Energia no Tapajós, para quem? artigo de Pe. Edilberto Sena

Pe. Edilberto com Mundurukus. Foto do Jornal Província do Tapajós [EcoDebate] A Eletronorte mostrou um documentário sobre o plano de construção de 5 hidroelétricas na bacia do rio Tapajós. A amostragem de uns 10 minutos foi feita na Câmara de vereadores de Itaituba. Quem viu aquilo e só aquilo deve ter saído maravilhado com o plano. A hidroelétrica de São Luiz do Tapajós, segundo a Eletronorte, será construída, quase como a

Uma demão de verde: os laços entre grupos ambientais, governos e grandes negócios, artigo de Andréa Rabinovici

Sucesso e suspeita caminham juntos; a percepção, a análise e interpretação dos fatos relacionados ao sucesso às vezes demoram um pouco... O ambientalismo, seus protagonistas individuais e institucionalizados, principalmente em Organizações Não Governamentais (ONGs), têm ganhado importância e visibilidade crescentes desde a década de 1960. Um campo por definição transversal, que lida com assuntos globais e com questões das quais depende o futuro de todos no planeta, tem merecido atenção. Muito

Águas do PR têm 45 espécies em risco de extinção

Rio poluído e com lixo, em foto de arquivo [EcoDebate] A água é um elemento natural dos mais prejudicados pela poluição, o uso em excesso e a falta de cuidado com sua preservação. O sentido do trabalho do Movimento Água da Nossa Gente é a conscientização de que somente tendo a água como um bem comum, acessível a todos e sob responsabilidade coletiva, será possível deter o movimento destrutivo imposto às

Justiça determina desmatamento zero em fazendas no Pará

A Justiça Federal em Marabá, no sudeste do Pará, obrigou proprietários rurais da região a aderirem à política do desmatamento zero. A Justiça Federal em Marabá, no sudeste do Pará, obrigou proprietários rurais da região a aderirem à política do desmatamento zero, proposta feita pelo Ministério Público Federal (MPF) nas ações contra fazendeiros e frigoríficos que devastaram milhares de hectares de floresta no Estado. As decisões já podem ser lidas

MG: Conselheiros devem votar projeto polêmico de barragem em Mata Atlântica

[EcoDebate] PROVA DE FOGO PARA O SISTEMA AMBIENTAL EM MINAS - O projeto da barragem de Aiuruoca, no Sul de Minas, coloca o funcionamento do sistema ambiental na berlinda. São 10 anos de licenciamento ambiental para um projeto de pequena barragem (16 MW) que incide em importante fragmento de Mata Atlântica, bioma dos mais ameaçados no país. Segundo o Atlas dos Remanescentes Florestais da Mata Atlântica 2005-2008, publicado pelo

MAB denuncia que retirada de moradores da região da Usina de Santo Antonio não está sendo pacífica

A retirada de moradores da região onde está sendo construída a Usina Hidrelética de Santo Antônio não está sendo pacífica. A denúncia é do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), que alega que os moradores não são conscientizados de seus direitos e estão sendo “expulsos” do lugar. 16386

População do litoral de Santa Catarina repudia instalação de mineradora

Para a extração e processamento do fosfato, a Yara Brasil e a Bunge Fertilizantes projetam o desmatamento de mais de 300 hectares de Mata Atlântica. Fórum das Entidades e de Movimentos Sociais realizam audiências públicas para impedir a instalação da empresa. > Moradores da Grande Florianópolis e também do Litoral Sul do estado lutam contra a instalação da Indústria de Fosfatados Catarinense (IFC). Criada em parceria entre as multinacionais Yara Brasil

Pesquisadores afirmam que as queimadas alteram ciclos biogeoquímicos e clima da Amazônia

As queimadas na floresta amazônica, provocadas pela criação de áreas de pastagem, exploração da madeira e agricultura familiar, estão causando alterações nos ciclos biogeoquímicos (os percursos realizados no meio ambiente por um elemento químico) e afetando ainda mais o clima da região. A revelação foi feita pelos pesquisadores Paulo Artaxo, da Universidade de São Paulo (USP), e Flávio Luizão, do Instituto de Pesquisas da Amazônia (INPA), em uma mesa-redonda realizada,

Inpe diz que não é possível afirmar que desmatamento será o menor dos últimos 20 anos

O presidente do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), Gilberto Câmara, disse, no dia 17/7, que não se pode garantir que o desmatamento da Amazônia em 2009 será o menor dos últimos 20 anos, como vem afirmando o ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc. O dado anual, calculado pelo Projeto de Monitoramento do Desflorestamento na Amazônia Legal (Prodes) só deve der divulgado em novembro pelo Inpe. 16373

Sequestro de carbono como alternativa para o aquecimento global

O aquecimento global, que passou, há pouco, do caderno de meio ambiente para a primeira capa dos jornais, virou o centro das atenções em meios políticos e econômicos no Brasil. “A concentração dos gases do efeito estufa na atmosfera terrestre está aumentando e é devido à ação do homem”, afirma Luiz Gylvan Meira Filho, pesquisador do Instituto de Estudos Avançados da Universidade de São Paulo (USP). Para o pesquisador, o

O mundo caminha como sonâmbulo em direção a desastres evitáveis, artigo de Washington Novaes

[O Estado de S.Paulo] De como viver perigosamente - Não chega a surpreender a falta de avanços concretos na reunião do G-8 realizada no início do mês em Áquila, na Itália. Dada a repercussão que decisões sobre redução de emissões de gases terão nas economias dos países que as aceitarem - e na competitividade do comércio de cada nação -, é até previsível que os lances verdadeiros só serão dados

Lula já prepara anistia aos desmatadores

Punições deveriam começar em dezembro; mais da metade das propriedades rurais do país está em situação irregular. Minc defende benefício só aos pequenos proprietários, Stephanes quer estendê-lo também aos médios, e Kátia Abreu propõe anistia geral Faltando menos de cinco meses para a entrada em vigor de punições aos produtores rurais que desmataram além do limite da lei, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva vai negociar anistia a pelo menos

Top