Black Lives Matter – Menino do Rio

 

racismo institucional

Black Lives Matter – Menino do Rio

Artigo de Márcia Gomes de Oliveira

[EcoDebate] “Menino do Rio…. Eu canto para Deus proteger-te“, escreveu Caetano Veloso, em 1978. Hoje, 8 em cada 10 presos em flagrante no Rio de Janeiro são negros.

Praias em tempos de Covid-19. Ipanema, 10 horas da manhã de sexta-feira. Corpos ao sol e cangas estendidas na areia, em desrespeito solene ao decreto municipal de contenção do Novo Coronavírus. Mas isso não é um problema, se você não for preto pobre.

Tenho ido à praia de Ipanema, desde que foram liberadas para prática de atividade individual no mar. Nesta primeira fase de flexibilizacao, fazia o que era permitido: deixava minha sacola na areia e ficava na água até o momento de ir embora, com o uso de máscara. Percebi que nesse primeiro momento, eram poucas as pessoas que cometiam a infração de esticar suas cangas e se deitarem ao sol. Os policiais gentilmente informavam ao infrator que não era permitido ficar na areia e estender cangas, depois dessa conversa amigável, iam embora. Neste momento, não havia presença de moradores das favelas e subúrbios do Rio na praia. A grande maioria dos frequentadores era residentes próximos que chegavam sem acessórios, como bolsa e guarda-sol.

Quem faz atividade esportiva no mar? Quem pode entrar direto na água sem deixar acessórios na areia? Quem pode ir à praia de Ipanema apenas para dar um mergulho e voltar para casa, sem precisar utilizar transporte público? A praia de Ipanema era ocupada por poucos corpos brancos.

Mais recentemente, além do mar, também foi autorizado fazer esportes na areia com o uso de máscara. Nesta segunda fase, o número de pessoas na areia aumentou muito. O PM, em seu novíssimo triciclo ou a pé, continua informando que não é permitido estender canga, fixar cadeira e guarda-sol. Observo a cena repetidas vezes: um policial gentil que informa e uma pessoa que escuta e ignora. Isso chamou muito a minha atenção, ver o desprezo da classe abastada pelas regras de convivência em tempos de Covid.

Conforme o tempo foi passando, o número de pessoas na praia foi aumentando e a fala informativa dos policiais foi diminuindo. Mas chegou um momento em que o favelado e o suburbano também chegaram à praia. E agora, como será o comportamento da polícia?

A PM chega, com seu triciclo e camisa sintética verde fluorescente. Um, dois, três policiais cercam o menino pobre suburbano e seus amigos. Revistam mochilas e bolsos dos shortes. Solicitam os documentos para consultar o cadastro de criminosos e ver se já estão fichados pela polícia. Como o celular do policial tem dificuldades para acessar o sistema e obter a informação desejada, chega mais policias com suas camisas fluorescentes e cercam os meninos até conseguirem a informação de cada um deles. É claro que isso não vai ser rápido.

Os meninos aguardam tranquilamente aqueles 20 a 30 minutos de constrangimento. Após a batida policial, fui falar com um deles. Comentei sobre o quão era desagradável passar por aquela situação constrangedora. Ele com um sorriso Bob Marley me disse: “Não tem problema, já estou acostumado com o racismo”. Enquanto isso, corpos brancos da classe média e alta escurecem suas peles ao sol, suave e livremente neste prenúncio de primavera.

Texto e foto: Márcia Gomes de Oliveira, Rio de Janeiro, Agosto de 2020

in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 04/09/2020

 

Para pesquisar mais sobre este tema ou outros, use a ferramenta de pesquisa

 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate com link e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394,

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Top