Ondas de calor aceleram o degelo do permafrost do Ártico

  Ondas de calor aceleram o degelo do permafrost do Ártico Na região mais setentrional da Terra, o permafrost ártico está derretendo em ritmo acelerado. Por mais de uma década, uma equipe internacional de pesquisadores da ETH Zurich, da Universidade do Alasca Fairbanks e do Centro Aeroespacial Alemão observaram marcas topográficas – grandes depressões conhecidas como “quedas de degelo retrogressivas”. As quedas ocorrem quando camadas de solo permanentemente congeladas (permafrost rico em gelo)

Descongelamento do permafrost está moldando o clima global

  Descongelamento do permafrost está moldando o clima global Uma nova publicação e um mapa interativo resumem o estado atual do conhecimento sobre os riscos representados pelos solos do permafrost – e pedem uma ação decisiva Como as mudanças climáticas estão afetando os solos permanentemente congelados do Ártico? Quais serão as consequências para o clima global, seres humanos e ecossistemas? E o que pode ser feito para impedir isso? Por Alfred Wegener Institute*, Helmholtz

Descongelamento do permafrost pode acelerar o aquecimento global

  Descongelamento do permafrost pode acelerar o aquecimento global O degelo do permafrost no Ártico pode estar emitindo gases de efeito estufa de estoques de carbono anteriormente não contabilizados, alimentando o aquecimento global. Esse é o resultado de um estudo conduzido por uma equipe de geólogos liderada pela professora Dra. Janet Rethemeyer do Instituto de Geologia e Mineralogia da Universidade de Colônia, juntamente com colegas da Universidade de Hamburgo e do Centro Helmholtz

Degelo do permafrost acelera a erosão costeira no Ártico

  Degelo do permafrost acelera a erosão costeira no Ártico Pesquisadores do permafrost analisam os fatores de mudanças rápidas nas costas do Ártico e as implicações para os seres humanos e o meio ambiente Alfred-Wegener-Institute / Helmholtz Center for Polar and Marine Research (AWI)* As costas do Ártico são caracterizadas por gelo marinho, permafrost e gelo terrestre. Isso os torna particularmente vulneráveis aos efeitos das mudanças climáticas, que já estão acelerando a rápida erosão

Degelo do permafrost pode liberar bactérias e vírus

  Degelo do permafrost pode liberar bactérias e vírus O degelo rápido do permafrost no Ártico tem o potencial de liberar bactérias resistentes a antibióticos, vírus não descobertos e até mesmo resíduos radioativos de reatores nucleares e submarinos Pela Agência Espacial Europeia* Ao considerar as implicações do degelo do permafrost, nossas preocupações iniciais provavelmente se voltarão para a grande questão do metano sendo liberado na atmosfera e exacerbando o aquecimento global ou problemas para

Degelo do permafrost libera gases de efeito estufa do subsolo

  Degelo do permafrost libera gases de efeito estufa do subsolo Após onda de calor de 2020, as concentrações de metano no ar da Sibéria apontam para a emissão de gás do calcário Rheinische Friedrich-Wilhelms-Universität Bonn* Quais os efeitos da onda de calor do verão de 2020 na Sibéria? Em um estudo conduzido pela Universidade de Bonn, geólogos compararam a distribuição espacial e temporal das concentrações de metano no ar do norte da Sibéria

Degelo do permafrost ameaça a infraestrutura do Alasca

    Degelo do permafrost ameaça a infraestrutura do Alasca Estradas, pontes, oleodutos e outros tipos de infraestrutura no Alasca e em outras partes do Ártico irão se deteriorar mais rápido do que o esperado devido a uma falha dos planejadores em contabilizar o impacto das estruturas no permafrost adjacente, de acordo com pesquisa do Instituto Geofísico Fairbanks da Universidade do Alasca. Os pesquisadores dizem que os planejadores devem levar em consideração as repercussões

Degradação do permafrost já afeta fatores hidrológicos do platô tibetano

  Degradação do permafrost já afeta fatores hidrológicos platô tibetano Nos últimos anos, o aquecimento climático acelerou significativamente a degradação global do permafrost. Afetados pela degradação do permafrost, os processos de abastecimento, escoamento e descarga de água mudaram significativamente na Área de Origem do Rio Amarelo (SAYR) no nordeste do Platô Qinghai-Tibete. A produção de água no SAYR é muito importante para a estabilidade dos recursos hídricos e a integridade do ecossistema regional.

Feedbacks de carbono do permafrost ameaçam as metas climáticas globais

  Feedbacks de carbono do permafrost ameaçam as metas climáticas globais “O aquecimento do Ártico representa um dos maiores riscos ao nosso clima, mas ainda não foi adequadamente incorporado às projeções e políticas climáticas existentes” Desde que foi assinado pela primeira vez, há mais de cinco anos, o Acordo de Paris estabeleceu o padrão para o esforço global para reduzir as emissões de gases de efeito estufa, com mais de 70 países assumindo

Degelo do permafrost ártico libera mais CO2 do que se acreditava

  Degelo do permafrost ártico libera mais CO2 do que se acreditava Pode haver maiores emissões de CO2 associadas ao degelo do permafrost ártico do que jamais se imaginou A quantidade de carbono armazenado no permafrost é estimada em quatro vezes mais do que a quantidade total de CO2 emitido pelos humanos nos tempos modernos Uma equipe internacional de pesquisadores, incluindo um da Universidade de Copenhagen, descobriu que as bactérias do solo liberam CO2

O degelo do Ártico e as emissões do permafrost, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

“A crise climática é a ameaça mais urgente do nosso tempo” The Guardian   [EcoDebate] Não existem mais dúvidas sobre o aquecimento global provocado pela emissão de gases de efeito estufa. Os últimos 6 anos (2014-19) foram os mais quentes já registrados e a década 2011-20 é a mais quente da série histórica. A atmosfera do Planeta está ficando mais quente e isto tem um impacto devastador em diversos aspectos, pois vai deixar

Emergência Climática – Mudanças climáticas aumentam risco de contaminação por mercúrio pelo derretimento do permafrost

  À medida que as temperaturas globais continuam subindo, o degelo do permafrost nas áreas do Ártico está acelerando e o mercúrio que ficou preso no solo congelado agora está sendo liberado de várias formas nas vias fluviais, no solo e no ar. University of New Hampshire*   Degelo do permafrost De acordo com pesquisadores da Universidade de New Hampshire, esse processo pode resultar na grande transformação do mercúrio em formas mais móveis e potencialmente

Na Groenlândia o gelo derrete em velocidade recorde; rios fluem no permafrost

  Degelo na Groenlândia Rios que aparecem do nada e, a qualquer momento, se estendem a perder de vista, até gerar imprevisíveis lagoas. Fluem, neste momento de pleno verão, sobre a Groenlândia, ou melhor, sobre o que resta do seu gelo eterno, cada vez mais escuro e encolhido, numa palavra, agonizante. As imagens aéreas que acabaram de chegaram da maior ilha do planeta causam impressão. Milhões - bilhões - de toneladas de água

O derretimento de permafrost pode aumentar a carga atmosférica de CO2

  O derretimento de permafrost pode aumentar a carga atmosférica de CO2 As temperaturas no Ártico estão subindo duas vezes mais rápido que no resto do mundo, fazendo com que os solos do permafrost descongelem. University of Eastern Finland * As turfeiras do permafrost são pontos biogeoquímicos no Ártico e armazenam grandes quantidades de carbono. O degelo do permafrost poderia liberar parte desses estoques de carbono imobiliários de longo prazo como os dióxido de

Estudo mostra um aumento da temperatura do permafrost em escala global

  Estudo mostra um aumento da temperatura do permafrost em escala global O derretimento do permafrost provoca a liberação de dióxido de carbono e metano, com suas conseqüências, que aceleram o aquecimento global Universitat de Barcelona* Permafrost, o solo abaixo do ponto de congelamento da água 0 º por dois ou mais anos, é um elemento da criosfera que não tem sido tão estudado como outros solos como geleiras ou gelo marinho, embora desempenhe

Elevados níveis de mercúrio liberado pelo descongelamento do permafrost no Ártico canadense

  Descongelamento do permafrost no oeste do Ártico canadense está liberando níveis sem precedentes de mercúrio nos cursos de água. Por Katie Willis* ** Descongelamentos no gelo do oeste do Ártico, no oeste do Canadá, está liberando quantidades recorde de mercúrio nos cursos de água, de acordo com uma nova pesquisa feita por ecologistas da Universidade de Alberta. O mercúrio é um contaminante natural que é tóxico para os seres humanos e outros animais

Degelo do permafrost coloca a infraestrutura do Ártico em risco

  Degelo do permafrost coloca a infraestrutura do Ártico em risco Setenta por cento da infraestrutura atual no Ártico tem um alto potencial para ser afetada pelo derretimento do permafrost nos próximos 30 anos. Mesmo cumprir as metas de mudança climática do Acordo de Paris não reduzirá substancialmente os impactos projetados, de acordo com um novo estudo publicado na Nature Communications. University of Alaska Fairbanks*     "Muito mais precisa ser feito para preparar o Alasca para

Descongelamento do permafrost pode liberar mais CO2 do que se pensava anteriormente, sugere estudo

  Descongelamento do permafrost pode liberar mais CO2 do que se pensava anteriormente, sugere estudo Novas pesquisas de ecologistas da University of Alberta mostram que o intemperismo de minerais pode ser um contribuinte significativo para a mudança climática do Ártico.     Por Katie Willis, University of Alberta* A quantidade de dióxido de carbono liberado pelo derretimento do permafrost pode ser maior do que se pensava por causa de um processo chamado de intemperismo mineral, de

Degelo do permafrost aumenta as emissões de gases estufa dos rios da Sibéria

  Degelo do permafrost aumenta as emissões de gases estufa dos rios da Sibéria Solos de permafrost armazenam grandes quantidades de carbono congelado e desempenham um papel importante na regulação do clima da Terra. Em um estudo publicado na Nature Geoscience, pesquisadores da Umeå University, Suécia, em colaboração com uma equipe internacional, agora mostram que as emissões de gases do efeito estufa do rio estão aumentando em áreas onde o permafrost siberiano está

Descongelamento do permafrost sob lagos pode afetar significativamente os modelos de mudança climática

  Descongelamento do permafrost sob lagos pode afetar significativamente os modelos de mudança climática O metano liberado pelo derretimento do permafrost de alguns lagos do Ártico poderia acelerar significativamente as mudanças climáticas, de acordo com um novo estudo conduzido pela Universidade do Alasca em Fairbanks. Por Jeff Richardson * ** O estudo, publicado em 15 de agosto na revista Nature Communications, foca no carbono liberado pelo derretimento do permafrost sob lagos de termocarste. Tais

Top