Introdução à Agrossilvicultura: Tipos, Relevância e Vantagens

 

Agrossilvicultura – Wikipédia
Agrossilvicultura – Wikipédia

Introdução à Agrossilvicultura: Tipos, Relevância e Vantagens

Com o fim de combater a mudança climática, nosso sistema agrícola precisa mudar e adotar práticas que sejam mais sustentáveis para o planeta.

A agrossilvicultura constitui uma opção sustentável para poder continuar fornecendo os produtos para alimentar a uma população crescente ao mesmo tempo que reduz os efeitos negativos da atual agricultura intensiva.

A agrossilvicultura é uma combinação da agricultura e a silvicultura pois este sistema produtivo inclui as árvores, o gado e o pasto numa mesma unidade produtiva. Assim, enquanto cultivam as culturas também plantam árvores de interesse na área, conseguindo um reflorestamento sustentável.

Este sistema tem como objetivo aumentar a produção da terra ao mesmo tempo que mantém a biodiversidade local. Além disso, apresenta vantagens para o solo, melhorando sua fertilidade e diminuindo sua erosão.

Podemos diferenciar três tipos principais de agrossilvicultura: o sistema agroflorestal, silvopastoril e agrossilvopastoril.

O sistema agroflorestal baseia-se na integração da floresta com os cultivos de culturas. Desta maneira, as safras podem se cultivar de dois a quatro anos. Porém, para evitar perdas econômicas no longo prazo, é recomendável não cultivar repetidamente as mesmas safras. Outra característica deste sistema é o espaçamento. Quanto maior o espaço entre cultivos, melhor será seu rendimento.

No sistema silvopastoril, plantas, árvores ou arbustos são cultivados principalmente para forragem, o gado, assim como para melhorar a qualidade do solo. O sistema de silvopasto pode ser classificado em três categorias: árvores e arbustos em pastagens para a produção de forragem tais como Acacia nilotica, cercas vivas de árvores forrageiras e sebes, como Sesbania grandiflora para seu fortalecimento, assim como bancos de proteínas, que são árvores enriquecidas com proteínas para fornecer alimento aos animais, como Albizia lebbeck.

Por outro lado, o sistema agrossilvopastoril combina as anuais e pastagens com perenes lenhosas. A primeira categoria são as sebes lenhosas que são usadas para a conservação do húmus e solo, e para o estrume verde devido ao seu rápido crescimento. Alguns exemplos são Erythrina spp. ou Sesbania grandiflora. Na segunda categoria encontramos os jardins domésticos, habituais na Ásia do Sul e na América do Sul, regiões com uma alta taxa de precipitação. Além de permitir o suporte de componentes animais, promovem uma alta produtividade e uma melhor sustentabilidade. Como plantas lenhosas, incluem-se Citrus spp. ou Anacardium Occidentale, enquanto a cebola, a batata ou a banana constituem as principais plantas herbáceas deste sistema.

A agrossilvicultura oferece uma visão holística do setor que inclui os fatores da agricultura e a silvicultura, tendo em conta o gado. Assim, permite proteger e conservar a terra, as plantas e os animais. Por isso, apresenta inúmeras vantagens. A plantação de árvores nas áreas de cultivo fornece nutrientes e fixa o nitrogênio para os cultivos, o que permite um desenvolvimento mais saudável das culturas. Além disso, abastece as famílias de recursos como alimentos, remédios ou madeira. Ao serem capazes de estabilizar o clima, mantêm uma temperatura local favorável para o crescimento de cultivos assim como condições favoráveis para a vida dos animais, portanto, estimula a biodiversidade da área. A sua vez, a presença das árvores protege e mantém os recursos naturais como, por exemplo, melhorando a qualidade da água ou favorecendo a fertilidade do solo. Desta maneira, a probabilidade de riscos por pragas ou doenças diminui. Finalmente, numa visão global, a plantação de árvores permite reduzir o impacto da mudança climática pois armazena o carbono e, por conseguinte, reduz as emissões de carbono.

Tudo isso faz com que a agrossilvicultura constitua uma opção muito mais sustentável para o negócio, que não só tem vantagens ambientais mas também econômicas. Fortalecendo o sentimento de comunidade, favorece a produção e o consumo local, o que incrementa os lucros, enquanto oferece oportunidades de trabalho.

Para encarar o problema da mudança climática e a falta de recursos numa população cada vez mais crescente, é necessário mudar e adotar novos sistemas de produção primária e a agrossilvicultura constitui uma alternativa sustentável com grandes benefícios para ambas a natureza e a população.

 

in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 27/08/2021

 

A manutenção da revista eletrônica EcoDebate é possível graças ao apoio técnico e hospedagem da Porto Fácil.

 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate com link e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394,

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Top