Projeto com abelhas nativas pretende recompor espécies em extinção

    Projeto com abelhas nativas pretende recompor espécies em extinção No Brasil, existem mais de 300 espécies de abelhas nativas. Grandes responsáveis pela polinização das plantas, também contribuem para a agricultura e produção de alimentos. “Cerca de 75% da polinização nas áreas cultivadas é feita por abelhas. A qualidade dos frutos e das sementes depende, em grande parte, desses insetos”, explica o agrônomo e doutor em Gestão de Recursos Naturais pela Colorado State

Un sistema para detectar pesticidas en el polen y el néctar puede ayudar a las abejas

  Investigadores de la Universidad de Jaén han creado un nuevo método para, con muy poca cantidad de muestra, obtener las cantidades de insecticidas presentes en el polen y el néctar. La nueva herramienta es capaz de analizar ocho compuestos que pueden estar contribuyendo a la desaparición de las abejas y otros insectos. Servicio de Información y Noticias Científicas (SINC)   Científicos del grupo de investigación Química Analítica de la Universidad de Jaén han desarrollado un

Pesticidas neonicotinoides reduzem significativamente o número de grãos de pólen que uma abelha pode coletar

  University of Stirling*   Foto: University of Stirling   A pesquisa, realizada por uma equipe na Faculdade de Ciências Naturais, descobriu que doses realistas de um pesticida neonicotinoide afetam o comportamento das abelhas - em última análise, interferindo com o tipo de vibrações que produzem ao coletar o pólen. A Dra. Penelope Whitehorn, pesquisadora da Universidade de Stirling, que liderou a pesquisa, disse: "Nosso resultado é o primeiro a demonstrar mudanças quantitativas no tipo de

O agronegócio e o declínio dos insetos; análise de Luiz Marques (IFCH/Unicamp)

  Jornal da UNICAMP Texto: LUIZ MARQUES Fotos: REPRODUÇÃO | FRED DOLT | GREENPEACE Edição de imagem: LUIS PAULO SILVA Vinte anos atrás, um artigo da Science, intitulado “Human Domination of Earth’s Ecosystems”, assim concluía sua avaliação das consequências dos impactos antropogênicos sobre os ecossistemas [I]: “As consequências globais da atividade humana não são algo a ser enfrentado no futuro. Elas estão conosco agora. Todas essas mudanças estão em curso e em muitos casos, em aceleração.

Cientistas preocupados com a perda de colônias de abelhas

    Cientistas brasileiros e de diversos países estarão reunidos de 16 a 18 de outubro para discutir e propor alternativas para evitar a perda de colônias de abelhas. O encontro, promovido pela Embrapa, vai ocorrer em Teresina, Piauí, no “Simpósio sobre Perda de Abelhas no Brasil ”. Durante o evento serão discutidas as principais causas de perdas de enxames de abelhas no Brasil, suas consequências, estratégias e direcionamentos de pesquisa para reduzir

O massacre das abelhas pelo agrotóxico. Nos últimos anos, no Brasil mais de um bilhão de abelhas foram mortas

O massacre das abelhas pelo agrotóxico O massacre das abelhas pelo agrotóxico. Nos últimos anos, no Brasil mais de um bilhão de abelhas foram mortas. Entrevista especial com Lionel Segui Gonçalves IHU     O fenômeno do desaparecimento das abelhas pode ser explicado cientificamente, diz Lionel Segui Gonçalves, especialista em genética de abelhas, à IHU On-Line. Segundo ele, esse fenômeno que tem ocorrido no mundo todo, e particularmente no Brasil, está associado ao uso de

Pesticida neonicotinóide reduz as chances de uma abelha rainha começar uma nova colônia

  Pesticida neonicotinóide reduz as chances de uma abelha rainha começar uma nova colônia Royal Holloway, Universidade de Londres* As abelhas são menos capazes de iniciar as colônias quando expostas a um pesticida neonicotinóide comum, o que pode levar a colapsos em populações de abelhas selvagens, de acordo com uma nova pesquisa, publicada em Nature Ecology & Evolution. Pesquisadores da Royal Holloway, da Universidade de Londres e da Universidade de Guelph, descobriram que a

Uso indiscriminado de agrotóxicos pode levar à extinção de abelhas

    Uso indiscriminado de agrotóxicos pode levar à extinção de abelhas Estudos projetam para 2035 o ano da extinção das abelhas, se nada for feito para mudar o atual panorama mundial Por Rádio USP http://jornal.usp.br/wp-content/uploads/ABELHA-ACABA-MATERIA-FECHADA-FERRAZ-JUNIOR-6.48.mp3   O uso indiscriminado de agrotóxicos está acabando com as abelhas e esse é um problema mundial. As consequências são sentidas diretamente na produção de alimentos. É que as abelhas são responsáveis pela polinização das plantas. As plantas que têm flor precisam

Aluguel de colmeias de abelhas, artigo de Roberto Naime

  “Se as abelhas desaparecerem da face da terra, a humanidade terá apenas mais quatro anos de existência. sem abelhas não há polinização, não há reprodução da flora, sem flora não há animais, sem animais não haverá raça humana”. “Albert Einstein”     [EcoDebate] As abelhas trabalham todos os dias do ano, sem direito a benefícios ou folgas. São confinadas em pequenas casas de madeira ao longo das plantações e têm até sua funcionalidade

Ibama estabelece diretrizes para avaliação dos riscos de agrotóxicos para insetos como abelhas

    O Ibama publicou Instrução Normativa que estabelece diretrizes, requisitos e procedimentos para a avaliação dos riscos de ingredientes ativos de agrotóxicos para insetos polinizadores. A norma, destinada a produtos ainda não registrados no país ou em reavaliação, é a primeira a estipular critérios de decisão com base no risco, ou seja, na probabilidade de uma espécie ser afetada pela exposição a agrotóxicos. O objetivo é oferecer mais proteção a abelhas

Estudo faz diagnóstico sobre declínio de insetos polinizadores no mundo

  Por Rodrigo de Oliveira Andrade | Revista Pesquisa FAPESP     O uso intensivo de fertilizantes químicos, a destruição e degradação de áreas florestais e o agravamento das mudanças climáticas são as causas do declínio das populações de insetos polinizadores, como abelhas, moscas e borboletas, ao redor do mundo. A conclusão é de um amplo estudo de revisão feito por um grupo internacional de pesquisadores, entre eles a bióloga Vera Lúcia Imperatriz-Fonseca, do

Padronização agrícola ameaça animais polinizadores, alerta pesquisa internacional

    Pesquisa divulgada, nesta terça-feira (9), na revista científica PeerJ, periódico que aborda estudos nas áreas de Biologia e Ciências Médicas, aponta ameaças e oportunidades para abelhas e demais espécies polinizadoras em agricultura, nos próximos 30 anos. A investigação, apoiada pela rede SuperB, financiada pela União Europeia, foi conduzida por um grupo internacional de 17 cientistas, pesquisadores de órgãos de governos e organizações não governamentais liderados pelo Prof. Mark Brown, da

Jardim Botânico do Rio inaugura projeto de criação de abelhas sem ferrão

    Um projeto que tem por objetivo a preservação de abelhas sem ferrão começou a ser executado esta semana pelo Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Um espaço para a criação desse tipo de abelha está funcionando ao lado do Orquidário e é aberto ao público. A iniciativa do projeto chamado de Meliponário é do Laboratório de Fitossanidade da instituição. A engenheira agrônoma Maria Lucia Teixeira Moscatelli, responsável pelo laboratório, disse que

A produtividade agrícola está intimamente relacionada ao trabalho realizado pelos agentes polinizadores

  A produtividade agrícola está intimamente relacionada ao trabalho realizado pelos agentes polinizadores Abelhas ajudam a aumentar a produtividade agrícola Por Débora Motta, FAPERJ Participaram do estudo pesquisadores de 18 universidades e centros de pesquisa do Brasil, Argentina, Colômbia, Portugal, Holanda, França, Itália, Alemanha, Noruega, China, Nepal, Índia, Indonésia (Java), Zimbábue, Paquistão, Quênia, Gana e África do Sul. Essa grande equipe multidisciplinar concluiu, após um trabalho de campo de dois anos, que conservar a

Segurança alimentar ameaçada: Especialistas alertam para o risco de extinção de animais polinizadores no mundo

    A preservação de espécies de animais polinizadores é importante não apenas para a biodiversidade do planeta, mas para garantir a oferta de alimentos para a população. Mais de três quartos das principais lavouras de alimentos no mundo dependem, em algum grau, dos serviços de polinização animal, seja para garantir o volume ou a qualidade da produção e cerca de 90% das plantas  também dependem dessas espécies. Essas informações e os

Relatório da IPBES alerta para as consequências da extinção de polinizadores

  Por Karina Toledo, Agência FAPESP     Um número crescente de espécies de animais polinizadores está ameaçado de extinção em todo o mundo em decorrência de fatores como mudança no uso da terra, uso indiscriminado de pesticidas e alterações climáticas. Caso não sejam adotadas medidas para reverter o quadro, as consequências para a economia global, a produção de alimentos, o equilíbrio dos ecossistemas e a saúde e o bem-estar humanos poderão ser desastrosas. O alerta

Ampliar densidade de polinizadores aumenta produção agrícola

  Estudo comprova que o maior número de polinizadores em pequenas propriedades melhora rendimento de culturas     Promover a biodiversidade pode ser um caminho sustentável para ampliar a oferta de alimentos no mundo, principalmente a produção vinda de pequenos agricultores. Um estudo publicado na sexta-feira, 22 de janeiro, na revista Science, comprova que a diferença de produtividade entre pequenas áreas agrícolas com baixa e alta produção poderia ser melhorada 24%, em média, somente

Fabricantes de pesticidas gastam milhões para ocultar desaparecimento de abelhas

abelha morta

    Dois neonicotinoides amplamente usados na fabricação de pesticidas parecem prejudicar seriamente as colônias de abelhas,  segundo um estudo da Escola de Saúde Pública de Harvard. Em abril de 2015, a revista Science publicou dois estudos adicionais que corroboram as descobertas de Harvard sobre neonicotinoides utilizados no tratamento de sementes para mais de 140 cultivos. Estes pesticidas sistêmicos fabricados pela Bayer, Syngenta e Monsanto são absorvidos pelas raízes e folhas e

Irapuá, abelha nativa brasileira, é capaz de compensar o declínio de outros polinizadores

    Por Elton Alisson | Agência FAPESP Em quase toda a América do Sul é possível encontrar uma espécie de abelha sem ferrão nativa do Brasil, de cor negra reluzente e bastante agressiva, conhecida popularmente como irapuá ou arapuá (Trigona spinipes). Um estudo realizado no Instituto de Biociências da Universidade de São Paulo (IB-USP), em colaboração com a University of Texas em Austin, nos Estados Unidos, constatou que a onipresença da irapuá na

Síndrome do Colapso das Colônias das abelhas é pesquisada pela APTA

morte de abelha

  Agência é referência brasileira nas pesquisas com patógenos das abelhas –possível causa de colapsos, enfraquecimentos e queda de produtividade das colmeias     No mundo todo, pesquisas têm sido conduzidas com o objetivo de explicar as causas do fenômeno designado Colony Collapse Disorder – CCD (Síndrome do Colapso das Colônias), que afeta as abelhas. A Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, por meio da Agência Paulista de Tecnologia dos

Top