Honremos os mortos pelo crime da Vale e do Estado, artigo de Gilvander Moreira

Honremos os mortos pelo crime da Vale e do Estado Por Gilvander Moreira1 Representando 5,17% da bacia do Rio São Francisco, com 510 quilômetros de extensão e bacia envolvendo 1.318.885 milhões de habitantes2 em 13.643 Km2, o Rio Paraopeba nasce em Cristiano Otoni, próximo a Conselheiro Lafaiete, e, como um dos principais afluentes do Rio São Francisco, irriga 48 municípios3 e deságua na barragem da hidrelétrica de Três Marias, MG, no município

Rompimentos de barragens de rejeitos minerais revelam cenário de insegurança no país, artigo de Sucena Shkrada Resk

  Barragens de rejeitos minerais Ausência e/ou ineficiência nas precauções e prevenção, manutenção, em monitoramento e investimento em tecnologias mais seguras e em fiscalização contínua na destinação e tratamento de rejeitos minerais. Essa série de potenciais causas tem demonstrado um verdadeiro campo minado no país, resultando em uma série de externalidades, como demonstra a tragédia em Brumadinho, MG. O município chora pelas mais de 330 vítimas (157 mortos confirmados e desaparecidos até

Diversos estudos realizados com populações atingidas por desastres ambientais revelam um aumento de problemas relacionados com a saúde mental

  Estudos sobre saúde mental após desastres ambientais revelam desafios Diversos estudos realizados com populações atingidas por tragédias ambientais revelam um aumento de problemas relacionados com a saúde mental, tais como estresse, ansiedade e depressão. ABr Em Brumadinho (MG) e nos demais municípios afetados pelo rompimento da barragem da Vale na Mina do Córrego do Feijão, esta questão deve receber atenção prioritária, na visão de pesquisadores da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), instituição científica vinculada

Fiocruz lança guia de preparação e resposta do setor de saúde aos desastres

  Por Tatiane Vargas (Ensp/Fiocruz) O Centro de Estudos e Pesquisas em Emergências e Desastres em Saúde da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (Cepedes/Ensp/Fiocruz) lançou, recentemente, o Guia de Preparação e Respostas do Setor Saúde aos Desastres, um documento elaborado em três etapas, desenvolvidas entre 2015 e 2017, com informações e conceitos que ajudam a compreender o que é importante saber para reduzir os riscos de desastres. A publicação inclui

Brumadinho é crime, não uma tragédia, artigo de Dirlene Marques

    [EcoDebate] Da localidade de Casa Branca, em Brumadinho, acompanhei o crime contra todas e todos nós, que tem em sua origem o modelo de desenvolvimento voltado para exportação de commodities. Vi e senti todo o horror. Voltei no domingo de manhã para Belo Horizonte, e participei da Manifestação na Praça da Liberdade. Estou com muita raiva e indignada. Estou com muita raiva da nossa impotência, dos pronunciamentos dos atuais e dos

Pesquisador faz uma análise sobre o ciclo de preços das commodities e o risco de desastres como o de Mariana e Brumadinho

  'Brumadinho é uma tragédia estrutural, um ponto previsível numa curva de grandes desastres que ainda pode aumentar' Entrevista Rodrigo Salles Perreira dos Santos : Professor e pesquisador do grupo Política, Economia, Mineração, Ambiente e Sociedade (PoEMAS) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), faz uma análise sobre o ciclo de preços das commodities e o risco de desastres como o de Mariana e Brumadinho A Barragem I, da Mina Córrego do

Tragédia em Brumadinho: Mais além da dor, artigo de Montserrat Martins

    [EcoDebate] O país ficou em choque com a tragédia em Brumadinho, com a dor de centenas de famílias, com a tristeza e a revolta pela repetição do fato, pela falta de providências após o mesmo episódio em Mariana, há três anos. Pela primeira vez houve prisões, agora, dos responsáveis técnicos pela segurança da barragem rompida. O sentimento de justa revolta e indignação dos brasileiros não se satisfaz com superficialidades, exige

Desastre em Brumadinho: o que se sabe até agora sobre a tragédia

  As buscas por vítimas da tragédia de Brumadinho (MG) entraram ontem (3) no décimo dia. As causas do rompimento da barragem da Vale que integra a Mina do Feijão estão sendo investigadas. Da mesma forma, a extensão dos danos ambientais e socioeconômicos ainda é desconhecida, embora já estejam em curso iniciativas voltadas para identificar os prejuízos e alguns dados preliminares já tenham sido divulgados. Com base nas informações tornadas públicas, a Agência Brasil reuniu

O lado avesso do licenciamento ambiental: o caso de Brumadinho-MG 2019, artigo de Syglea Rejane Magalhães Lopes

    O LADO AVESSO DO LICENCIAMENTO AMBIENTAL: O CASO DE BRUMADINHO-MG 2019 Syglea Rejane Magalhães Lopes Profa. Universidade do Estado do Pará – UEPA. [EcoDebate] As atividades econômicas para serem desenvolvidas no Brasil necessitam seguir as orientações legais objetivando a manutenção do meio ambiente ecologicamente equilibrado. Nesse sentido, desde 1981 a lei da política nacional do meio ambiente, n.º 6.938, previu vários instrumentos para gestão ambiental, dentre os quais se destaca o licenciamento ambiental

Brumadinho: O crime da VALE exige justiça e não apenas medidas paliativas, artigo de Gilvander Moreira

  Brumadinho: O crime da VALE exige justiça e não apenas medidas paliativas Por Gilvander Moreira1 O crime/tragédia gigante causado pela mineradora VALE, com licença do Estado, exige de todas as pessoas de boa vontade compromisso ético para que não apenas ações paliativas e secundárias sejam postas em prática, mas é imprescindível que justiça no sentido mais profundo seja efetivada. Profundamente comovido e indignado, o coordenador da Frente de Evangélicos pelo Estado de

Brumadinho é Velho Chico, artigo de Roberto Malvezzi (Gogó)

    [EcoDebate] Brumadinho pertence à vasta bacia hidrográfica do São Francisco (Uma das 12 Regiões Hidrográficas do Brasil, segundo a ANA), desaguando no Paraopeba, que deságua dentro da barragem de Três Marias, a primeira de uma cascata de barragens ao longo do Rio São Francisco. O Brasil criou uma legislação da água com a Lei 9.433/97, tendo como base de planejamento as bacias hidrográficas. A mesma lei criou uma política nacional de

Órgãos ambientais relatam que a Samarco pagou menos de 7% das multas ambientais após Mariana

  Dados divulgados por órgãos ambientais revelam que a Samarco, três anos após a tragédia de Mariana (MG), pagou R$ 41 milhões das multas que lhe foram aplicadas. O valor corresponde a menos de 7% do que é cobrado. ABr     Na mais nova tragédia, ocorrida na última sexta-feira (25) em Brumadinho (MG), duas multas foram impostas à mineradora Vale, responsável pela Mina Feijão, onde a barragem se rompeu. Uma delas, no valor de R$

Vazamento de óleo na Baía de Guanabara afetará reprodução da fauna em mangue

  O vazamento de óleo na Baía de Guanabara, no estado do Rio de Janeiro, ocorreu no pior momento possível para os manguezais afetados. É o que aponta André Esteves, secretário-executivo da organização não governamental Instituto Ondazul, responsável pela gestão do Parque Natural Municipal Barão de Mauá, em Magé (RJ). Segundo ele, os caranguejos estão na época da desova. "Nesse momento é que se tem a reprodução em alta escala. Então, a contaminação

Tentativa de furto de petróleo causa vazamento de 60 mil litros de óleo na baia da Guanabara

    Transpetro já recolheu quase metade de óleo vazado de duto em Magé A Transpetro está realizando trabalho de recolhimento de 60 mil litros de óleo que vazaram no Rio Estrela e na Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro. Segundo a Petrobras, o vazamento foi resultado de um furto de petróleo ocorrido na tarde de sábado (8) em oleoduto no município de Magé, na Baixada Fluminense. De cordo com a Petrobras, quase

Tragédia de Mariana próxima de completar 3 anos e da prescrição do crime ambiental

  Tragédia de Mariana - Às vésperas da prescrição, cronograma de indenizações perde força e deixa mais de 7 mil pescadores atingidos em situação vulnerável     Por Mariana Pupo No próximo dia 5 de novembro, a maior tragédia ambiental de que se tem notícia no Brasil, o caso Mariana/MG, completa três anos. Em 2015, cerca de 70 mil pessoas foram atingidas direta ou indiretamente por um tsunami de lama gerado pelo rompimento da barragem

Depois de quase três anos, sai acordo de indenização a vítimas da tragédia de Mariana

  Quase três anos após o rompimento da Barragem de Fundão, em Mariana (MG), a Samarco e o Ministério Público de Minas Gerais (MP-MG) firmaram o acordo que assegura indenização aos membros da comunidade atingida pela tragédia. Com a oficialização do acordo, a Samarco, empresa controlada pela Vale e pela anglo-australiana BHP Billiton, e a Fundação Renova, organização criada para articular as ações de reparação, terão até três meses para se manifestar

Mineradora Hydro Alunorte anuncia suspensão de operações em Barcarena e Paragominas, no Pará

  Empresa alega que um dos depósitos de dejetos atingiu o limite de uso A mineradora norueguesa Hydro Alunorte anunciou ontem (3) a suspensão das operações da refinaria de alumina que mantém em Barcarena (PA) e de sua mina de bauxita, em Paragominas (PA). A multinacional informa que a decisão foi tomada após a constatação de que um dos dois depósitos de dejetos de bauxita está perto de atingir sua capacidade de

Desastre de Mariana: Cientistas analisam os impactos ambientais, entre os quais os resultantes da devastação de ecossistemas

  Desastre de Mariana: Cientistas analisam os impactos ambientais, entre os quais os resultantes da devastação de ecossistemas Por Tássia Biazon, Jornal da UNICAMP Impactos ambientais Dia 5 de novembro de 2015. Brasil. Minas Gerais. Mariana. Bento Rodrigues. Barragem de Fundão. Samarco. Às 15h ocorre um tsunami de lama. Cerca de 32 milhões de m³ rejeitos são lançados ao meio ambiente. O primeiro local atingido foi o córrego de Santarém. Em seguida, o tsunami chegou ao Rio Gualaxo do

Parque Natural Municipal Barão de Mauá revela restauração de mangue devastado na Baía de Guanabara

  Desastre ocorreu em janeiro de 2000 após o rompimento de um duto da Petrobras que ligava a Refinaria Duque de Caxias (Reduc) a um terminal na Ilha D'Água ABr Já se passaram mais de 18 anos que as imagens de aves com o corpo coberto por óleo rodaram o mundo e chamaram a atenção para um desastre ambiental de grandes proporções na Baía de Guanabara, no estado do Rio de Janeiro. Na época,

Desastre de Mariana: uma nova demanda para a Valoração Ambiental, artigo de Flávia Damaceno

      Desastre de Mariana: uma nova demanda para a Valoração Ambiental, artigo de Flávia Damaceno [EcoDebate] Em novembro de 2015 o Brasil e o mundo assistiram o rompimento da barragem de um reservatório das atividades mineradoras da Samarco, no distrito de Bento Rodrigues, em Mariana (MG), ocasião que liberou cerca de 50 milhões de m3 de rejeito contendo metais tóxicos e caracterizou um desastre ambiental considerado o maior já ocorrido no país.

Top