Sugestão de vídeos educativos sobre as crises ecológicas atuais e ações mais urgentes

    Sugestão de vídeos educativos sobre as crises ecológicas atuais e ações mais urgentes Caros Colegas, Aqui estão vídeos super rápidos que produzimos sobre algumas das preocupações ambientais mais urgentes do mundo. Eles são apenas segundos a 3 minutos de duração. Alguns são dramáticos, alguns irreverentes. Estão disponíveis em inglês, mas também estão disponíveis em espanhol, português, francês, chinês, indonésio, malaio e papua-nova-guiné. Eles tratam de temas atuais e foram produzidos para facilitar o conhecimento, bem

Mais de 50% da flora que só existe no Rio estão ameaçadas de extinção

  Mais de 50% da flora que só existe no Rio estão ameaçadas de extinção ABr A flora do estado do Rio de Janeiro tem 884 espécies que não podem ser encontradas em nenhuma outra parte do mundo, mas 513 delas estão ameaçadas de extinção em algum grau. Os dados constam no Livro Vermelho da Flora Endêmica do Estado do Rio de Janeiro, que foi lançado na Escola Nacional de Botânica Tropical do Jardim

Projeto com abelhas nativas pretende recompor espécies em extinção

    Projeto com abelhas nativas pretende recompor espécies em extinção No Brasil, existem mais de 300 espécies de abelhas nativas. Grandes responsáveis pela polinização das plantas, também contribuem para a agricultura e produção de alimentos. “Cerca de 75% da polinização nas áreas cultivadas é feita por abelhas. A qualidade dos frutos e das sementes depende, em grande parte, desses insetos”, explica o agrônomo e doutor em Gestão de Recursos Naturais pela Colorado State

Projetos financiados pela China ameaçam o orangotango Tapanuli, o macaco mais raro do mundo

  Caros colegas, Publicamos um breve artigo em Current Biology (anexo) que destaca ameaças crescentes - especialmente um projeto hidrelétrico apoiado por chineses - ao macaco mais raro do mundo, o orangotango Tapanuli, que ocorre apenas em uma minúscula partícula de floresta em Sumatra, na Indonésia. Menos de 800 indivíduos do macaco permanecem vivos. Além disso, leia este breve artigo, que descreve como esse macaco em perigo é emblemático de um esforço muito

Amazônia: As populações de boto e tucuxi estão caindo pela metade a cada década

  Amazônia: As populações de boto e tucuxi estão caindo pela metade a cada década Golfinhos fluviais estão diminuindo acentuadamente na bacia amazônica Populações de golfinhos de água doce na bacia amazônica estão em declínio, caindo pela metade a cada década nas taxas atuais, de acordo com um estudo publicado em 2 de maio de 2018 na revista PLOS ONE, de Vera da Silva, do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia. Amazônia, Manaus,

Relatório ‘O Estado das Aves no Mundo – 2018’ alerta que uma em cada 8 espécies de aves está ameaçada de extinção

  Relatório 'O Estado das Aves no Mundo – 2018' alerta que uma em cada 8 espécies de aves está ameaçada de extinção ABr Uma em cada oito aves está ameaçada de extinção no mundo. Das 11 mil espécies catalogadas, 40% podem desaparecer do planeta, segundo estudos da BirdLife Internacional, organização não governamental (ONG), que há cinco anos pesquisa o tema. A estimativa é de que nos próximos anos 500 espécies de aves desapareçam.

O simbolismo do adeus à Sudan, o último rinoceronte-branco do norte (macho) do planeta! por Sucena Shkrada Resk

    O ancião Sudan, no alto dos seus 45 anos e cerca de 2,3 mil quilos e 1,82m de altura, não venceu a batalha que travava contra uma infecção que atingiu sua pata direita traseira, no mês de março. O último exemplar macho de rinoceronte-branco do norte do planeta foi submetido a uma eutanásia, que foi a opção considerada mais viável pelos veterinários que tratavam dele no Ol Pejeta Conservancy, área

A superpopulação é mito? artigo de José Eustáquio Diniz Alves

    A superpopulação é mito? artigo de José Eustáquio Diniz Alves “É sempre bom lembrar, Que o copo vazio Está cheio de ar” Copo Vazio, de Chico Buarque     [EcoDebate] Superpopulação é mito? Com essa pergunta o youtuber Pirula tenta responder a uma outra pergunta: Será que ocupamos apenas 3% da superfície do planeta? O vídeo que Pirula disponibiliza no Youtube traz uma mensagem bastante simples e útil para mostra de forma didática como o

A IPBES e o declínio da biodiversidade; análise de Luiz Marques (IFCH/Unicamp)

  A IPBES e o declínio da biodiversidade; análise de Luiz Marques (IFCH/Unicamp) JORNAL DA UNICAMP TEXTO LUIZ MARQUES FOTOS REPRODUÇÃO | DIVULGAÇÃO EDIÇÃO DE IMAGEM LUIS PAULO SILVA “Estamos decepcionando nossos jovens, sem dúvida alguma. Certamente o mundo natural não é hoje tão rico quanto quando eu era menino” [I]. Essa é a ideia geral que Sir David Attenborough exprime em seu artigo publicado num fascículo da revista New Scientist do mês passado. Neste mesmo mês de março, uma

Cientistas sugerem que os sinais de alerta para a extinção em massa existem, ao contrário dos pressupostos anteriores

  Cientistas sugerem que os sinais de alerta para a extinção em massa existem, ao contrário dos pressupostos anteriores Extinção em massa com aviso prévio Friedrich-Alexander-Universität - FAU* Extinções em massa ao longo da história da Terra foram bem documentadas. Os cientistas acreditam que eles ocorreram durante um curto período de tempo em termos geológicos. Em um novo estudo, os paleobiólogos da FAU e seus parceiros de pesquisa mostraram agora que os sinais de

Mudanças climáticas colocam em risco metade das espécies de plantas e animais dos locais naturais mais importantes do mundo

  Mudanças climáticas colocam em risco metade das espécies de plantas e animais dos locais naturais mais importantes do mundo Amazônia, Floresta do Miombo na África e o Sudoeste da Austrália serão os lugares mais afetados do mundo, de acordo com um novo relatório encomendado pelo WWF     Até a metade das espécies de plantas e animais nas áreas mais naturais do mundo, como a Amazônia e as Galápagos, podem enfrentar a extinção local

ONU alerta para a redução da biodiversidade e para o rápido desaparecimento dos grandes felinos

  ONU alerta para a redução da biodiversidade e para o rápido desaparecimento dos grandes felinos Biodiversidade desaparece a velocidade mil vezes mais rápida por causa do homem, alerta ONU O alerta foi dado pela vice-secretária-geral da ONU, Amina Mohammed, que fez um pronunciamento nesta sexta-feira para lembrar o Dia Mundial da Vida Selvagem, observado no sábado (3). Organismo internacional chama atenção para os perigos enfrentados pelos grandes felinos. Há apenas um século,

Perda de biodiversidade aumenta o risco de ‘extinção em cascata’

    Perda de biodiversidade aumenta o risco de 'extinção em cascata' UNIVERSIDADE DE EXETER* Nova pesquisa mostra que a perda de biodiversidade pode aumentar o risco de "extinção em cascata", onde uma perda inicial de espécies leva a um efeito dominó de novas extinções. Os pesquisadores da Universidade de Exeter mostraram que existe maior risco de extinção em cascata quando outras espécies não estão presentes para preencher a "lacuna" criada pela perda de uma

Sexta extinção em massa e a insegurança alimentar global, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

    Sexta extinção em massa e a insegurança alimentar global, artigo de José Eustáquio Diniz Alves   [EcoDebate] A humanidade, de modo geral, é egoísta e não se preocupa muito com o destino das demais espécies vivas da Terra. Pior, o avanço do bem-estar humano tem ocorrido às custas do empobrecimento dos ecossistemas e da crescente perda de biodiversidade. Enquanto cresce a população humana, decresce as populações não humanas da fauna e da

Rio já tem 131 macacos mortos em todo o estado; 69% foram vítimas de ação humana

  ABr O estado do Rio de Janeiro já contabiliza 131 macacos mortos desde o início do ano. No entanto, a maioria das mortes não deve ter relação com o vírus da febre amarela. Do total, 69% registram sinais de ataques humanos, seja por meio de espancamento ou de envenenamento. É o que aponta a Subsecretaria de Vigilância, Fiscalização Sanitária e Controle de Zoonoses (Subvisa) da prefeitura do Rio de Janeiro, órgão

Após morte de botos-cinza, MPF recomenda suspensão de dragagem na Baía de Sepetiba, RJ

    ABr Diante da mortandade de botos-cinza no litoral do estado do Rio de Janeiro, o Ministério Público Federal (MPF) recomendou ao Instituto Estadual do Ambiente (Inea) e à Companhia Portuária Baía de Sepetiba (CPBS) que suspendam imediatamente a dragagem que vem sendo realizada em uma área de 1,83 milhão de metros cúbicos no fundo da Baía de Sepetiba. Desde dezembro do ano passado, as populações de golfinhos que vivem na região

Estudo constata que um terço das principais espécies pescadas está ameaçado e põe em risco a segurança alimentar

  Estudo constata que um terço das principais espécies pescadas está ameaçado e põe em risco a segurança alimentar Ausência de políticas de conservação de cardumes ameaça espécies de peixes Por Peter Moon, Agência FAPESP. O esgotamento mundial dos cardumes, a redução na diversidade do que é pescado e a diminuição no tamanho dos peixes capturados são grandes desafios para a atividade pesqueira. O enfrentamento dessas questões envolve o desenvolvimento de políticas de conservação de

Vírus causou morte de botos-cinza na região das baías de Ilha Grande e de Sepetiba, RJ

  Vírus causou morte de botos-cinza na região das baías de Ilha Grande e de Sepetiba, RJ ABr A mortandade atípica de mais de 170 botos-cinza (Sotalia guianensis) na região das baías de Ilha Grande e de Sepetiba, no Rio de Janeiro, que tem ocorrido desde o final de novembro de 2017, tem como causa principal um surto da doença conhecida como morbilivirose dos cetáceos. A conclusão está no segundo boletim técnico dos laboratórios

Porque os Botos estão morrendo na Baía de Sepetiba e em extinção na Baía de Guanabara? artigo de Sérgio Ricardo

    Porque os Botos estão morrendo na Baía de Sepetiba e em extinção na Baía de Guanabara? artigo de Sérgio Ricardo [EcoDebate] Neste início de ano, banhistas e turistas que frequentam as belíssimas praias da Costa Verde e do Rio de Janeiro tem se assustado com a presença de grande quantidade de algas–vivas consideradas gigantes. Simultaneamente, nos últimos 18 dias, na baía de Sepetiba ocorreu a morte de 88 botos-cinzas: este número

Cientistas investigam morte de dezenas de botos-cinza na Baía de Sepetiba, RJ

    A morte de dezenas de botos-cinza na Baía de Sepetiba, no litoral do estado do Rio de Janeiro, vem preocupando cientistas e grupos engajados na proteção da espécie, que é ameaçada de extinção. Diariamente estão sendo avistadas carcaças com lesões na pele, mas as causas da mortandade até o momento são desconhecidas. Exames estão sendo realizados em laboratórios especializados na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) e na

Top