Detectadas poças radioativas perto de tanques de armazenamento de água na usina nuclear de Fukushima

    Poças com níveis extremamente altos de radiação foram encontradas perto de tanques de armazenamento de água na usina nuclear de Fukushima, alertou nesta segunda-feira o órgão operador e regulador do setor atômico no Japão. Matéria da AFP, no UOL Notícias. O nível radioativo, medido cerca de 50 centímetros acima da água tóxica, era de cerca de 100 milisieverts por hora, noticiou a agência de notícias Kyodo, citando a companhia Tokyo Electric

Solução para água radioativa em Fukushima parece cada vez mais distante

    A companhia japonesa Tepco diz ter conseguido controlar a radioatividade em Fukushima, palco de acidente nuclear após tsunami em 2011. Mas vazamento de água radioativa continua contaminando o Pacífico. A Tokyo Electric Power Company, conhecida como Tepco, é responsável pela restauração do complexo de usinas atômicas Fukushima Daiichi e pela reparação dos danos causados pelo acidente nuclear de dois anos atrás, consequência de um sismo seguido de um tsunami no litoral

Água de Fukushima que vazou no mar mantém os níveis radioativos do desastre de 2011

  Usina de Fukushima, após o desastre nuclear – Em 11 de março de 2011, o mundo soube da tragédia de Fukushima: um fortíssimo terremoto e um tsunami de grandes proporções, a que se seguiu a explosão de uma usina nuclear com todas as consequências de um acidente nuclear: a difusão de radioatividade, que permanecerá ativa durante anos, ameaçando muitas gerações. Foto: DW   A Tokyo Electric Power (Tepco), empresa operadora da usina

Desastre nuclear esquecido: Operadora de Fukushima admite vazamento de água radioativa no mar

  Usina de Fukushima, após o desastre nuclear – Em 11 de março de 2011, o mundo soube da tragédia de Fukushima: um fortíssimo terremoto e um tsunami de grandes proporções, a que se seguiu a explosão de uma usina nuclear com todas as consequências de um acidente nuclear: a difusão de radioatividade, que permanecerá ativa durante anos, ameaçando muitas gerações. Foto: DW   A Tokyo Electric Power (TEPCO), operadora da central de

Denúncia: Pesquisa inconclusiva sobre mineração de urânio foi usada para ‘negar’ a incidência de câncer em Caetité (Bahia)

  MAIS UM ESCÂNDALO ABALA O PROGRAMA NUCLEAR BRASILEIRO A Indústrias Nucleares do Brasil levou muitos anos disseminando mentiras, como verdades cientificas incontestáveis, buscando negar que irradiação do urânio causa câncer   Audiência pública para debater situação da energia nuclear pós Rio+20. Data: 22/05/2013. Foto de Antonio Augusto / Câmara dos Deputados   [Por Zoraide Vilasboas] A representante da Comissão Paroquial de Meio Ambiente de Caetité (Bahia), Ione Rochael, denunciou à Comissão de Meio Ambiente da

No terceiro incidente em poucas semanas, Fukushima registra novo vazamento de água radioativa

    Terceiro incidente em poucas semanas aumenta as dúvidas sobre a segurança da usina nuclear japonesa. Operadora Tepco descarta a possibilidade de contaminação da água do mar. A operadora da usina de Fukushima anunciou nesta terça-feira (09/04) a descoberta de um novo vazamento em um dos tanques de armazenamento de água radioativa. Apesar de garantir que não houve contaminação do mar, a descoberta elevou as preocupações sobre a segurança da instalação nuclear. O

Alemanha busca alternativa para depositar de forma permanente o lixo atômico

    País caminha em direção a uma nova matriz energética, mas encontra dificuldades para decidir o que fazer com o lixo já existente. Atual depósito é considerado temporário, e acordo político pode facilitar solução. Desde o acidente nuclear de Fukushima, em 2011, a Alemanha trabalha na busca de alternativas mais seguras para o seu modelo energético e planeja o desligamento de todos os reatores até 2022. Oito já foram desligados, mas, enquanto

França se recusa a receber concentrado de urânio e carga retorna a Caetité, BA

  [Por Zoraide Vilasboas] A Comissão Paroquial de Meio Ambiente de Caetité e outras entidades estão reunidas agora a noite, avaliando a nova confusão criada pela Indústrias Nucleares do Brasil (INB) que acaba de protagonizar mais uma trapalhada. Doze contêineres contendo concentrado de urânio que saíram, ontem, para o Porto de Salvador, ficou na Policia Militar em Feira de Santana e hoje tomou o caminho de volta para Caetité. Segundo oficio do

Cúpula dos Povos: ONGs denunciam contaminação em minas de urânio na Bahia

  Organizações não governamentais (ONGs) cobram transparência das atividades que envolvem energia nuclear no país. Durante a Cúpula dos Povos, evento paralelo à Conferência das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável (Rio+20), representantes de ONGs denunciaram que são ignorados os casos de trabalhadores contaminados por urânio no município de Caetité, na Bahia. Durante debate da Articulação Antinuclear Brasileira e da Coalizão contra Usinas Nucleares no Brasil, a representante do grupo, Zoraide Vilas

Comissão de Minas e Energia da Câmara rejeita plebiscito sobre construção de depósitos de rejeitos radioativos

  A Comissão de Minas e Energia rejeitou, na quarta-feira (30), o Projeto de Lei 2352/11, do deputado Taumaturgo Lima (PT-AC), que condicionava a construção de qualquer depósito intermediário ou final de rejeitos radioativos à prévia aprovação popular, por meio de plebiscito. A matéria, que tramita em caráter conclusivo, será arquivada, exceto se houver recurso para que seja votada pelo Plenário da Câmara. O relator, deputado Gabriel Guimarães (PT-MG), argumentou que a proposta

Marina Silva afirma que energia nuclear deixa ‘castigo’ para futuras gerações

  A ex-senadora e ex-ministra do Meio Ambiente Marina Silva reafirmou, em 1/6, sua posição contrária ao emprego da energia nuclear pelo Brasil. “Não é uma energia segura, não se sabe o que fazer com os resíduos, e vai ficar, não como um legado, mas como um castigo para as futuras gerações”, afirmou, após participar do seminário Energia Limpa: Oportunidades e Desafios no Brasil. O evento faz parte da programação da Coordenação

Urânio da Bahia: Caetité não quer virar lixão atômico

  [Por Zoraide Vilasboas, para o EcoDebate] Um ano depois que um levante popular tentou impedir que 90 toneladas de material atômico do Centro Tecnológico da Marinha, em Iperó (SP), chegassem à unidade da Indústrias Nucleares do Brasil (INB), em Caetité, além de conviver com o medo da contaminação da água, as populações afetadas pela mina de urânio continuam desassistidas pelo Estado, vítimas da omissão e inoperância dos poderes públicos, ante

Usina de Fukushima levará 40 anos para ser desativada, diz Tepco

  A empresa que administra a Usina Nuclear de Fukushima Daiichi, no Nordeste do Japão, informou ontem (15) que a desativação completa da central levará cerca de 40 anos. A direção da Tepco, que administra a unidade, explicou que há uma agenda para que a desativação ocorra. Em 11 de março deste ano, houve uma série de vazamentos e explosões na usina em decorrência de terremoto seguido de tsunami no Japão. De

Após protestos de pescadores japoneses, Tepco desiste de lançar água de Fukushima ao mar

  A Tokyo Electric Power Company (Tepco), operadora da usina nuclear de Fukushima Daiichi, resolveu ouvir os protestos de pescadores japoneses e desistiu de lançar a água da central ao mar, informou a emissora NHK nesta sexta-feira. O anúncio foi feito no dia em que o primeiro-ministro do Japão, Yoshihiko Noda, deve divulgar a "parada fria" nos reatores 1, 2 e 3 de Fukushima. Matéria da EFE. Isso significa que as temperaturas dessas

Tepco, operadora da usina nuclear danificada de Fukushima, pode despejar água contaminada no mar

  A operadora da usina nuclear danificada de Fukushima, no Japão, está considerando despejar no oceano a água que foi tratada para a contaminação radioativa, e isso pode ocorrer ainda em março, disse a empresa nesta quinta-feira, incitando protestos de grupos pesqueiros. A Tokyo Electric Power (Tepco), operadora da usina Fukushima Daiichi, que foi atingida por um massivo tsunami em março e desencadeou o pior acidente nuclear em 25 anos no mundo,

Depois do desastre nuclear de Fukushima, volta discussão sobre a solução do destino do lixo atômico

  O desastre nuclear de Fukushima, no Japão, no início do ano levou muitos países a repensarem seu apetite por energia atômica. Ele também está alterando, de forma mais sutil, a discussão atormentada do que fazer com o lixo das usinas nucleares. Um exemplo importante é a Alemanha, que decidiu fechar todas as suas usinas nucleares até 2022, após o derretimento parcial do reator em Fukushima. A decisão está tornando mais fácil

Caos e medo em Caetité: a violação dos direitos humanos. Entrevista com Marijane Lisboa

  A Unidade de Concentrado de Urânio das Indústrias Nucleares do Brasil – URA-INB, “que minera e transforma urânio mineral em licor de urânio e este em concentrado de urânio, a principal matéria-prima do combustível nuclear”, entrou em funcionamento há uma década no município de Caetité, na Bahia e desde então aumentam as denúncias de crimes ambientais e violação dos direitos humanos. Nesses dez anos de atuação, “registraram-se muitos acidentes, objeto

Japão terá de retirar 29 milhões de m3 de terra contaminada por radiação na região de Fukushima

  Japão faz 1a estimativa sobre limpeza ambiental em Fukushima - O Japão terá de retirar 29 milhões de metros cúbicos de terra contaminada por radiação na região de Fukushima, numa área quase equivalente à de Tóquio, disse o Ministério do Meio Ambiente na primeira estimativa oficial sobre a dimensão dessa tarefa. Por Yoko Kubota, na Reuters. Seis meses depois do terremoto e do tsunami de 11 de março que desencadearam o

Comissão da Câmara aprova plebiscito antes da instalação de depósitos de rejeitos radioativos

  A Comissão de Minas e Energia aprovou, nesta quarta-feira, proposta que condiciona a construção de depósitos de rejeitos radioativos à aprovação da obra por meio de plebiscito no município que deverá receber o lixo atômico. A medida está prevista no Projeto de Lei 1801/11, do deputado Ronaldo Caiado (DEM-GO). Pela proposta, os plebiscitos serão obrigatórios nos casos de instalação de depósitos intermediários e finais, ambos sob responsabilidade da Comissão Nacional de

Uranium Film Festival em Recife 11 a 13 de agosto de 2011

Césio 137 vai brilhar no Recife O filme brasileiro "Césio 137. O brilho da morte" foi um dos vencedores do International Uranium Film Festival, o primeiro festival internacional sobre Energia Nuclear e riscos radioativos do Rio de Janeiro que aconteceu no último mês de maio. Agora entre os dias 11 e 13 de agosto "O brilho da morte" do Diretor Luiz Eduardo Jorge vai abrir na mostra itinerante do Uranium Film

Top