Índice da edição de 26/10/2009

Enquanto a Política Nacional de Segurança de Barragens-PNSB não vem, artigo de Carol Salsa Pescadores artesanais: uma espécie resistente à extinção, artigo de Ruben Siqueira Matar a fome sem matar a vida, artigo de Américo Canhoto Santa Catarina: Estudos sobre impactos ambientais da barragem do Rio Salto são insuficientes MPF/MT quer interdição da mineradora Empresa de Mineração Aripuanã e recuperação da área degradada Cyberativismo: Vote não ao PL 154. Pela manutenção do Código Ambiental do

Enquanto a Política Nacional de Segurança de Barragens-PNSB não vem, artigo de Carol Salsa

[EcoDebate] A Comissão de Constituição e Justiça - CCJ aprovou em 23/06/2009, em caráter conclusivo, proposta que obriga o poder Executivo a instituir a Política Nacional de Segurança de Barragens - PNSB. O objetivo é dotar o poder Público de um instrumento permanente de fiscalização das mais de 300.000 barragens existentes no País, destinada à acumulação de água, rejeitos urbanos e industriais. O texto acatado pela CCJ é o substitutivo

Pescadores artesanais: uma espécie resistente à extinção, artigo de Ruben Siqueira

[EcoDebate] Eles produzem 65% do pescado no Brasil, mas não são prioridade na política de pesca. Depois de duas Conferências Nacionais da Aquicultura e Pesca, em que foram mera presença legitimadora do privilégio dado à pesca e à aqüicultura empresariais, sem verem seus interesses contemplados na prática, eles resolveram fazer sua própria conferência. No estacionamento do estádio Mané Garrincha, em Brasília, superando dificuldades de todo tipo, perto de mil pescadores

Matar a fome sem matar a vida, artigo de Américo Canhoto

COMIDA QUE MATA / DIETA QUE SALVA: DE QUE ADIANTA APENAS MATAR FOME? [EcoDebate] Dia destes, na TV do metrô passou uma propaganda da prefeitura de Sampa. Realmente não guardei o jingle; mas a idéia era: leite para os menos favorecidos. Pelo que entendi na ocasião, o programa visa distribuir milhares de litros de leite, entregues em casa para o pessoal cadastrado; para garantir o “leitinho das crianças”. Claro que a intenção é

Santa Catarina: Estudos sobre impactos ambientais da barragem do Rio Salto são insuficientes

Apenas 2,5% da água acumulada pela barragem serão destinadas ao consumo humano Para o Ministério Público Federal em Santa Catarina, é imprescindível que o estudo de impacto ambiental (EIA/Rima) da construção da barragem do Rio Salto, localizada no município de Timbém do Sul, detalhe os impactos que o incremento da rizicultura causarão ao meio ambiente, prevendo medidas mitigadoras. Apesar da construção da barragem beneficiar diretamente os plantadores de arroz, a obra

MPF/MT quer interdição da mineradora Empresa de Mineração Aripuanã e recuperação da área degradada

A área degradada no município de Nobres (MT) é de 8.000 m². O Ministério Público Federal no Mato Grosso ajuizou uma ação civil pública contra a Empresa de Mineração Aripuanã Ltda (Emal), para interditar a empresa e obrigá-la a fazer ou custear a reparação ambiental de uma área degradada de 8.000 m² no município de Nobres (MT). 20316

Cyberativismo: Vote não ao PL 154. Pela manutenção do Código Ambiental do RS

Prezados amigos Verdes e simpatizantes, estamos em Estado de Alerta no RS em relação a possível votação na próxima terça feira (27/10), quando os Deputados Estaduais do Rio Grande do Sul irão colocar em debate para aprovação o Projeto de Lei 154/2009 que pretende REVOGAR toda a legislação ambiental do Estado, um verdadeiro retrocesso na proteção ambiental. Pedimos aos amigos para em REDE Cyber-ativista possamos manifestar nosso repúdio e protesto contra

Réquiem para a transposição do São Francisco, artigo de D. Tomás Balduíno

[Folha de S.Paulo] É natural que chefes de Estado tenham o sonho de vincular sua memória a uma grande obra perene. Brasília é o monumento que imortalizou Juscelino Kubitschek. Imagino que Lula, nordestino que passou sede no semiárido, carregou pote d'água na cabeça, possa estar sonhando em se ligar pessoalmente com o nordestino rio São Francisco, símbolo da integração nacional, transformando o grande sertão da seca num abençoado oásis graças a

Anitápolis, SC: a batalha contra a fertilizadora continua. Entrevista especial com Eduardo Bastos

Anitápolis (SC) é uma cidade com 3500 habitantes que vivem, principalmente, da agricultura. Um projeto prevê a instalação na cidade de uma fertilizadora mantida por empresas como Bunge e Yara Brasil e, com isso, afetaria, ambiental e socialmente, 21 municípios da região. Em junho deste ano, conversamos com dois representantes da ONG Montanha Viva, que tem empenhado uma luta contra esse projeto. Entendemos que seria muito mais interessante que o dinheiro

COP 15: Rumo a Copenhague pisando em ovos, artigo de Washington Novaes

[O Estado de S.Paulo] Que significará exatamente a afirmação do presidente da República (Estado, 24/9) de que o Brasil está disposto a discutir metas e compromissos de reduzir suas emissões de poluentes que contribuem para mudanças climáticas? Significará assumir compromissos obrigatórios no âmbito da Convenção do Clima, em Copenhague, em dezembro - compromissos que até agora tem recusado? E, se aceitar, como ficará sua posição perante os demais países emergentes,

COP 15, Copenhague: O futuro do planeta em debate

A Conferência das Partes da Convenção das Nações Unidas – COP 15, ou simplesmente a Conferência do Clima de Copenhague é o evento mais aguardado do ano. Na capital da Dinamarca – no período de 07 a 18 de dezembro – se encontrarão 190 países e uma única pauta: a busca por um consenso que permita um acordo global para substituir o Protocolo de Kyoto, assinado em 1997 e que

COP 15, Copenhague: Crescimento, ninguém quer desacelerar

Na realidade, os países ricos e os países em desenvolvimento temem a mesma coisa: frear o crescimento econômico. Os países industrializados (EUA e União Européia) temem se comprometer com metas fortes de redução das emissões de gases que provocam o aquecimento global, pois não querem ter perdas econômicas. Já os países em desenvolvimento (particularmente o Brasil, a China e a Índia), mas também os africanos – com a África do Sul

Raoni Txucarramãe, líder da etnia caiapó, reclama dos efeitos de mudança climática no Xingu

Rio Xingu, foto da BBC Líder indígena reclama dos efeitos de mudança climática no Xingu - Ondas de calor jamais sentidas. Ventos acima da média. Rios cada vez menos caudalosos. Esse é o cenário atual da região do Alto Xingu, segundo o chefe indígena Raoni Txucarramãe, líder da etnia caiapó. Conhecido ícone da causa ambientalista, o líder caiapó --que chegou a viajar para o exterior acompanhado do músico britânico Sting-- foi ontem

Rio Paraíba do Sul agoniza um ano após vazamento do pesticida endossulfan

Mortandade de peixes no rio Paraíba do Sul, foto do O Globo Online Paraíba do Sul sofre com a redução do número de espécies de peixes Quase um ano depois de um dos piores acidentes de sua história - o vazamento do pesticida endossulfan -, o Rio Paraíba do Sul ainda agoniza. Os peixes rarearam. Espécies como dourado, piau vermelho e cascudo preto e pintado não foram mais vistas. Em um esforço

Dono de área desmatada ganha mais seis meses para cumprir legislação

Governo amplia prazo para entrega de plano de recomposição de reserva; quem não foi notificado terá 3 anos O governo federal decidiu baixar um pacote para o setor rural. A ideia é preservar o agronegócio, evitar que cerca de 3 milhões dos 4,3 milhões de propriedades pequenas e médias fiquem irregulares por questões ambientais e manter unida a base de sustentação no Congresso - composta, em parte, por ruralistas. O primeiro passo

Agrotóxicos: Censo Agropecuário constatou 25 mil casos de intoxicação de agricultores

No país que é o maior consumidor de agrotóxicos do mundo, os casos de intoxicação aguda e crônica são pouco registrados. Censo Agropecuário constatou 25 mil casos de intoxicação de agricultores, 300% acima das notificações oficiais. No campo, o envenenamento diário com os agrotóxicos - José Faria Pinto, de 55 anos, Márcia Cristina Tayt-Sohn, 47 anos, Norival Ferreira da Silva, 39 anos, Sonia Maria de Oliveira, 39 anos. Quatro histórias de

Na Suécia, rótulos indicam nível de CO2 na produção de alimentos

Preateleira de produtos 'ambientalmente amigáveis' em supermercado em Estocolmo (Suécia), onde os alimentos informam a emissão de CO2 envolvida na produção * Foto de Dean C.K. Cox/The New York Times Rótulos mostram aos suecos quanto carbono é liberado na produção dos alimentos Ao procurar aveia na prateleira do mercado, Helena Bergstrom, 37, admite ter ficado confusa com o rótulo em uma caixa azul do produto que dizia, "Impacto climático declarado: 0,87 kg

Top