Racismo e sexismo no Brasil em 2018, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  Racismo e sexismo no Brasil em 2018, artigo de José Eustáquio Diniz Alves “Ou nenhum indivíduo da espécie humana tem verdadeiros direitos, ou todos têm os mesmos; e aquele que vota contra os direitos do outro, seja qual for a sua religião, cor ou sexo, desde logo abjurou o seu próprio” (Marquês de Condorcet, 03/07/1790).     [EcoDebate] Dizer que o Brasil é um país racista e sexista é a mais pura verdade, mas é insuficiente para

Povos Ciganos: Percursos, Resistências e Direitos de um povo milenar, por Alenice Baeta, Gilvander Moreira e Thales Viote

Povos Ciganos: Percursos, Resistências e Direitos de um povo milenar, por Alenice Baeta, Gilvander Moreira e Thales Viote Povos Ciganos: Percursos, Resistências e Direitos de um povo milenar: o cerco está se fechando sobre os ciganos? Por Alenice Baeta1, Gilvander Moreira2 e Thales Viote3 Este Artigo busca em linhas gerais traçar alguns momentos históricos marcantes de perseguição e resistência do povo tradicional cigano, em específico, visando subsidiar a compreensão do atual contexto

Cotas foram revolução silenciosa no Brasil e que beneficiam toda a sociedade, afirma especialista

  ABr A chance de ter um diploma de graduação aumentou quase quatro vezes para a população negra nas últimas décadas no Brasil. Depois de mais de 15 anos desde as primeiras experiências de ações afirmativas no ensino superior, o percentual de pretos e pardos que concluíram a graduação cresceu de 2,2%, em 2000, para 9,3% em 2017. Apesar do crescimento, os negros ainda não alcançaram o índice de brancos diplomados. Entre a

Somos todos iguais? IBGE mostra as cores da desigualdade

  Somos todos iguais? IBGE mostra as cores da desigualdade IBGE Editoria: Revista Retratos Subeditoria: Revista Retratos As estatísticas de cor ou raça produzidas pelo IBGE mostram que o Brasil ainda está muito longe de se tornar uma democracia racial. Em média, os brancos têm os maiores salários, sofrem menos com o desemprego e são maioria entre os que frequentam o ensino superior, por exemplo. Já os indicadores socioeconômicos da população preta e parda, assim como

Pesquisa indica que vítimas de racismo têm maior chance de sofrer transtornos mentais

    Pesquisa indica que vítimas de racismo têm maior chance de sofrer transtornos mentais Fiocruz Bahia A saúde mental de mulheres brasileiras pode ser prejudicada ao sofrer preconceito por causa da cor da pele, tanto na dimensão pessoal quanto em grupo, aumentando em até 70% a chance de sofrer transtornos mentais comuns (TMC). Essa foi a conclusão de um estudo feito pelo pesquisador e coordenador do Centro de Integração de Dados e Conhecimentos para Saúde (Cidacs)

Racismo ambiental, o que é e como se construiu? artigo de Elissandro Santana

  Racismo ambiental, o que é e como se construiu? artigo de Elissandro Santana   O racismo é uma construção secular no Brasil e possui tentáculos que são assustadores em pleno século XXI. O racismo ambiental é um deles e, por ser um monstro que nos aterroriza e nos assombra, precisa ser dissecado, estudado, pois é necessário vencer esse demônio cristalizado na arquitetura mental-social brasileira, institucionalizado sem que muitos tomem consciência. Feito o introito,

A cada 23 minutos, um jovem negro é morto no Brasil; ONU lança campanha Vidas Negras para alertar sobre violência

  ABr A cada 23 minutos, um jovem negro é morto no Brasil. A cada dia, são 66 vidas perdidas, totalizando 4.290 óbitos por ano. Segundo o Mapa da Violência, um rapaz negro tem até 12 vezes mais chance de ser assassinado em relação a um branco. Em comum nesses homicídios, está a presença do racismo, segundo a Organização das Nações Unidas (ONU). Essa é a premissa da campanha Vidas Negras, lançada

A Ku Klux Klan velada do Brasil, artigo de Liliane Rocha

    [EcoDebate] De ontem para hoje vi uma série de pessoas impactadas com a reportagem de um programa de televisão que abordou a questão do crescimento e fortalecimento de grupos racistas nos EUA. Realmente o que assistimos é assustador. No entanto, será que no Brasil a realidade é diferente? Ou melhor, será que no Brasil, não há ódio interracial? Vejamos alguns dados que demonstram a nossa realidade. Apesar de termos uma expressiva

RJ: Crimes de intolerância podem ser denunciados pelo Disque Combate ao Preconceito

    Denúncias de preconceito ou de intolerância contam com um novo instrumento lançado pela Secretaria de Estado de Direitos Humanos e Políticas para Mulheres e Idosos do Rio de Janeiro (SEDHMI). É o serviço Disque Combate ao Preconceito, que atende pelo número (21) 2334 9551. O público poderá denunciar atos preconceituosos como xenofobia, LGBTfobia, racismo, intolerância religiosa, entre outros. O secretário Átila Nunes informou na sexta-feira (18) à Agência Brasil que decidiu

O discurso do ódio alimenta a barbárie, artigo de Reinaldo Dias

  O discurso do ódio alimenta a barbárie, artigo de Reinaldo Dias [EcoDebate] As maiores atrocidades ocorridas na história da humanidade ocorreram fomentadas pelo discurso do ódio. Em um passado recente, na segunda guerra mundial, o regime nazista alemão promoveu o extermínio de 6 milhões de judeus e outros grupos considerados inferiores ou que foram perseguidos por motivos políticos, ideológicos ou comportamentais. Esse massacre está fartamente documentado e surpreende o seu recrudescimento no mundo

Estudo analisa a desigualdade ‘racial’ nas eleições brasileiras

  Por José Tadeu Arantes | Agência FAPESP Em 2014, enquanto a parcela autoclassificada como “negra” somava mais de 53% da população, os “negros” constituíram menos de 25% dos políticos eleitos     Mesmo em sistemas eleitorais competitivos e relativamente inclusivos, nos quais a clivagem do eleitorado no que se refere a “raça” não é tão forte, a democracia formal pode conviver com desigualdades persistentes em termos de representação política, privilegiando candidatos “brancos” em detrimento

Raça, gênero e classe: Triplos obstáculos sociais marcam a trajetória das mulheres negras

  Raça, gênero e classe são os obstáculos que as mulheres negras enfrentam no Brasil desde a época da abolição Por Carolina Marins Santos, Rádio USP http://jornal.usp.br/wp-content/uploads/MULHERES-NEGRAS-1.mp3   O dia 13 de maio marca os 129 anos de assinatura da Lei Áurea, conhecida por ter libertado os escravos após 388 anos. Entretanto, a data não costuma ser considerada motivo de comemoração, afinal, a situação dos negros nesse período foi bastante conturbada. A libertação não veio

Racismo Ambiental: Conceito se mostra extremamente atual diante do massacre sofrido pelos índios Gamela

Racismo Ambiental: Conceito se mostra extremamente atual diante do massacre sofrido pelos índios Gamela Racismo Ambiental Por Maíra Mathias - EPSJV/Fiocruz Dakota do Norte, Estados Unidos, 2016: uma empresa petrolífera está em vias de terminar a construção de um oleoduto com quase dois mil quilômetros de extensão. O traçado original é abandonado para evitar que a tubulação passe próxima de Bismarck, capital do estado, já que moradores e autoridades locais temem pela contaminação

Racismo: Para mais de 50% dos jovens, há preconceito velado e dificuldade em tratar sobre o assunto

  Racismo: Para mais de 50% dos jovens, há preconceito velado e dificuldade em tratar sobre o assunto O racismo é um dos tópicos mais discutidos na atualidade, principalmente, por questões envolvendo a exclusão social e conflitos étnicos ao redor do mundo. Contudo, o tema está sendo debatido de forma correta ou essa abordagem já não é mais necessária? Para entender a visão dos jovens sobre o assunto, o Nube – Núcleo

No Brasil, o racismo de um país que não se reconhece racista

    No Brasil, o racismo de um país que não se reconhece racista Segundo os professores presentes no “Diálogos na USP”, o Brasil tem vergonha de assumir o racismo, mas ainda homenageia pessoas que mataram negros com nomes de ruas e avenidas Por Redação, Rádio USP Acompanhe a entrevista do jornalista Marcello Rollemberg com a professora Rosane Borges, colaboradora do Celac (Centro de Estudos Latino-Americanos sobre Cultura e Comunicação da USP), e com o

Homens negros têm 23,5% mais chances de serem assassinados do que os brancos no Rio de Janeiro

    Ipea: negros têm mais chances de serem assassinados no Rio do que brancos Mesmo desconsiderando todos os fatores econômicos e sociais, os homens negros têm 23,5% mais chances de serem assassinados do que os brancos no Rio de Janeiro. A estimativa é do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), que apresentou sexta-feira (18) estudo inédito feito a partir de uma análise metodológica inovadora, com base nos dados do Censo 2010 e

Cotas sociais não promovem inclusão racial, artigo de Paulo Inácio Prado

  No Brasil o racismo e o sexismo moldam de tal forma nossa visão de mundo que podemos cair em armadilhas até quando buscamos soluções. Uma arapuca fácil de cair é confundirmos inclusão social com inclusão racial.*A renda média de negros é de cerca de metade da renda dos brancos no Brasil[1], um país em que 75% dos presos são negros e 72% dos que têm nível superior são brancos[2]. Esses

Racismo ambiental no Brasil, por Elissandro dos Santos Santana, Denys Henrique Rodrigues Câmara e Joceneide Cunha dos Santos

Racismo ambiental no Brasil, por Elissandro dos Santos Santana, Denys Henrique Rodrigues Câmara e Joceneide Cunha dos Santos Racismo ambiental no Brasil Por Elissandro dos Santos Santana[1], Denys Henrique Rodrigues Câmara[2] e Joceneide Cunha dos Santos[3].    [EcoDebate] Sabiam que para homens e mulheres negros sempre reservaram os rincões mais inóspitos no Brasil? Que eles foram trazidos forçados, maltratados, humilhados através do Atlântico, oriundos de várias partes do imenso Continente Africano, e jogados

Conflitos raciais, desigualdades e endividamento nos Estados Unidos, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

"I hope the United States of America is not so rich that she can afford to let these wildernesses pass by, or so poor she cannot afford to keep them" Margaret Murie [EcoDebate] No dia 04 de julho se comemora a Independência dos Estados Unidos. No dia 05 de julho de 2016, um homem negro foi morto por dois policiais, em Baton Rouge, capital do Estado americano Louisiana. Alton Sterling, de 37

Tolerância e políticas afirmativas são chave para enfrentamento do racismo no Brasil, sugere estudo

  Tolerância e políticas afirmativas são chave para enfrentamento do racismo no Brasil, sugere estudo Pesquisa da Faculdade de Educação (FE) da USP analisa o envolvimento de professores brancos com a educação das relações étnico-raciais Por Denis Pacheco, do Jornal da USP. O pequeno aumento da porcentagem dos que se autodeclaram negros, registrado pelo IBGE em 2014, pode sinalizar um futuro de melhor convivência entre essa parcela da população e os que se autointitulam

Top