No Brasil, o racismo é ‘coisa rara’? O posicionamento presidencial e os reflexos de uma abolição inconclusa, artigo de Sheila de Carvalho

    [EcoDebate] O atual Presidente da República, Jair Bolsonaro, em entrevista para uma rede de televisão nacional, alegou que “o racismo no Brasil é coisa rara”, e que “isso já encheu o saco”. A enfática afirmação presidencial nos obriga a olhar o que foi e o que é ser negro no Brasil. E todos os dados e pesquisas aqui apontam que o racismo não somente existe na sociedade brasileira, como é

Conheça 7 mitos sobre as cotas raciais

  As políticas afirmativas têm muitos opositores, mas será que eles têm razão em suas críticas?     As cotas sociorraciais nas universidades públicas já são uma realidade há pelo menos uma década e ganharam, em 2012, o impulso da Lei de Cotas, que em 2016 reservará 50% das vagas para estudantes negros e oriundos da escola pública.  No entanto, muitos ainda insistem em criticar esse instrumento de inclusão social e reparação de dívidas históricas

Cinco anos do Estatuto da Igualdade Racial, artigo de Rosana Schwartz

  Foto: Wikimedia/EBC   [EcoDebate] Após anos de organização e luta, a sociedade brasileira, em 20 de julho de 2015, comemorou os cinco anos do Estatuto da Igualdade Racial (Lei n° 12.288/2010). Em 2000, o senador Paulo Paim destacou a relevância de se criar um projeto que versasse sobre a questão étnico/racial no país (Projeto de Lei nº 3.198/00), submetido à apreciação da Comissão Especial, em 2003, sem êxito. Entretanto, deixando raízes que germinaram

UFRJ analisa propostas de presidenciáveis para população negra

    As coligações dos três candidatos com maior intenção de voto para a Presidência da República nas últimas pesquisas de opinião pública defendem as ações afirmativas para a população negra, entre as quais as cotas. A constatação de que os candidatos Dilma Rousseff (PT), Marina Silva (PSB) e Aécio Neves (PSDB) defendem as cotas é de um levantamento da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), que analisou as propostas das

Brasil: negros ainda sofrem racismo estrutural, institucional e interpessoal

  Conclusão é do Grupo de Trabalho da ONU sobre Afrodescendentes que encerrou visita de 10 dias ao país nesta sexta-feira; mas especialistas admitem que Brasil tem feito mais nos últimos 10 anos para promover maior inclusão da população negra.   Brasil tem trabalhado para a promoção da inclusão da população negra. Foto: ONU Brasil/Marcelo Camargo   Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.* Um grupo de cinco especialistas da ONU afirmou que os

Diferenciais de educação e rendimento segundo cor/raça no Brasil em 2010, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

    [EcoDebate] O censo demográfico 2010 mostra que o total das pessoas de 10 anos ou mais de idade ocupadas na semana de referência tinha um rendimento médio mensal de R$ 1.344,70, representando 2,6 vezes o salário mínimo que estava definido em R$ 510,00, conforme mostra a tabela 1. Mas este valor varia com o nível de instrução. O rendimento das pessoas com nível de instrução classificados como “sem instrução e fundamental

Livro traz reflexões sobre a igualdade racial no Brasil

    Publicação, editada pelo Ipea, foi lançada nesta segunda-feira, em Brasília, durante a sexta edição do festival “Latinidades” O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) lançou nesta segunda-feira, em Brasília, o livro Igualdade Racial no Brasil - Reflexões no Ano Internacional dos Afrodescendentes, durante a programação da sexta edição do Latinidades – Festival da Mulher Afro Latino Americana e Caribenha. A obra reúne dez artigos de pesquisadores, técnicos, gestores e militantes de

Importância da cultura e do povo africano na cultura nacional, artigo de Ricardo Machado

  Consciência Negra - 20 de novembro   [EcoDebate] s pessoas precisam se conscientizar da importância da raça negra e de sua cultura na formação do povo brasileiro e da cultura do nosso país. Conhecer melhor sobre os afro-descendentes que fogem ao estigma da escravidão mais do que saciar curiosidades, nos ensina que, desde cedo, esses brasileiros impuseram, com sua existência, o fato de que a cor jamais os condenou à inferioridade intelectual.

No Dia da Consciência Negra, ativistas comemoram avanços e cobram titulação de terras quilombolas

    Ao som de atabaques e agogôs, religiosos de vários afoxés (cortejos vinculados ao candomblé) fizeram hoje (20), Dia da Consciência Negra, a lavagem simbólica do busto de Zumbi dos Palmares, no centro da capital fluminense. O momento foi também de comemorar a melhora de indicadores de igualdade racial e cobrar ações em favor das comunidades quilombolas. Mesmo sob chuva, o cortejo reuniu dezenas de pessoas. De acordo com a ekede (um dos

Cotas universitárias, debates e perguntas, artigo de Bruno Peron

    [EcoDebate] Em 29 de agosto de 2012, a presidente brasileira Dilma Rousseff sancionou o Projeto de Lei Nº 73, que a deputada federal Nice Lobão propôs em 1999. A Lei, que já havia sido aprovada pelo Senado no início do mesmo mês, ficou conhecida como "Lei das Cotas" e garante 50% das vagas das 59 universidades federais a estudantes egressos do Ensino Médio de escolas públicas. Todas as universidades federais têm

Cotas! Início do resgate da imensa dívida racial e social, artigo de Joelson Meira

  25% do total de vagas será destinada aos estudantes negros, pardos ou indígenas de acordo com a proporção dessas populações em cada estado (foto: Secom/GovBA)   [EcoDebate] ” O Brasil , País das desigualdades , da concentração de renda , exclusão social , entreguismo e subserviência , assiste , nos dias atuais , um pequeno e incipiente movimento de busca do resgate da imensa dívida social e racial , praticada durante séculos

Cotas raciais em universidades são consideradas constitucionais por unanimidade no STF

  Os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiram ontem (26), por unanimidade, que a reserva de vagas em universidades públicas com base no sistema de cotas raciais é constitucional. Durante dois dias de julgamento, os ministros analisaram a ação ajuizada pelo partido Democratas (DEM), em 2009, contra esse sistema na Universidade de Brasília (UnB). O último ministro a se manifestar, o presidente do STF, Carlos Ayres Britto, disse que a política

Relator vota a favor das cotas raciais na UnB e sessão do STF é suspensa

  O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, votou pela constitucionalidade da reserva de vagas em universidades públicas com base no sistema de cotas raciais. O magistrado é relator do processo ajuizado pelo DEM contra o sistema de cotas raciais da Universidade de Brasília (UnB). Após o voto de Lewandowski, a sessão foi suspensa e deve ser retomada hoje (26) à tarde. De acordo com Lewandowski, os programas de ação

STF julga nesta quarta (25) ações contra cotas raciais em universidades públicas

  A discussão sobre a constitucionalidade ou não da reserva de vagas em universidades públicas a partir de critérios raciais – as chamadas cotas – está na pauta de julgamentos do Supremo Tribunal Federal (STF) desta quarta-feira (25), a partir das 14h. Serão julgadas a Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) 186 e o Recurso Extraordinário (RE) 597285, ambos de relatoria do ministro Ricardo Lewandowski, e a Ação Direta de

Negros recebem em média 60% menos que os valores pagos aos não-negros

  Áudio: O estudo é do Diesse e da Fundação Sistema Estadual de Análises de Dados (Sead). O levantamento "Negros no Mercado de Trabalho da Região Metropolitana de São Paulo" aponta que o não-negro ganha em média R$ 9,60 por hora trabalhada contra R$ 5,80 recebidos pelos negros. Os negros – parcela da população que inclui pretos e pardos – recebem por hora, em média, 60,4% do pago às demais camadas populacionais.

25 de julho, Dia internacional da mulher afro-latina-americana e caribenha, em Belém, PA

25 de julho – Dia internacional da mulher afro-latina-americana e caribenha “Meu cabelo é bom! Ruim é o racismo!” O dia será marcado em Belém com várias atividades com direito à manifestação em via pública, cineclube e roda de conversa, com foco na violência doméstica e com o racismo no cotidiano da mulher negra. Uma vasta programação agitará a capital paraense nesse 25 de julho. Pela manhã, a Articulação de Mulheres Brasileiras -

O fator previdenciário aprofundou injustiças raciais no Brasil, diz estudo da UFRJ

O fator previdenciário, implementado no fim da década de 90 para tentar resolver o déficit no caixa da Previdência, prejudica principalmente a população negra. A constatação é do Relatório Anual de Desigualdades Raciais no Brasil 2009-2010, do Laboratório de Análises Econômicas, Históricas, Sociais e Estatísticas das Relações Raciais (Laeser) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). O estudo foi lançado ontem (19) e procura analisar os efeitos da Constituição de

Baixa representatividade negra na mídia gera menos oportunidades de trabalho e alimenta o preconceito racial

Meios de comunicação do país ainda não incorporaram negros - A baixa participação da população negra nas programações e propagandas veiculadas nos grandes meios de comunicação de massa no Brasil podem significar menores oportunidades de trabalho e alimentar um preconceito racial velado no país, aponta estudo realizado na Faculdade de Direito (FD) da USP. Para o pesquisador Osmar Teixeira Gaspar, responsável pelo trabalho, “ter visibilidade acarreta algumas possibilidades ao longo

Movimento negro reconhece avanços, mas diz que expectativa com governo Lula era maior

Os oito anos de governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva trouxeram avanços para a questão racial, na opinião do movimento negro, mas alguns resultados poderiam ser melhores tendo em vista as expectativas geradas com a chegada do primeiro trabalhador à Presidência da República. “De fato existia uma expectativa da população negra com a eleição do Lula”, afirma Vanda Pinedo, coordenadora nacional do Movimento Negro Unificado (MNU) ao manifestar frustração

Plenário do Senado aprova Estatuto da Igualdade Racial, mas retira cotas

Foto: ABr O plenário do Senado aprovou, ontem (16/6), em sessão extraordinária, o Estatuto da Igualdade Racial. Mais cedo, o texto havia sido aprovado na Comissão de Constituição e Justiça e passou sem alterações no plenário da Casa. O projeto segue agora para sanção presidencial. O relatório do senador Demóstenes Torres (DEM-GO) suprimiu o trecho que tratava de reserva de vagas para negros em partidos políticos e agremiações e o que estabelecia

Top