Pesticidas influenciam o desenvolvimento e a longevidade das abelhas que nidificam no solo

 

Pesticidas – Estudo explora efeitos pouco compreendidos da exposição do solo em colônias subterrâneas de abelhas

Por Rose Keane* **

 

agrotóxicos
Foto: TV Brasil / EBC

 

Os resultados de um novo estudo sugerem que as abelhas podem estar expostas a pesticidas de mais maneiras do que pensávamos, e isso poderia afetar significativamente o seu desenvolvimento.

O estudo, publicado na revista Nature’s Scientific Reports, analisa os efeitos não-alvo de pesticidas em abelhas que nidificam no solo, um grupo que realmente compõe a maioria das espécies de abelhas. Os efeitos não visados referem-se aos efeitos em outros organismos que não os pretendidos. Muitas das pesquisas atualmente disponíveis sobre os efeitos não-alvo de pesticidas foram limitadas a mel e abelhas e sua exposição a pesticidas ao coletar pólen e néctar.

Embora esses estudos anteriores tenham mostrado que o consumo de agrotóxicos pelo mel e por abelhas pode ter importantes conseqüências ecológicas, este novo estudo é um dos primeiros do tipo a determinar os efeitos do contato com pesticidas, como os que ocorrem nos solos, que outros espécies de abelhas podem encontrar.

Uma diferença fundamental entre as abelhas que nidificam no solo e seus primos de mel e abelha é o tamanho dos seus ninhos menores (tanto em tamanho quanto em número de abelhas) que são feitos escavando-se o solo. As espécies de abelhas que nidificam dessa forma podem permanecer no solo até 49 semanas do ano, emergindo por apenas 3 semanas para forragear, acasalar e por ovos. Isso deixa muito tempo para as abelhas ficarem expostas aos níveis baixos e crônicos de pesticidas encontrados no solo após o uso da terra agrícola.

Os pesquisadores estavam particularmente interessados em uma classe de pesticidas chamados neonicotinóides. Derivados da nicotina, os neonicotinóides são amplamente utilizados para sua eficácia contra insetos, como besouros japoneses e brocas de cinzas esmeralda, mas podem ser tóxicos para os polinizadores. Eles também têm uma meia-vida longa, o que significa que eles podem persistir no solo por longos períodos de tempo. Os pesquisadores usaram abelhas que são parentes muito próximos das espécies de nidificação do solo porque são mais adequadas para testes em laboratório e foram usadas em pesquisas anteriores para aproximar os impactos sobre as espécies de nidificação do solo.

Quando as abelhas foram expostas a neonicotinóides no laboratório, os pesquisadores analisaram níveis semelhantes aos encontrados no campo. Os resultados mostraram que as fêmeas cresceram e não viveram tanto tempo, enquanto os machos foram menores e viveram muito mais tempo. Esta conclusão sugere que a exposição crônica e de baixo nível a pesticidas pode causar uma resposta hormética em abelhas, onde, em baixos níveis de exposição a pesticidas, as abelhas parecem se beneficiar de pequenas formas.

No entanto, os impactos de longo prazo de algumas dessas mudanças podem não ser evidentes. Os pesquisadores acreditam que essas doses mais baixas estão causando mudanças no desenvolvimento da abelha, como desviar a energia dos processos normais de desenvolvimento para fortalecer as barreiras físicas e bioquímicas para combater os efeitos do pesticida.

 

* Com informações da University of Illinois

** Tradução e edição de Henrique Cortez, EcoDebate.

in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 14/03/2019

"Pesticidas influenciam o desenvolvimento e a longevidade das abelhas que nidificam no solo," in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 15/03/2019, https://www.ecodebate.com.br/2019/03/15/pesticidas-influenciam-o-desenvolvimento-e-a-longevidade-das-abelhas-que-nidificam-no-solo/.

 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394,

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

2 comentários em “Pesticidas influenciam o desenvolvimento e a longevidade das abelhas que nidificam no solo

  1. Trata-se de uma pesquisa interessante.
    Machos menores ma Apis melifera denota colônia zanganeira, ou seja, colônia sem rainha. Os machos são apenas para reprodução. Se vivem mais é porque não está havendo acasalamento.
    E fêmeas que vivem mais também não seria um indicio de falta de rainha?

  2. OS PESTICIDAS (TAMBÉM CONHECIDOS PELO NOME DE AGROTÓXICOS) E A AGROINDÚSTRIA.

    Os pesticidas ou agrotóxicos são a salvação da agroindústria, ao mesmo tempo em que são a contaminação das terras e do ar e a destruição dos processos naturais. A grande questão é: que força será capaz de se opor ao destrutivo poder da agroindústria?

Comentários encerrados.

Top