Restaurar florestas degradadas recupera serviços ecossistêmicos e armazena carbono

  Restaurar florestas degradadas recupera serviços ecossistêmicos e armazena carbono Mais da metade do carbono acima do solo do mundo é armazenado em florestas tropicais, cuja degradação representa uma ameaça direta à regulação climática global. Arizona State University* O desmatamento remove o carbono acima do solo na forma de árvores, reduzindo o tamanho dos estoques globais de carbono no processo. Uma vez que as florestas são degradadas, muitas vezes são percebidas como tendo pouco

Restauração ecológica, caminho para superarmos a crise hídrica

  Restauração ecológica, caminho para superarmos a crise hídrica Artigo de Natasha Choinski [EcoDebate] Como jamais visto, o Paraná enfrenta há meses uma séria crise hídrica, potencializada por um momento de pandemia, que não será tão simples de superar. A maioria dos reservatórios de abastecimento público, principalmente os da capital paranaense, estão muito abaixo do nível normal. Além disso, o momento de estiagem ainda pode se estender por, no mínimo, mais um

Plantio de novas florestas é parte da solução para as mudanças climáticas, mas não é tudo

  Por Anne Manning* ** O plantio em larga escala de novas florestas em áreas anteriormente livres de árvores, uma prática conhecida como florestamento, é aclamada como uma maneira eficiente de remover o excesso de dióxido de carbono da atmosfera - a chamada solução climática natural. Mas um novo estudo liderado por um pesquisador de biologia da Universidade Estadual do Colorado descobriu que o potencial de captura de carbono da florestação pode estar

Rio conclui plantio de 13.725 mudas na Floresta dos Atletas

  A prefeitura do Rio de Janeiro concluiu ontem (10) o plantio da Floresta dos Atletas, no Parque Radical de Deodoro, na zona oeste da cidade. O espaço recebe as 13.725 mudas de 207 espécies da Mata Atlântica, promessa feita durante a Olimpíada Rio 2016. O evento marca a revitalização da área degradada nas últimas décadas. Atletas olímpicos, representantes de clubes, alunos da rede municipal de ensino, de projetos sociais e estudantes

Reflorestamento: compromisso com o futuro, artigo de Bernardo Egas

    Já são 3,4 mil hectares reflorestados, espalhados em 92 bairros, com o Programa de Reflorestamento do Município do Rio de Janeiro. O Programa de Reflorestamento do Município do Rio de Janeiro, ao longo de seus 33 anos, apresenta números que impressionam. Já são 3,4 mil hectares reflorestados, espalhados em 92 bairros, com a capacitação de 15 mil trabalhadores de comunidades carentes que passaram pela experiência de trabalho no mutirão. Este é um

Rio dá início ao plantio das 13.725 mudas, de 207 espécies da Mata Atlântica, na Floresta dos Atletas

  A prefeitura do Rio iniciou ontem (25) no Parque Radical, em Deodoro, zona oeste da cidade, o plantio da Floresta dos Atletas, promessa feita durante a Olimpíada Rio 2016.   Estudantes da rede municipal do Rio ajudam a plantar. mudas na Floresta dos Atletas. Foto: Marcos de Paula/Prefeitura do Rio ABr O espaço vai abrigar 13.725 mudas de 207 espécies da Mata Atlântica e honrar o compromisso assumido ao vivo, anunciado para 3 bilhões

Reflorestamento de áreas degradadas da Amazônia requer participação da sociedade

    Pedro Brancalion atua na Amazônia há anos e revela uma ausência assustadora do Estado: “É terra sem lei” Por Jose Carlos Ferreira, Jornal da USP no Ar   https://jornal.usp.br/wp-content/uploads/2019/08/REFLORESTAMENTO-AMAZONIA.mp3   Agosto registra mais focos de queimadas na Amazônia que a média dos últimos 21 anos, aponta o Programa Queimadas do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Essa situação crítica, na maior floresta tropical do planeta, faz com que os olhos do mundo se voltem para

É possível recuperar 12 milhões de hectares de vegetação nativa do país até 2030, indica relatório

  Documento lançado pela Plataforma Brasileira de Biodiversidade e Serviços Ecossistêmicos estima que restauração florestal sequestraria 1,39 megatonelada de CO2 da atmosfera e aumentaria em 200% a conservação da biodiversidade, sem prejuízos à agropecuária   (foto: Leticia Garcia)   Elton Alisson | Agência FAPESP – O Brasil perdeu 71 milhões de hectares de vegetação nativa nos últimos 30 anos – área maior que a ocupada pela Amazônia – em decorrência de desmatamento e queimadas, entre

Em campanha histórica, Etiópia planta mais de 350 milhões de árvores em um dia

    País conseguiu estabelecer novo recorde mundial; iniciativa visa combater os efeitos do desmatamento e da mudança climática na Etiópia. ONU News Em um dia recorde esta semana, no Jardim Botânico Gulele, em Adis Abeba, a Etiópia lançou uma campanha histórica de plantio de árvores. Mais de 350 milhões de árvores foram plantadas em um movimento para combater os efeitos do desmatamento e da mudança climática. As Nações Unidas estimam que a cobertura florestal

11% das florestas tropicais úmidas degradadas podem ser restauradas para maiores benefícios de carbono, água e vida selvagem

  Pesquisadores apontam pontos críticos de restauração em 15 países, incluindo o Brasil, a Indonésia, a Índia e a Colômbia, em quatro continentes, onde as florestas revitalizantes proporcionariam os maiores benefícios de carbono, água e vida selvagem PARTNERS Reforestation Network*     Em um relatório revisado por pares divulgado, os pesquisadores identificaram mais de 100 milhões de hectares de florestas tropicais de terras baixas perdidas - áreas de restauração - espalhadas pela América Central e

Estudo mostra que o reflorestamento seria o método mais eficaz para combater as mudanças climáticas

  Cerca de 0,9 bilhão de hectares de terra em todo o mundo seriam adequados para o reflorestamento, o que poderia capturar dois terços das emissões de carbono produzidas pelo homem. O Crowther Lab da ETH Zurich publicou um estudo na revista Science , que mostra que este seria o método mais eficaz para combater a mudança climática. O reflorestamento seria o método mais eficaz para combater as mudanças climáticas . (Imagem: Vershinin-M / iStock) O Laboratório Crowther

Conhecimento indígena, chave para projetos de restauração ecológica bem-sucedida

  Projetos de restauração ecológica envolvendo ativamente povos indígenas e comunidades locais são mais bem-sucedidos. Este é o resultado de um estudo realizado pela ICTA-UAB, que valoriza a contribuição do conhecimento indígena e local na restauração de ecossistemas degradados. Universitat Autònoma de Barcelona*     Os povos indígenas e as comunidades locais são afetados por mudanças ambientais globais porque dependem diretamente de seu ambiente imediato para atender às necessidades básicas de subsistência. Portanto, salvaguardar e restaurar

Reflorestamento no Camboja traz chuvas de volta para região seca por causa da perda de cobertura vegetal

Reflorestamento - Na montanha de Kulen, no Camboja, um projeto apoiado pela ONU Meio Ambiente promove a restauração de ecossistemas devastados e auxilia aldeões a encontrar meios de subsistência sustentáveis, evitando a atividade madeireira. A recuperação da mata aumentou o volume de chuvas, antes abundante, mas reduzido em anos recentes por causa da perda de cobertura vegetal. ONU Brasil Mulheres retiram ervas daninha num viveiro de mudas no topo da montanha de

Com projetos de restauração ecológica de larga escala, a área florestal total da China aumentou 74,3 milhões de hectares

  Restauração Ecológica Na década de 1980, a região montanhosa de Qianyanzhou, na província de Jiangxi, sul da China, enfrentou uma severa erosão do solo devido ao desmatamento e a práticas agrícolas insustentáveis. O solo vermelho fértil estava desaparecendo, o que fez com que os rendimentos das colheitas caíssem. Mas uma mudança notável ocorreu nos últimos 30 anos graças a um plano de uso da terra apoiado pelo governo chinês que reflorestou montanhas

Pesquisa identifica áreas para restaurar a Mata Atlântica com custo-benefício oito vezes maior

  Mata Atlântica - Estudo publicado na revista Nature Ecology & Evolution apresenta algoritmo inédito que combina conservação da biodiversidade, mitigação de mudanças climáticas e redução de custos Por Kellen Leal Uma pesquisa inédita desenvolveu um algoritmo capaz de identificar as áreas prioritárias da Mata Atlântica a serem restauradas combinando três fatores essenciais: conservação da biodiversidade, mitigação de mudanças climáticas e redução de custos. A equipe liderada pelo professor da Pontifícia Universidade Católica

Rio de Janeiro pode economizar R$ 156 mi em tratamento de água com investimentos em restauração florestal

  Restauração Florestal - Estudo mostra que investir no plantio de florestas reduz a quantidade de sedimentos nos rios, diminuindo os gastos da Cedae     A maior estação de tratamento de água do mundo, a ETA Guandu, no Rio de Janeiro, pode reduzir substancialmente seus gastos com investimentos em restauração florestal. Um estudo indica que plantar florestas pode resultar numa economia de R$ 156 milhões em 30 anos. A estação faz o tratamento

Biodiversidade otimiza processos ecológicos que contribuem para reduzir efeitos das mudanças climáticas

  Diversidade de árvores favorece restauração de florestas Jornal da USP A conservação e restauração de florestas é favorecida quando há uma diversidade de espécies arbóreas cerca de quatro vezes maior que a habitualmente utilizada em trabalhos de BEF (Biodiversidade e Funcionamento de Ecossistemas) em florestas. A conclusão é apresentada em pesquisa da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq) da USP, em Piracicaba. De acordo com o estudo, a maior variedade

Estudo comprova viabilidade econômica de reflorestamento com espécies nativas

    O Brasil se comprometeu a restaurar e reflorestar 12 milhões de hectares até 2030 como parte de sua meta climática no Acordo de Paris. Isso significa que é preciso dar escala a projetos de reflorestamento de espécies nativas e de sistemas agroflorestais, que precisam ser rentáveis para atrair investimentos. “Poucos países têm a vocação florestal do Brasil e é possível olhar para este tema na lógica das oportunidades de negócio", afirma

Iniciativa prevê a recuperação 30 mil hectares de áreas degradadas na Amazônia até 2023

  ONU Uma iniciativa para a recuperação de áreas degradadas na Amazônia brasileira prevê a recuperação, nos próximos seis anos, de uma área de quase 30 mil hectares, o que corresponde a um número estimado de 73 milhões de árvores. A ação é resultado de parceria entre Ministério do Meio Ambiente (MMA), Fundo Global do Meio Ambiente (GEF – Global Environment Facility), Banco Mundial, Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (Funbio), Conservação Internacional (CI-Brasil),

RJ: Reflorestamento na Bacia Hidrográfica de Rio das Flores chega a 100 mil mudas plantadas

  ABr     A mata ciliar do principal manancial de abastecimento público de Valença, no interior fluminense, já conta com 100 mil novas mudas de plantas graças ao Projeto Água de Rio das Flores, da Secretaria de Estado do Ambiente (SEA) do Rio de Janeiro. O Rio das Flores é responsável pelo abastecimento de aproximadamente 50 mil pessoas, o equivalente a 80,6% da população total do município. O projeto prevê o plantio de 1

Top