Portal EcoDebate: Índice da edição nº 1.571, de 16/04/2012

  A máquina em nós, artigo de Efraim Rodrigues Dia Nacional da Conservação do Solo – O Que Comemorar? Artigo de Antonio Mario Reis de Azevedo Coutinho Dia da Conservação do Solo: 'Protegerás o solo e o delegarás sadio às gerações futuras', artigo de Julio Cesar Rech Anhaia A disputa pelas terras devolutas entre a agricultura familiar e o agronegócio, por Mayron Régis A barbárie da devastação. Entrevista com o antropólogo

A máquina em nós, artigo de Efraim Rodrigues

  [EcoDebate] Cresci ouvindo minha mãe falar "- Odeio maquinas!” Elas eram todas responsabilidade de meu pai, excluindo sua, até hoje querida, máquina de escrever. Ambientalistas de variadas extirpes nutrem igual impaciência tecnológica. Adoramos ouvir o idilismo ingênuo de " Casa no campo" e imaginar como seríamos felizes morando em uma casa de tamanho ideal de pau a pique e sapê. Sem esquecer que o frugalismo é o único caminho que pode nos

Dia Nacional da Conservação do Solo – O Que Comemorar? Artigo de Antonio Mario Reis de Azevedo Coutinho

  [EcoDebate] No dia 15 de abril comemorou-se em todo o País, o Dia Nacional da Conservação do Solo. Esta data foi instituída pela Lei Federal no. 7.876, de 13 de novembro de 1989, que determina no seu artigo 1º: “Fica instituído o Dia Nacional da Conservação do Solo a ser comemorado, em todo o País, no dia 15 de abril de cada ano”. A criação desta data demonstra a importância

Dia da Conservação do Solo: ‘Protegerás o solo e o delegarás sadio às gerações futuras’, artigo de Julio Cesar Rech Anhaia

  “O homem branco deve ensinar às suas crianças que o solo a seus pés é a cinza de nossos avôs”. Para que respeitem a terra, deve ensinar a seus filhos que a terra foi enriquecida com a vida de nossos antepassados, que ela é nossa mãe. Tudo aquilo que acontecer a terra, acontecerá também aos filhos dela. Se os homens cospem no solo, estão cuspindo neles mesmos. Sabemos que a terra

A disputa pelas terras devolutas entre a agricultura familiar e o agronegócio, por Mayron Régis

A disputa pelas terras devolutas entre a agricultura familiar e o agronegócio: Os casos de Buriti Corrente e Gostoso, região dos Cocais, MA [Territórios Livres do Baixo Parnaíba] A concessão de liminares de reintegração de posse por parte da justiça estadual do estado do Maranhão sem que sejam observados os devidos cuidados quanto ao processo, se é que existe um processo em todo o caso, comparece como um dos mais expressivos

A barbárie da devastação. Entrevista com o antropólogo Emilio Moran

  MARIA TERESA MANFREDO Especial para o JU Quando o assunto é a questão ambiental, precisamos ter um debate mais franco sobre quais são de fato as necessidades humanas e, consequentemente, o que significa ter uma vida confortável e economicamente viável. É o que preconiza o antropólogo Emilio Moran, professor visitante no programa de pós-graduação em Ambiente e Sociedade do Núcleo de Estudos e Pesquisas Ambientais (Nepam) da Unicamp. Moran está ministrando um

Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) cobra novas explicações do Brasil sobre violações de direitos por Belo Monte

  A Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH), órgão da Organização dos Estados Americanos (OEA), notificou o governo brasileiro nesta quarta, 11, para que preste esclarecimentos sobre a situação das comunidades tradicionais da bacia do Rio Xingu, afetadas pela construção da Usina Hidrelétrica de Belo Monte. Esta é a segunda notificação do governo, já cobrado a se explicar em abril de 2011. Entre as informações solcitadas pela CIDH, estão esclarecimentos sobre alterações

Denúncia: Despejo no Tocantins pretende desabrigar cerca de mil famílias

  O Governo de Tocantins pretende despejar cerca de 1000 famílias do acampamento Sebastião Bezerra, próximo à cidade de Palmas,capital, na rodovia que vai para Porto Nacional. Entre os futuros desabrigados estão 300 crianças, que vão à escola regularmente e terão essa rotina seriamente comprometida se o despejo for levado a cabo. Muita das famílias que estão no local não tem outra casa ou lugar para onde ir, e além da

MP-RJ pede suspensão de licença ambiental de obras no Complexo Industrial de Açu, norte do estado

  O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MP-RJ) entrou na Justiça pedindo suspensão da licença ambiental das obras de instalação da Siderúrgica Ternium, no Complexo Industrial de Açu, norte do estado. Na área, pertencente à empresa LLX, estão sendo construídos outros empreendimentos industriais, além da usina. A ação civil pública foi ajuizada pelos promotores Êvanes Soares Júnior e Vinícius Lameira na 1ª Vara da Comarca de São João

AM: Justiça determina interdição de obras no entorno do Encontro das Águas

  Empresa Amazon Aço já havia sido proibida de continuar a obra, mas descumpriu decisão judicial; multa fixada na última decisão em caso de descumprimento é de R$ 100 mil Atendendo a pedido do Ministério Público Federal no Amazonas (MPF/AM), a Justiça Federal determinou a interdição completa das obras realizadas pela empresa Amazon Aço no perímetro do Encontro das Águas e a busca e apreensão de máquinas e equipamentos de construção que

MPF/SP quer suspensão imediata da queima da palha da cana na região de Piracicaba

  Para chamar atenção para o problema ambiental, petição foi apresentada à Justiça em DVD multimídia, que inclui depoimentos gravados, imagens de queimadas e reportagens O Ministério Público Federal pediu à Justiça Federal o cancelamento imediato de todas as autorizações de queima controlada da palha da cana-de-açúcar na região de Piracicaba. As autorizações foram concedidas pela Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) sem a exigência do Estudo de Impacto Ambiental

Código Florestal: Uma ‘concepção bandeirante de desenvolvimento’. Entrevista com Maurício Torres

  O novo texto do Código Florestal irá “agravar a vulnerabilidade das populações tradicionais frente os agentes econômicos interessados em suas terras e recursos”, adverte o pesquisador da USP. Confira a entrevista. “Na região oeste do Pará – e comumente em quase toda a Amazônia – o poder político se funde como poder econômico”. É por causa dessa união que os crimes ambientais ocorrem e não são fiscalizados, assegura Maurício Torres, que

Top