da Usina Hidrelétrica (UHE) de Três Marias e seus impactos para os municípios situados à jusante da

Comitê da Bacia do São Francisco discute construção de hidrelétricas em Curaçá, BA

    “A hora de se manifestar é agora”, disse o Coordenador da Câmara Consultiva Regional do Submédio, do Comitê de Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco (CBHSF), Uilton Tuxá, se referindo à necessidade da população de Curaçá resistir ao Projeto de construção das Hidrelétricas de Riacho Seco e Pedra Branca. A discussão esteve em pauta em reunião regional do Comitê que aconteceu no município de Curaçá (BA) no último dia 07. Na

Top