Portal EcoDebate: Índice da edição nº 1.305, de 24/03/2011

O fenômeno El Niño, artigo de Roberto Naime Jirau e os acordos espúrios, artigo de Telma Monteiro Amazônia e os grandes projetos: caso de Jirau e Santo Antônio, artigo de Rogério Almeida Os Humanos e as Máquinas, artigo de Benedicto Ismael C. Dutra Desmatamento na Amazônia atingiu 63 km2 em fevereiro As mudanças necessárias para realmente comemorar o Ano Internacional das Florestas Carta do Encontro dos Atingidos e Atingidas pela

O fenômeno El Niño, artigo de Roberto Naime

[EcoDebate] El Niño é o nome dado a um fenômeno que ocorre nas águas do Oceano Pacífico e que altera as condições do clima em diversas partes do planeta. Esta denominação foi criada por pescadores do Peru, em função de que o litoral deste país é muito atingidos pelo fenômeno que causa graves danos. O El Niño dura de 12 a 18 meses com intervalos de 2 a 7 anos. Especificamente

Jirau e os acordos espúrios, artigo de Telma Monteiro

Acordos espúrios têm sido uma constante para viabilizar grandes empreendimentos do PAC na Amazônia, como as usinas Santo Antônio e Jirau no rio Madeira e Belo Monte, no rio Xingu. As conseqüências estão se avolumando. Invasões e saque por parte de madeireiros, pecuaristas e desmatadores em unidades de conservação e terras indígenas. E agora, a revolta justificada dos operários das obras de Jirau. [Ecodebate] O consórcio ESBR, responsável pelas obras de

Amazônia e os grandes projetos: caso de Jirau e Santo Antônio, artigo de Rogério Almeida

[Ecodebate] Desastres, acidentes, trabalho escravo, prostituição infantil, alcoolismo, violência, desmatamento, chacinas e execuções de indígenas e camponeses integram a agenda negativa que costuma tirar do anonimato rincões da Amazônia. Conjunto de passivos, em boa parte, naturalizado pela grande mídia. O rosto autoritário do Estado como indutor da economia organizada a partir de grandes projetos se mantém desde os militares. Perspectiva que se replica na maioria dos quadros de técnicos das instituições

Os Humanos e as Máquinas, artigo de Benedicto Ismael C. Dutra

[EcoDebate] Ao nos depararmos com a intensa luta pela vida, somos assaltados por sentimentos inexplicáveis. Tem-se a impressão de que na Terra não há mais amor nem consideração. Uma enorme pressão paira sobre as cabeças, mantendo a atemorização. São muitas pessoas. Muitas bocas para alimentar. São muitas obrigações a serem cumpridas num tempo cada vez mais curto. Vivemos a tirania dos resultados. Lucro é o que interessa. Custo é pecado. Experimente

Desmatamento na Amazônia atingiu 63 km2 em fevereiro

A Amazônia perdeu 63 quilômetros quadrados (km²) de floresta em fevereiro, de acordo com os números do Sistema de Alerta de Desmatamento (SAD), divulgados ontem (23) pela organização não governamental Instituto do Homem e do Meio Ambiente da Amazônia (Imazon). Na comparação com fevereiro de 2010, quando os satélites registraram 87 km², houve redução de 28% no ritmo da devastação. No entanto, por causa da cobertura de nuvens, os dados podem

As mudanças necessárias para realmente comemorar o Ano Internacional das Florestas

A Assembléia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) declarou 2011 como o Ano Internacional das Florestas, o que motivou o WRM a dedicar seu primeiro boletim do ano a esse relevante fato. Por meio dessa declaração, a ONU afirmou que busca promover “o manejo sustentável, a conservação e desenvolvimento sustentável de todos os tipos de florestas”. O lema do Ano é

Carta do Encontro dos Atingidos e Atingidas pela Mineração na Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco

Mineração: Bem privado, mal público! Nós, organizações e movimentos populares vindos de vários cantos das Bacias Hidrográficas do Rio São Francisco, Rio Doce, Rio Jequitinhonha e Paraíba do Sul, nos reunimos nos dias 19 a 22 de março de 2011, em Ouro Preto, Minas Gerais, no Encontro dos Atingidos e Atingidas pela Mineração na Bacia do Rio São Francisco. Diante do quadro atual da degradação causada pela atividade de mineração

Ambientalistas protestam em sete capitais contra usinas nucleares

Representantes de movimentos sociais e ambientalistas contrários às usinas nucleares no Brasil protestaram ontem (23), entre as 18h e as 22h, no Rio, em São Paulo, Salvador, Porto Alegre, Belo Horizonte, Recife e Fortaleza. No Rio, a manifestação foi em frente à sede da Eletrobras, holding controladora da Eletronuclear, operadora das usinas Angra 1 e Angra 2, em Angra dos Reis. “O acidente radioativo na Usina Nuclear de Fukushima, no Japão,

Governadores do Nordeste admitem rever construção de usinas nucleares na região

O acidente nuclear ocorrido há duas semanas na Usina de Fukushima, no Japão, voltou a colocar em pauta, em todo o mundo, a segurança das usinas nucleares. E, no Brasil, alguns governadores do Nordeste decidiram reavaliar se região deve receber uma das quatro novas usinas que o governo federal pretende construir no país até 2030. "Quem é que vai, em meio à atual discussão, [dizer] "eu quero agora uma usina nuclear

Especialistas aconselham Brasil esperar evolução tecnológica antes de optar por mais usinas nucleares

O Brasil deve aguardar o desenvolvimento de novas tecnologias de construção e funcionamento de usinas nucleares antes de tomar a decisão de incrementar o Programa Nuclear Brasileiro. A opinião é do professor Luiz Pinguelli Rosa, da Coordenação dos Programas de Pós-Graduação de Engenharia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Coppe/UFRJ). Segundo ele, na próxima década, a partir de 2020, começará a instalação de usinas de terceira e quarta geração, que

Licitação de Angra 3 sai na próxima semana

Estimativa é de que a compra de equipamentos para a nova usina nuclear deva atingir R$ 1,5 bilhão. O debate sobre os projetos de energia nuclear, desencadeado pelo temor de vazamento em uma das usinas japonesas após o recente terremoto, não alterou os planos em andamento na Eletronuclear, pelo menos no que se refere às obras de Angra 3, a única usina nuclear do país com obras em andamento. Na próxima

Top