Portal EcoDebate: Índice da edição nº 1.645, de 30/07/2012

    As algas vão rolar, artigo de Efraim Rodrigues Agente Ambiental Voluntário: novos atores da educação ambiental nas unidades de conservação no Estado do Amazonas, artigo de Kelly Souza, Regina Cerdeira e Márcio Bentes Expansão do biogás só depende de estímulos do governo Cenários de mudanças não ajudam o equilíbrio da matriz energética Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) terá planta piloto para gaseificação de biomassa MPF recomenda ao Ibama e Funai

As algas vão rolar, artigo de Efraim Rodrigues

  Esgoto em natura despejado no rio São Francisco. Foto de arquivo   [EcoDebate] Estou no sertão. Aqui a Bahia encontra Sergipe que encontra Alagoas e Pernambuco. Neste epicentro do semiárido nordestino encontrei por acaso uma cena que nem choca mais; lançamento de esgoto in natura em rio (até mesmo no famoso São Francisco). Será ainda em um futuro muito distante quando aproveitaremos a água e os nutrientes de nosso esgoto para fins mais

Agente Ambiental Voluntário: novos atores da educação ambiental nas unidades de conservação no Estado do Amazonas, artigo de Kelly Souza, Regina Cerdeira e Márcio Bentes

  Agente Ambiental Voluntário: novos atores da educação ambiental nas unidades de conservação no Estado do Amazonas. Kelly Souza1. Regina Cerdeira2. Márcio Bentes.3 RESUMO: Este artigo apresenta as experiências obtidas com a implantação do Programa Agente Ambiental Voluntário nas unidades de conservação do Estado do Amazonas abordando, principalmente, a participação das comunidades; as limitações destes novos atores sociais em parceria com associações comunitárias e outras instituições; e a metodologia utilizada. As comunidades escolhem

Expansão do biogás só depende de estímulos do governo

  Aterro sanitário com a produção de biogás. Ilustração de Roberto Naime   A inclusão de um novo biocombustível no topo da matriz energética renovável brasileira está dependendo, segundo pesquisadores, de uma sinalização clara do governo para estimular novos estudos e a produção, em escala, do biogás no país. As pesquisas já apontam que o combustível tem potencial para dividir espaço, em grau de importância estratégica para o setor, com o etanol e

Cenários de mudanças não ajudam o equilíbrio da matriz energética

    Apesar de ter conquistado uma matriz energética equilibrada entre fontes de energia renováveis e tradicionais, o governo brasileiro tem se empenhado para manter essa relação diante de um cenário projetado pelo aumento do consumo de energia. Além de garantir a manutenção de sistemas, como o de produção de energia eólica e solar, os pesquisadores buscam novas fontes que poderiam complementar essa oferta para atender a crescente demanda do setor. A principal

Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) terá planta piloto para gaseificação de biomassa

    Projeto conceitual de planta industrial de gaseificação com capacidade de processar 400 mil toneladas anuais de bagaço e palha de cana-de-açúcar será instalada em Piracicaba (IPT) Prover os dados necessários para estabelecer um projeto conceitual de uma planta industrial de gaseificação com capacidade de processar 400 mil toneladas anuais de bagaço e palha de cana-de-açúcar é o objetivo do projeto da planta piloto do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), em Piracicaba. “Isso

MPF recomenda ao Ibama e Funai providências para garantir navegação no Xingu

    Falta de respostas para o problema motivou protesto indígena em que funcionários da Norte Energia, a construtora de Belo Monte, foram impedidos de deixar aldeia O Ministério Público Federal no Pará (MPF/PA) recomendou ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e à Fundação Nacional do Índio (Funai) a tomada de providências urgentes para garantia da navegabilidade para pequenas embarcações na área onde está sendo construída a

Quilombolas querem posse de Rio dos Macacos e governo promete negociar

  Imagem socializada por Ione Rochael, no Facebook Depois da ocupação da sede do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) em Salvador, sexta (26), por moradores da comunidade quilombola Rio dos Macacos, o governo decidiu marcar para a próxima quarta-feira (1º) uma reunião em Brasília para tratar do assunto. O governo também decidiu que não haverá a reintegração de posse, temida pelos moradores da comunidade. "Para construir esse consenso entre cada

Quilombolas ao lado de base naval de Aratu, na Bahia, ‘não atrapalham’ a Marinha, avalia DPU

  Imagem socializada por Ione Rochael, no Facebook Para a Defensoria Pública da União (DPU), a presença de uma comunidade de 46 famílias quilombolas ao lado da Base Naval de Aratu, na cidade de Simões Filho, região metropolitana de Salvador (BA), “não atrapalha em nada” as atividades da Marinha, pois a presença dos quilombolas “está delimitada” pela Barragem dos Macacos, criada artificialmente pelos próprios militares para abastecimento da base. A opinião é

Uma leitura de antropólogos e sociólogos sobre o futuro da Amazônia

    O enfraquecimento de agências multilaterais de cooperação internacional começa a ameaçar as políticas para conservação da Amazônia Legal. A afirmativa é do presidente do Programa Nova Cartografia Social, Alfredo Wagner de Almeida, que ministrou conferência, na sexta(26), na 64ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), realizada na Universidade Federal do Maranhão (UFMA), em São Luís. Sob o tema "Povos e comunidades tradicionais atingidos por projetos militares",

Os biomas do Maranhão e a Mata Atlântica: ameaças e perspectivas

    Espécies extintas, hotspots e questionamentos políticos em relação a essas regiões movimentaram o debate na 64ª Reunião Anual da SBPC. Os biomas brasileiros foram analisados numa mesa-redonda na quinta-feira (26), durante a 64ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), em São Luís, mais especificamente os biomas que existem no estado do Maranhão (Amazônia, Caatinga e Cerrado) e a Mata Atlântica. A conferência contou com a participação

Resistência à Belo Monte impede Xingu Vivo de participar da 64ª Reunião Anual da SBPC

  Cadê o Movimento Xigu? Essa foi a pergunta de pessoas que acompanharam, na sexta(26), a conferência "Belo Monte: impactos sócio-ambientais e movimento Xingu vivo para sempre", realizada na 64ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), na Universidade Federal do Maranhão (UFMA), em São Luís. Explicando a ausência dos indígenas no evento, Edna Maria Ramos de Castro, socióloga do Núcleo de Altos Estudos Amazônicos, da Universidade Federal

Top