Índice da edição de 23/03/2009

Nada temos que comemorar no Dia Mundial da Água, por Henrique Cortez Consumo de água engarrafada é uma tragédia ambiental, por Henrique Cortez Segurança de barragens e o Projeto de Lei PL N.1181/2003, artigo de Carol Salsa Relatório da ONU recomenda que países criem políticas para regular consumo de água Relatório da ONU confirma que o mundo está longe de acesso adequado a saneamento Bairro nobre de Brasília detém o recorde mundial de desperdício de

Nada temos que comemorar no Dia Mundial da Água, por Henrique Cortez

Um olho d'água à beira do esgotamento. [EcoDebate] O dia mundial da água e a realização do V fórum Mundial da Água foram pauta de toda a grande mídia, com grande destaque para o crescente stress hídrico e a severa ameaça de escassez em escala global. Em todo o planeta, aqui inclusive, incontáveis discursos, solenidades, eventos e ‘festividades’ comemoraram o dia mundial da água e ‘destacaram’ a sua importância cotidiana na

Consumo de água engarrafada é uma tragédia ambiental, por Henrique Cortez

[EcoDebate] A indústria da água engarrafada é uma das atividades que mais crescem no mundo, mesmo diante de uma grande crise financeira global. O competente marketing da indústria fixou no inconsciente das pessoas o mito de que a água engarrafada é mais segura e saudável. Mas, se ignorarmos o mito, veremos que consumir água engarrafada, onde a água da rede é tratada e potável, é uma injustificável insanidade ambiental. 11455

Segurança de barragens e o Projeto de Lei PL N.1181/2003, artigo de Carol Salsa

[EcoDebate] O 3º Simpósio sobre Segurança de Barragem e Riscos Associados realizado em Salvador, Bahia, em fins de 2008, congregou especialistas e estudiosos , para tratar do tema considerado prioritário nas boas práticas de construção de barragens. Durante o evento, foi lançado um documento publicado conjuntamente pelo Comitê Brasileiro de Barragens - CBDB, pela Associação Brasileira de Mecânica dos Solos e Engenharia Geotécnica, ABMS, contando também com a participação

Relatório da ONU recomenda que países criem políticas para regular consumo de água

ONU quer políticas para combater desperdício Foto: Roosewelt Pinheiro/ABr O aumento cada vez maior do consumo de água vai exigir que os países estabeleçam políticas públicas para regular o seu uso. Essa é uma das conclusões do 3º Relatório das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Mundial dos Recursos Hídricos, divulgado durante o 5º Fórum Mundial da Água, que ocorreu em Istambul, na Turquia, ontem (22), Dia Mundial da Água. 11449

Relatório da ONU confirma que o mundo está longe de acesso adequado a saneamento

Esgoto a céu aberto, em foto de arquivo O acesso a serviços como água potável e saneamento básico continua inadequado na maior parte dos países em desenvolvimento de acordo com o 3º Relatório das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Mundial dos Recursos Hídricos, divulgado no 5º Fórum Mundial da Água, que encerrado ontem (22), em Istambul, na Turquia. De acordo com as perspectivas apresentadas no documento, em 2030, cerca de cinco bilhões de

Bairro nobre de Brasília detém o recorde mundial de desperdício de água por habitante

Além de cartão postal, o Lago Paranoá é um dos principais reservatórios hídricos do Distrito Federal Foto: Roosewelt Pinheiro/ABr O Brasil detém o recorde de desperdício de água por habitante no mundo. Ele foi detectado no Lago Sul, bairro nobre de Brasília, onde o gasto médio diário por pessoa é de mil litros. Enquanto isso, em países da Àfrica, como a Namíbia, por exemplo, as pessoas têm menos de um litro

Projeto Rios Voadores avalia impacto de desmatamento da Amazônia no clima brasileiro

Desmatamento na Amazônia, em foto de arquivo MMA O vapor d’água gerado na Amazônia e transportado pelas massas de ar tem impacto decisivo sobre o clima nas demais regiões do Brasil, principalmente sobre o ciclo de chuvas no Sul e no Sudeste. Essa é uma das constações do Projeto Rios Voadores, coordenado há dois anos pelo engenheiro e ambientalista Gérard Moss, com patrocínio de R$ 3,45 milhões do Programa Petrobras Ambiental

Com desmatamento não há lucro futuro

Desmatamento, em foto de arquivo MMA Um relatório da Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO) divulgado esta semana trouxe dados preocupantes sobre o desmatamento no mundo. O relatório coloca o Brasil em péssima situação quanto à conservação de suas matas. No estudo, que analisa a perda absoluta de florestas entre 2000 e 2005, o Brasil figura como responsável por 42% de hectares da mata cortada em todo o

Livro questiona noção de que a industrialização leva ao desenvolvimento e de que este seria sinônimo de progresso

Capa do livro "Desenvolvimento, ambiente e saúde – implicações da (des)localização industrial" Livro questiona benefícios do desenvolvimento sustentável no Ceará - Existe um paradigma dominante segundo o qual a industrialização e a urbanização levam ao desenvolvimento e que este seria sinônimo de progresso. No entanto, considerando o aumento das disparidades, da desigualdade social, da miséria, da alienação e da exclusão, nos últimos 200 anos desde o advento da Revolução Industrial, pode

Crescimento da certificação: a hora da verdade, artigo de Luís Fernando Guedes Pinto

Os debates na sociedade e as oportunidades e demandas de mercado têm feito com que a certificação socioambiental ganhe importância cada vez maior. Em 2008, a Rede de Agricultura Sustentável (selo Rainforest Alliance Certified) cresceu de forma expressiva, com 17 novos empreendimentos certificados, saltando de 25 para 42 o total de projetos com o selo, somente no Brasil. São majoritariamente fazendas de café, além de 6,5 mil hectares de fazendas

A vulnerabilidade de nossas cidades, artigo de Washington Novaes

[O Estado de S.Paulo] A queda, no pátio de um estacionamento, de um avião monomotor que um suicida tentava atirar contra o maior shopping center de Goiânia, na hora em que circulavam no seu interior milhares de pessoas, mais uma vez evidencia vulnerabilidades muito preocupantes de grandes aglomerados urbanos - já às voltas com momentos até de ingovernabilidade e domínio territorial por bandos criminosos ou grupos sociais inconformados (perueiros, motoqueiros,

Top