Índice da edição nº 2.656, 2016 [25/11/2016]

    Macapá, capital do Amapá vulnerável às inundações, artigo de José Eustáquio Diniz Alves Ambientalistas dizem que saneamento precisa ser mais discutido com a sociedade Biodiesel de óleo de palma ameaça floresta tropical e polui mais que diesel Acordo de Paris é mais sólido que o de Kyoto Nota Técnica do Inesc revela que Funai gastou apenas R$ 25 por indígena em 2016 Isenção fiscal bilionária concedida a empresas é fator-chave no rombo do Rio Pesquisadores de

Macapá, capital do Amapá vulnerável às inundações, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

    [EcoDebate] A cidade de Macapá - capital do Amapá - com cerca de 466 mil habitantes, em 2016, concentra 60% da população do Estado (782.295 habitantes), segundo o IBGE. Macapá é a terceira maior aglomeração urbana da Amazônia, sendo a única capital cortada pela linha do Equador e fica às margens do rio Amazonas. A Fortaleza de São José de Macapá, inaugurada em 1782, foi construída para proteger a entrada

Ambientalistas dizem que saneamento precisa ser mais discutido com a sociedade

    A necessidade de ampliar a participação da sociedade na discussão sobre tarifas de saneamento foi um dos principais pontos levantados pelos participantes da roda de conversa Tarifas de Água e Esgoto: Abrindo os Números para o Debate. O evento aconteceu ontem (24), promovido pelo Instituto Democracia e Sustentabilidade (IDS) e a Aliança pela Água. “Você vê pessoa discutindo a conta de energia, de celular e o plano de celular. Agora, o

Biodiesel de óleo de palma ameaça floresta tropical e polui mais que diesel

    O consumo de óleo de palma para a produção de biodiesel na Europa cresceu 2,6% em 2015, um aumento que ameaça a floresta tropical e que a Quercus (maior organização ambiental portuguesa) critica, já que esse combustível polui três vez mais do que o óleo diesel. “O biodiesel europeu é atualmente o principal produto final resultante do óleo de palma, atingindo o índice inédito de 46%. Isso significa que os condutores

Acordo de Paris é mais sólido que o de Kyoto

  Acordo de Paris é mais sólido que o de Kyoto. Entrevista especial com Pedro Telles “A discussão sobre mudanças climáticas já atingiu um grau de importância geopolítica internacional importante, e vários países, como China, França e Brasil, se manifestaram dizendo que seguirão adiante com o Acordo de Paris. Disseram também que um retrocesso dos EUA em relação ao acordo não será bem-vindo”, diz Pedro Telles à IHU On-Line, na entrevista a seguir, concedida

Nota Técnica do Inesc revela que Funai gastou apenas R$ 25 por indígena em 2016

  Aprovação da PEC 55, que congela gastos públicos pelos próximos 20 anos vai atrofiar ainda mais o já combalido orçamento da Fundação Nacional do Índio, conforme revela nota técnica do Inesc, produzida por Alessandra Cardoso e Marcela Vecchione, professora da Universidade Federal do Pará. O orçamento da Fundação Nacional do Índio (Funai) é um dos mais atrofiados e irrisórios do governo federal e pode ficar ainda mais apertado com a

Isenção fiscal bilionária concedida a empresas é fator-chave no rombo do Rio

  Como o Rio chegou a esse buraco sem fundo? A Pública traz à tona dados e documentos inéditos sobre a crise e as isenções fiscais no estado, que devem ultrapassar R$ 9 bilhões em 2017 sem contar outros benefícios por Adriano Belisário, André Duchiade, da Agência Pública A concessão de benefícios fiscais está no centro dos debates sobre a falência do Rio de Janeiro em 2016, cercada por denúncias de ilegalidades, injustiças

Pesquisadores de Stanford dizem que jovens têm dificuldade em julgar a credibilidade da informação on-line

    Pesquisadores em educação dizem que os jovens são enganados pelos conteúdos patrocinados e nem sempre reconhecem o viés político das mensagens sociais. Quando se trata de avaliar a informação, que flui através de canais sociais ou aparece em uma pesquisa do Google, os jovens podem facilmente ser enganados, de acordo com um novo relatório de pesquisadores, na Stanford Graduate School of Education. O relatório, divulgado esta semana pelo Stanford History Education Group

Top