‘Expertise’ e governança ambiental, Parte 5/6, artigo de Roberto Naime

    [EcoDebate] LÉTORNEAU (2014) evidencia que estes debates que dizem respeito à água, à energia, à floresta, à pesca, aos ecossistemas, são, cada vez mais, complexos e difíceis de dominar. Os recursos à expertise são disseminados tanto entre os gestores como junto ao grande público que são as pessoas que desejam manter-se atualizadas e, se possível, participar da discussão (LÉTOURNEAU, 2012). Se um interesse pelas questões ambientais é algo importante para uma pessoa,

‘Expertise’ e governança ambiental, Parte 4/6, artigo de Roberto Naime

    [EcoDebate] LÉTORNEAU (2014) destaca que falar de "governança" não remete de maneira evidente às mesmas coisas para todas as pessoas, mesmo quando muito instruídos. O termo "governança" é utilizado com diversos sentidos e se percebe que esses diversos sentidos estão de fato ligados à pluralidade de comunidades de usuários. Há um uso geral que remete simplesmente ao fato de governar de uma maneira determinada. É possível fazer referência à velha palavra

‘Expertise’ e governança ambiental, Parte 3/6, artigo de Roberto Naime

    Governança Ambiental [EcoDebate] LÉTORNEAU (2014) manifesta que a inteligibilidade dos discursos especializados e de seus saberes e métodos é limitada para terceiros, pois o pleno sentido do discurso qualificado do especialista somente é acessível dentro de um círculo fechado, mesmo quando seus resultados pretendam-se comunicáveis a ponto de permitir informar as decisões. Terminologias especializadas são exigidas por todas as “expertise”, elas são em alguma medida "caixas pretas" cujo mecanismo é desconhecido pelos

‘Expertise’ e governança ambiental, Parte 2/6, artigo de Roberto Naime

    [EcoDebate] LÉTORNEAU (2014) manifesta que a “expertise” se desenvolveu porque as questões a serem tratadas são altamente complexas e demandam uma abordagem extensiva e competente. Sempre se ressalta neste espaço a complexidade que é a característica da sociedade moderna. Se faz apelo ao especialista porque qualquer outro não estaria em condições de tratar essas questões de maneira igualmente satisfatória. Esse processo é resultado direto da especialização, a qual se desenvolveu progressivamente

‘Expertise’ e governança ambiental, Parte 1/6, artigo de Roberto Naime

    [EcoDebate] LÉTORNEAU (2014) assevera que muitos termos possuem um sentido técnico sem que ele seja evidente para todos como a "governança ambiental". Termo que remete no contexto atual a uma participação cidadã nesse tipo de questão, por exemplo, da saúde de um ecossistema específico, tal como uma floresta ou um vale agrícola, a partir de preocupações partilhadas e não a partir de uma problemática de controle organizacional. Governança transcende a assistencialismo social.

Gestão de resíduos: geração de valor agregado, artigo de Iane de Brito Reiter

  [EcoDebate] Pode parecer um tanto dramático, porém, é primordial tratar da gestão de resíduos com seriedade. A gestão de resíduos além de ser uma obrigação das empresas brasileiras, em determinadas atividades industriais pode ser uma oportunidade de gerar valor agregado (BRASIL, 2010). O aumento considerável de resíduos nos últimos 40 anos é reflexo da altos níveis de produção e consumo. Ao mesmo tempo em que as pessoas consomem mais, estão

Resenha Crítica aos Sistemas de Gestão e Gerenciamento de Resíduos, por Ariadne Cordeiro

RESENHA CRÍTICA AOS SISTEMAS DE GESTÃO E GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS Por Ariadne Cordeiro Resenha crítica apresentada na disciplina de Gestão e Gerenciamento de Resíduos na Agroindústria, do Programa em Sistemas Ambientais Sustentáveis, da Universidade do Vale do Taquari – Univates, para omplementação da avaliação do semestre. Profs.: Dr. Alexandre André Feil e Dr. Odorico Konrad Lajeado, setembro de 2018 Juntamente com os processos de urbanização e industrialização acelerados, o consumo de alimentos, vestuário, medicamentos,

Aperfeiçoando a gestão ambiental brasileira, artigo de Roberto Naime

    [EcoDebate] MOTTA (1997) assinala que a questão ambiental pode deixar de ser um problema e tornar-se uma solução. Para isto será preciso conciliar todas as faces dos fatores intervenientes e desenhar as opções de gestão que harmonizem as políticas econômicas e ambientais. Esta é a resposta ao desafio ambiental da economia brasileira. Definindo prioridades, ampliando os instrumentos econômicos e removendo os incentivos perversos, são opções que oportunizam a Agenda Nacional Ambiental.

Prazer, Gestão das águas! artigo de João Ricardo Raiser

    [EcoDebate] Hoje, nossos problemas com a água parecem resolvidos. Está chovendo! Mas não é bem assim, segundo dados hidrometeorológicos, tem chovido abaixo das médias históricas, como nos últimos 3 anos, e as chuvas tem sido mais concentradas. Ou seja, a situação de escassez pode se agravar no próximo período de seca. Como enfrentar essa situação? Algo deve ser feito antes que a crise se instale. Assim, apresento-lhes uma antiga amiga, a "Gestão

Meio Ambiente: a produção das atividades do turismo e a gestão ambiental nos meios de hospedagens em áreas litorâneas do nordeste brasileiro, artigo de Áurea Nascimento de Siqueira Mesquita

    MEIO AMBIENTE: A PRODUÇÃO DAS ATIVIDADES DO TURISMO E A GESTÃO AMBIENTAL NOS MEIOS DE HOSPEDAGENS EM ÁREAS LITORÂNEAS DO NORDESTE BRASILEIRO Áurea Nascimento de Siqueira Mesquita Licenciada em Geografia pela Universidade Federal de Pernambuco - UFPE Mestranda em Desenvolvimento e Meio Ambiente- PRODEMA/UFPE   [EcoDebate] O turismo é analisado a partir do espaço geográfico como produção social. É considerado um fenômeno, sendo realizado através do deslocamento voluntário do indivíduo para determinada localidade

VII Fórum Internacional de Gestão Ambiental, Porto Alegre (RS), 19 e 20 de Outubro de 2017

FIGA 2017: Água, Energia e Alimento VII Fórum Internacional de Gestão Ambiental, Porto Alegre (RS), 19 e 20 de Outubro de 2017. Por Associação Riograndense de Imprensa – ARI Em março de 2010, com o tema “Água: o grande desafio”, o FÓRUM INTERNACIONAL DE GESTÃO AMBIENTAL fez sua primeira edição, quando promoveu um franco debate quanto à gestão dos recursos hídricos. O II FÓRUM INTERNACIONAL DE GESTÃO AMBIENTAL, em maio de 2012, reuniu os

A Política Ambiental e a necessidade de um Estadismo Global, artigo de Aparecida Ferreira Frias e Fernando Maida

  A POLÍTICA AMBIENTAL E A NECESSIDADE DE ESTADISMO GLOBAL Aparecida Ferreira Frias1 Fernando Maida 2 Sumário 1. Introdução. 2. Estadismo e a Estratégia Política Ambiental Sustentável. 3. A Política Nacional de Meio Ambiente e a Governança no ambiente privado. 4. Governança Ambiental e a sinergia com um Sistema de Gestão Ambiental. 5. Visão de Gestão Integrada na Organização empresarial. 6. Considerações Finais. 7.Referências. RESUMO O presente artigo trata de uma análise da estrutura proposta pelo Estado

Top