Mais de 1 milhão de hectares na Floresta Amazônica poderão ser explorados por madeireiras

  Mais de 1 milhão de hectares na Floresta Amazônica poderão ser explorados por madeireiras a partir do ano que vem. O Serviço Florestal Brasileiro (SFB) lançou, na semana passada, o terceiro edital deste ano de concessão florestal, na Floresta Nacional de Altamira, no Pará, com área de 360 mil hectares, para a exploração sustentável de madeira tropical. Também estão abertos os editais das florestais nacionais do Crepori e do Amana, ambas

Governo prepara edital para exploração de 440 mil hectares de floresta no Pará

    Mais de 440 mil hectares de uma área florestal no Pará poderão ser explorados por madeireiras a partir do próximo ano. O edital para que as empresas interessadas disputem as concessões de exploração sustentável de madeira foi lançado há uma semana pelo Serviço Florestal Brasileiro (SBF). A Floresta Nacional do Crepori está localizada entre as rodovias Transamazônica (BR-230) e Cuiabá-Santarém (BR-163). O lote de concessão está dividido em quatro unidades de

PA: Operação investiga extração ilegal de madeira da Terra Indígena Tembé

  Foto de arquivo   Foram cumpridos ontem (21), mandados de busca e apreensão em 27 locais onde podem haver provas relativas ao esquema de desmatamento ilegal. Em 2012, houve conflito entre índios e madeireiros Operação conjunta do Ministério Público Federal no Pará (MPF/PA), da Polícia Federal e do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) cumpre nesta terça-feira, 21 de maio, 27 mandados de busca e apreensão em escritórios

Índios Pukobjê-Gavião decidem combater extração ilegal de madeira no Maranhão e pedem presença da PF

      Índios Pukobjê-Gavião da Terra Indígena Governador, em Amarante (MA), apreenderam, na semana passada, quatro caminhões e um trator que transportavam cerca de 20 metros cúbicos de ipê e de sapucaia derrubados por madeireiros que atuavam irregularmente no interior da terra indígena, localizada a cerca de 110 quilômetros de Imperatriz. Com medo de represálias dos madeireiros, os índios pedem a presença da Polícia Federal na reserva indígena. A apreensão provocou revolta de

MPF/MT denuncia seis por extração ilegal de madeira na Terra Indígena (TI) do povo Kayabi

  Madeira ilegal. Foto de arquivo Ibama Os acusados também foram denunciados por uso de motosserra em florestas sem licença da autoridade competente, furto e porte ilegal de armas O Ministério Público Federal em Mato Grosso (MPF/MT) denunciou, nesta quinta-feira, 28 de junho, seis pessoas por explorarem ilegalmente madeiras na Terra Indígena (TI) do povo Kayabi, em Apiacás (MT). O crime foi descoberto durante uma fiscalização da Polícia Federal, no dia 5 de junho

ICMBIO não vai autorizar exploração madeireira em áreas reivindicadas por indígenas

  Recomendação feita pelo Ministério Público Federal foi aceita pelo instituto O Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) acatou a recomendação do Ministério Público Federal (MPF) de não autorizar a exploração de madeira em áreas localizadas nas Terras Indígenas Munduruku-Taquara e Bragança-Marituba, no interior da Floresta Nacional do Tapajós, Unidade de Conservação federal no oeste do Pará. “Informo que a recomendação será cumprida integralmente”, respondeu em documento o chefe da Floresta

Sem escolta, líder do Amazonas, ameaçada por madeireiros, tem que deixar sua comunidade

  Ameaçada, Nilcilene Miguel de Lima teve que sair da sua comunidade depois que a sua escolta foi retirada pelo governo federal Foto: Ana Aranha Escolta de liderança ameaçada por madeireiros no sul do Amazonas é interrompida pela SeDH; sob risco de vida, Nilcilene teve que deixar sua comunidade [Por Ana Aranha, de A Pública– Agência de Reportagem e Jornalismo Investigativo] Assim que Nilcilene Miguel de Lima saiu de sua comunidade no sul

PA: MPF e Funai pedem retirada de invasores da Terra Indígena Kayapó

  Serraria ilegal embargada pelo Ibama, em agosto/2011, na Terra Indígena Kayapó em Cumaru do Norte, no sudeste do Pará. Grupo liderado por uma mulher foi retirado quatro vezes, mas continua resistindo em sair da área indígena e chegou a ameaçar equipes da Funai e da Polícia Federal O Ministério Público Federal e a Fundação Nacional do Índio pediram à Justiça Federal de Redenção que determine a reintegração de posse, em favor dos

MPF/PA denuncia madeireiros em assentamento de extrativistas assassinados

  Três madeireiras que haviam sido acusadas por Zé Cláudio e Maria, além de seus sócios administradores à época, podem ser réus em processo de crimes ambientais O Ministério Público Federal (MPF) denunciou à Justiça Federal em Marabá (PA) as empresas Tedesco Madeiras Ltda, Madeireira Eunápolis Ltda e Madeireira Bom Futuro Ltda pela exploração ilegal dos recursos florestais do assentamento Praialta Piranheira, em Nova Ipixuna, Pará, onde foram assassinados no ano passado

‘Tratores de madeireiros passaram por cima do acampamento Awá, destruindo tudo’, diz missionária do Cimi

  Com apenas duas horas de caminhada, mata adentro na Terra Indígena Araribóia, município de Arame (MA), a comissão composta por integrantes do Conselho Indigenista Missionário (Cimi), Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e Sociedade Maranhense de Direitos Humanos (SMDH) avistou a primeira clareira de devastação da floresta deixada pelos madeireiros. Dali por diante foram mais quatro horas de provas da ação ilegal dos invasores da terra indígena até o desfecho no

Cimi: entrada de madeireiros em terras indígenas não é fiscalizada

  A representante do Conselho Indigenista Missionário (Cimi) no Maranhão, Rosimeire Diniz, disse que o assassinato de uma criança carbonizada por madeireiros, em outubro do ano passado, é resultado da falta de fiscalização nas comunidades indígenas locais, especialmente as isoladas A representante do Conselho Indigenista Missionário (Cimi) no Maranhão, Rosimeire Diniz, disse que o assassinato de uma criança carbonizada por madeireiros, em outubro do ano passado, é resultado da falta de fiscalização

MPF/RO quer fechamento imediato de madeireiras que devastam terras indígenas

  Estado de Rondônia também é réu na ação por emitir licenças ambientais O Ministério Público Federal (MPF) em Ji-Paraná (RO) ingressou com uma ação civil pública para fechar nove madeireiras que estão extraindo ilegalmente grandes quantidades de madeiras nobres de três terras indígenas. As madeireiras estão situadas no distrito de Boa Vista do Pacarana, no município de Espigão D'Oeste. Para o MPF, o distrito é o principal foco deste tipo de

Top