IV Encontro da Bacia debateu a crise hídrica e o futuro do Rio São Francisco

 

Mais de 100 pessoas entre pescadores, quilombolas, indígenas e agricultores, dentre outros representantes das diversas comunidades tradicionais existentes ao longo da bacia do Rio São Francisco, representando organizações e movimentos sociais, participaram na tarde de quinta-feira, 28 de maio, do debate sobre “A crise hídrica presente e o futuro da Bacia do Rio São Francisco”, que abriu o IV Encontro Popular da Bacia do São Francisco, em Bom Jesus da Lapa-BA.

As ações de revitalização da bacia do Rio foi uma das principais questões debatidas durante o encontro, que contou com a presença do gerente de revitalização da Companhia de Desenvolvimento do Vale do São Francisco e Parnaíba (CODEVASF) do médio São Francisco, Edson Marques.

Diante dos relatos dos participantes de que não enxergam as ações da Companhia na revitalização do Rio, mas sim interferências que têm piorado o desempenho do Velho Chico, Edson esclareceu que por ser um órgão executor, a Codevasf enfrenta dificuldades para implementar projetos e conseguir resultados em curto prazo.

IMG_6944
Edson Marques, CODEVASF

“O que eu puder fazer enquanto gerente de revitalização eu vou fazer. Tenho aqui em Bom Jesus da Lapa, uma gama de profissionais capacitados para ajudar nesse trabalho e precisamos também do apoio da população”, disse informando que no momento a companhia está trabalhando em projetos para a recuperação de nascentes.

Também presente na mesa redonda, Claudio Pereira, coordenador da Câmara Consultiva do médio São Francisco do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio (CBHSF) falou sobre a elaboração do Plano da Bacia e da necessidade da participação da população. “Se os usuários não se empenharem para manter o rio vivo teremos um desastre, porque não há política pública que se sustente ou que mantenha água onde já não tem. Precisamos que a população participe junto com o comitê para trabalhar no plano”.

O debate seguiu questionando a participação popular nas decisões e na elaboração de planos para a revitalização da bacia. Para o ambientalista e jornalista Henrique Cortez os órgãos não ouvem a população no momento de construção dos planos: “A contribuição técnica da sociedade civil é desprezada. Os planos não ouvem a sociedade”, afirmou.

Problemas ao longo da Bacia

Representantes de cada um dos pontos da bacia participaram da mesa redonda apresentando as dificuldades que têm enfrentado em suas regiões.

João Carlos da Silva, da comunidade Caraíbas do alto São Francisco, relatou que no ano de 2014 a comunidade sofreu com a falta de água. “Nós precisamos pedir água de poço para poder beber, ou seja, além da dificuldade de encontrar pescado, agora também estamos enfrentando a falta de água”.

IMG_6956
Claudio Pereira, CBHSF

Na região do médio Seu Carlos, do Quilombo Lagoa do Peixe, declarou que tem presenciado a morte do rio. “Hoje temos muitos peixes que estão em extinção e não sei o que será da gente que vive na beira do rio. Eu seu que vai ser difícil salvar porque é difícil conscientizar a sociedade para que ela também cuide do rio”, disse.

Maria Alice Borges, presidente da Associação de Pescadores e Pescadoras de Juazeiro e membro do Movimento de Pescadores e Pescadoras Artesanais (MPP) afirmou que o mesmo problema é sentido no submédio São Francisco. “Recebemos do Governo uma lista dos peixes que não podemos pescar, além disso o rio está cada vez mais estreito e mais raso, tivemos que cortar nossas redes pela metade”, desabafou.

No baixo São Francisco, Zennus Dinys, do Conselho Indigenista Missionário (CIIMI) de Alagoas apontou a situação dos povos indígenas como crítica. “O governo não regulariza as áreas e querem mudar as populações de lugar, ignorando suas origens, seus antepassados, além disso a cidade tem jogado o esgoto no rio e a população indígena tem que conviver com a sujeira”, disse.

IMG_6933
João Carlos Antônio
IMG_6939
Seu Carlos
IMG_6976
Zennus Dinys
IMG_6985
Maria Alice Borges

 

Matéria da Articulação Popular pela Revitalização da Bacia do São Francisco, publicada pelo Portal EcoDebate, 06/02/2015


[ O conteúdo do EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, ao EcoDebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário do Portal EcoDebate

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário do Portal EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Alexa

2 comentários em “IV Encontro da Bacia debateu a crise hídrica e o futuro do Rio São Francisco

  1. Tenho acompanhado as notícias sobre o Rio São Francisco.Pesquei muitos anos a baixo da ponte de Três Marias. Tenho acompanhado a falta de agua que se agrava a cada ano. Acompanho as notícias sobre a transposição do Rio São Francisco e tenho uma dúvida. Esta transposição vai ficar pronta realmente? Quando?Vai beneficiar muitas famílias? A falta de chuva e a diminuição das nascentes logicamente devem ter agravado mais ainda a situação do Rio, que já sofria com poluição, através dos esgotos, industrias etc… Me sensibilizo ao ver pessoas reunidas lutando por dias melhores…. Estão de parabéns…

Comentários encerrados.

Top