Aviso de alterações no Portal EcoDebate

Amig@s leitores(as) do Portal EcoDebate,     Como vocês sabem, o EcoDebate é atualizado diariamente, em uma única edição, a partir da qual é enviado, aos(às) assinante, o boletim diário de atualização. É o modelo usual em revistas eletrônicas. No entanto, há algum tempo, leitoras e leitores vem solicitando que o formato mude para o adotado pelos jornais online, cujos artigos e matérias são atualizados ao longo do dia e as newsletters, como nosso

Portal EcoDebate: Índice da edição nº 2.206, de 02/12/2014

    Certificação e gestão ambiental voluntária de florestas, artigo de Roberto Naime Ambiente contra Agricultura, artigo de Efraim Rodrigues COP20: Governos se reúnem em Lima para discutir novo tratado global sobre o clima COP20: Brasil propõe compromissos globais para próximas décadas Ameaça global: Crise hídrica em São Paulo serve de alerta para muitas outras metrópoles ANA reduz vazão de barragem para preservar estoque de água no Rio Paraíba do Sul Governo

Certificação e gestão ambiental voluntária de florestas, artigo de Roberto Naime

  © WWF-Brasil/Bruno Taitson   [EcoDebate] Sempre que a gente lê a palavra “voluntária” lembra imediatamente das normas das sério ISO (International Organization for Standardization ou Organização Internacional de Padronização) que no Brasil é representada pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). Isto porque todos os procedimentos e o ingresso no processo de certificação, seja de qualidade (série 9000), seja de meio ambiente (série 14000) ou de qualquer outra finalidade, sempre são ingressos livres

Ambiente contra Agricultura, artigo de Efraim Rodrigues

    [EcoDebate] O último lance da queda de braço entre agricultura e ambiente é a indicação da Senadora Kátia Abreu para o Ministério da Agricultura. A resistência da Presidente com a natureza e o pensamento a longo prazo é histórica, mas ela poderia ter aproveitado a oportunidade para construir a necessária ponte entre ambiente e agricultura, ao invés de destruí-la com um nome que não é bem aceito por nenhum ambientalista e

COP20: Governos se reúnem em Lima para discutir novo tratado global sobre o clima

    Começou nesta segunda-feira (01) reunião com líderes de 196 nações que, durante 12 dias, participam da Conferência da ONU sobre Mudança Climática na capital peruana, onde vão debater o rascunho do novo acordo a ser adotado em dezembro de 2015, que entrará em vigor em 2020. A capital do Peru, Lima, recebe desde esta segunda-feira (01) líderes de 196 nações que participam da Conferência da ONU sobre Mudança Climática com o

COP20: Brasil propõe compromissos globais para próximas décadas

    Edição deste ano da Conferência sobre a Mudança do Clima é a primeira realizada em área da Floresta Amazônica   O Brasil apresentará na 20ª Conferência das Partes da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre a Mudança do Clima (COP 20) proposta para que todos os países assumam compromissos de longo prazo, a partir de 2020, para redução de emissões. A conferência acontece de 1º a 12 de dezembro, em Lima, no Peru. A ministra do Meio Ambiente,

Ameaça global: Crise hídrica em São Paulo serve de alerta para muitas outras metrópoles

    O pescador Ernane da Silva olha para o vale que se estende a seus pés. No local onde pescou por três décadas agora só resta erva daninha e terra seca, ressecada pelo sol. São Paulo sofre com a pior seca em 80 anos. A crise hídrica serve de alerta para muitas outras metrópoles: o desmatamento, as temperaturas mais altas e a expansão dos centros urbanos reproduzem este desastre em outros cantos

ANA reduz vazão de barragem para preservar estoque de água no Rio Paraíba do Sul

    A Agência Nacional das Águas (ANA) determinou que a barragem em Santa Cecília reduza a vazão de água de 190 m³/s para 160 m³/s, até 31 de dezembro deste ano. Com a medida, a agência pretende preservar os estoques de água do reservatório da bacia do Rio Paraíba do Sul, composto também pelos barramentos de Paraibuna, Santa Branca, Jaguari e Funil. A medida foi publicada no Diário Oficial da União de

Governo e agência garantem que seca não vai atrapalhar transposição do Rio São Francisco, comentário de João Suassuna

    Meus Prezados, Na reportagem do Jornal Nacional, de 30/11, sobre a transposição do São Francisco, as assertivas do presidente da Agência Nacional de Águas (ANA) e do Ministro da Integração, de que os volumes retirados do rio, pelo projeto, são irrisórios, mostrou um semblante de preocupação em ambos. Pudera: afirmar que serão insignificantes os volumes que serão transpostos, em um momento no qual o rio está praticamente seco, bem retrata a

Seminário ‘Hidrelétricas no Tapajós: Resistência e Perspectiva’

    A história dos grandes projetos na Amazônia não é nova, de fato pode-se até dizer que a semente que a fez germinar posteriormente foi plantada ainda durante a invasão dos europeus a esta região. Avança depois com os governos da ditadura, consolidando-se com os contemporâneos, governos componente de um Estado fomentador de políticas autoritárias, porém travestidas com uma manta democrática. Belo Monte pode ser considerada o símbolo desta retomada. Imediatamente após

PEC 215: Relator mantém demarcação de terras indígenas pelo Congresso Nacional

    Pela proposta, o projeto de lei terá de ser apresentado pelo presidente da República. Relator também inclui direito à indenização ao proprietário no texto A comissão especial que analisa a proposta (PEC 215/00) que submete ao Congresso a decisão final sobre a demarcação de áreas indígenas pode votar nesta quarta-feira (3) o parecer do relator, deputado Osmar Serraglio (PDMB-PR). A reunião está marcada para as 14h30, no plenário 12. Serraglio apresentou substitutivo

PEC 215: Ruralistas ampliam ataque aos direitos fundiários dos povos indígenas

    O Conselho Indigenista Missionário (Cimi) repudia veementemente o texto do “Substitutivo à Proposta de Emenda à Constituição 215/2000” apresentado pelo deputado ruralista Osmar Serraglio (PMDB-PR), no dia 17 de novembro de 2014 (LEIA INTEIRO TEOR). A PEC 215/2000 e seu Substitutivo é descaradamente inconstitucional e ultrajante aos povos. Inviabiliza novas demarcações de terras indígenas. Reabre procedimentos administrativos já finalizados. Legaliza a invasão, a posse e a exploração das terras indígenas

Top