IN MEMORIAM: João Zinclar, fotógrafo dos movimentos sociais, companheiro e amigo

  João Zinclar (crédito: Brasil de Fato)   Na madrugada do dia 19, faleceu João Zinclar, um grande amigo e companheiro das lutas dos movimentos sociais e populares. Zinclar retornava de um trabalho em Ipatinga (MG), quando o ônibus em que viajava foi atingido por um caminhão que vinha no sentido contrário e atravessou a pista. É uma perda imensa, não penas para os movimentos sociais, como para os amigos e companheiros, que tiveram o

A COP… (escolha um número qualquer) caminha para o fracasso, por Henrique Cortez

  [EcoDebate] OK, a COP18, em Doha, caminha para um fracasso, mas e daí? Essa foi a regra de todas as conferências das Nações Unidas sobre mudanças climáticas. E, sério, alguém realmente esperava um resultado diferente? A COP17, a título de exemplo, chegou a duas decisões 'marcantes': 1) decidiu que a COP18 seria no Qatar, de 26 de novembro e 7 de dezembro de 2012 e 2) que iniciaria as discussões sobre

A crescente e perigosa ‘onda’ de intolerância e obscurantismo, por Henrique Cortez

  [Ecodebate] O noticiário, seguidamente, informa os mais variados atos de intolerância, no Brasil e no mundo, no que parece ser uma perigosa e crescente ‘onda’ de ódio e preconceitos. Uma ‘onda’ assustadora, que pode por em risco nosso futuro comum, ou pelo menos, a convivência pacífica entre uns e outros. Seria de se esperar que, com o advento de um novo século, fosse iniciado um novo período de tolerância e de

Queimadas e nosso futuro comum transformado em cinzas, por Henrique Cortez

    [EcoDebate] A tragédia das queimadas sem controle repete-se incansavelmente, ano após ano. Os criminosos são os mesmos de sempre e fazem parte da mesma sociedade abalada e prejudicada pela irresponsabilidade daqueles que sempre afirmam ”apenas” ter queimado um inocente roçado. Todo grande incêndio florestal começa com uma ”inocente” queima de roçado, que qualquer produtor rural sabe ser o inicio dos incêndios florestais, ainda mais em época de estiagem. Sabem, mas pouco

O consumo insustentável e os oceanos à beira de uma catástrofe, por Henrique Cortez

  Nos últimos dez anos a população de atuns vermelhos diminuiu 90 por cento.Um atum de 150 quilos como este é raridade. O mais nobre dos peixes foi dizimado. Só restam peixinhos ridículos. E estão ameaçados. Foto na revista ÉPOCA.   [EcoDebate] O rápido esgotamento dos estoques pesqueiros e a crescente degradação dos ecossistemas marinhos são temas que muitas pessoas já ouviram falar, mas, definitivamente, não se importam ou não se preocupam. A acidificação

Nosso modelo de desenvolvimento é insustentável ou como a economia está matando o planeta, por Henrique Cortez

  [As the economy is killing the planet: a theme to be discussed by Henry Cortez] O relatório “Special report: How our economy is killing the Earth”, publicado pela revista New Scientist, é, acima de tudo, uma provocação. Preocupa-se, acertadamente, em formular questões e motivar o debate porque, sem reflexão crítica, talvez não tenhamos futuro. Em primeiro lugar, o artigo reconhece o obvio: nosso modelo de desenvolvimento é insustentável. Vivemos em um planeta finito

A Rio+20 e a cartinha ao Papai Noel, por Henrique Cortez

  Para ouvir a versão em áudio do editorial, com apresentação de Henrique Cortez, basta acionar o player abaixo: [powerpress] [EcoDebate] A Rio+20 não foi um fracasso pelo simples motivo que, de verdade, ninguém esperava que fosse um sucesso. Tolices e bravatas à parte, ela apenas reforçou as críticas que o modelo consensual da ONU é insuficiente para liderar as transformações que se fazem necessárias. No entanto, em paralelo ao evento diplomático, ocorreram significativos

Se a decisão é nada decidir, então chega de COPs, por Henrique Cortez

  [EcoDebate] A tão esperada COP17 chegou a duas decisões marcantes: 1) decidiu que a COP18 será no Qatar, de 26 de novembro e 7 de dezembro de 2012 e 2) que iniciaria as discussões sobre um acordo global vinculante, a ser definido até 2015, com metas obrigatórias de corte de emissão de gases de efeito estufa, para entrar em vigor logo após 2020. O Protocolo de Kyoto foi 'prorrogado', pelo menos,

Vazou petróleo na bacia de Campos. E qual é a surpresa? Por Henrique Cortez

  [EcoDebate] A prospecção/produção de petróleo enfrenta o seu primeiro grande vazamento de petróleo na bacia de Campos, mas e daí? Qual a surpresa? Quem imaginava que vazamentos de petróleo não ocorrem com razoável frequência? É estranha a aparente reação de surpresa das autoridades, políticos e da própria sociedade, porque este risco sempre foi real e discutido em incontáveis reportagens e artigos. Reportagens e artigos que, inclusive, já alertavam que se os riscos na

O ambientalismo ‘coleciona’ derrotas, mas desistir não é opção, artigo de Henrique Cortez

[EcoDebate] A causa socioambiental passa por momentos difíceis, com seguidas derrotas. 'Novo' Código Florestal, Belo Monte, usinas no rio Madeira, transposição do Rio São Francisco, expansão do programa nuclear, poluição atmosférica crescente em nossas cidades, contaminação de alimentos e da água por agrotóxicos, abandono completo dos mais elementares cuidados de biossegurança, criminalização dos movimentos sociais, reforma agrária patinando e por aí vai. Uma observação minimamente crítica indica que tivemos pequenos avanços

A ‘ameaça’ de internacionalização da Amazônia é mito, por Henrique Cortez

[EcoDebate] Novamente retornam as preocupações para com a internacionalização da Amazônia, inclusive servindo de lastro para acusar os ambientalistas, ONGs e críticos da devastação, como se estivessem a soldo de interesses escusos. Como pano de fundo, temos o medo de uma pretensa internacionalização de nossa Amazônia. Aliás, freqüentemente falamos da nossa Amazônia, das ameaças à nossa Amazônia, dos desafios da Amazônia brasileira e por aí vai, sempre esquecendo que a região

A continuada devastação da Amazônia e o modelo de desenvolvimento, por Henrique Cortez

[EcoDebate] Dentre os movimentos sociais, os ambientalistas têm sido os críticos de primeira hora dos equívocos das políticas públicas, principalmente dos modelos econômico e de desenvolvimento, bem como de seus impactos sociais e ambientais. Por diversas vezes alertamos que o processo de devastação avança sem controle e que não observamos medidas estruturais que possam interromper este processo equivocado de desenvolvimento, socialmente injusto e ambientalmente irresponsável. Ninguém está propondo a insanidade de condenar

Top