Índice da edição nº 2.817, 2017 [de 24/08/17]

    Remover agrotóxicos de alimentos, artigo de Roberto Naime O direito à água, artigo de Flávio José Rocha da Silva A Ku Klux Klan velada do Brasil, artigo de Liliane Rocha Estudo indica que o aquecimento dos oceanos, pelas mudanças climáticas, deve reduzir o tamanho dos peixes Justiça Federal condena empresa de amianto por danos coletivos, em quatro municípios baianos Livro revela patrimônio natural e aponta riscos na Reserva Biológica Marinha do Arvoredo e entorno RJ: Crimes

Remover agrotóxicos de alimentos, artigo de Roberto Naime

    [EcoDebate] Existe uma crença que boa lavagem, cloro ou iodo possam remover agrotóxicos dos alimentos. Pelo que se depreende, atualmente ocorre absorção dos agrotóxicos pelo metabolismo das culturas vegetais. Por isso, se imagina que seja tarefa impossível a remoção dos agrotóxicos dos alimentos. Receitas caseiras a base de água sanitária, água oxigenada, iodo, hipoclorito, bicarbonato e carvão ativado, podem afetar a tireoide. Os agrotóxicos são substâncias químicas ou biológicas normalmente utilizadas para

O direito à água, artigo de Flávio José Rocha da Silva

  [EcoDebate] Por que falar de direito à água? Porque cada vez mais este direito pode ser ameaçado por novas circunstâncias políticas e econômicas na sociedade brasileira. Este tópico é muito recente como reflexão e discussão no Brasil e no mundo. Basta dizer que ele nem consta da Declaração Universal dos Direitos Humanos2. Avalio que a sua ausência neste documento que nasceu depois das atrocidades da Segunda Guerra Mundial se deve

A Ku Klux Klan velada do Brasil, artigo de Liliane Rocha

    [EcoDebate] De ontem para hoje vi uma série de pessoas impactadas com a reportagem de um programa de televisão que abordou a questão do crescimento e fortalecimento de grupos racistas nos EUA. Realmente o que assistimos é assustador. No entanto, será que no Brasil a realidade é diferente? Ou melhor, será que no Brasil, não há ódio interracial? Vejamos alguns dados que demonstram a nossa realidade. Apesar de termos uma expressiva

Estudo indica que o aquecimento dos oceanos, pelas mudanças climáticas, deve reduzir o tamanho dos peixes

  University of British Columbia* Espera-se que os peixes encolham em tamanho, de 20 a 30 por cento, se a temperatura do oceano continuar a subir devido a mudanças climáticas.     Um novo estudo realizado por pesquisadores da Universidade da Colúmbia Britânica fornece uma explicação mais profunda porque, com as mudanças climáticas e o aquecimento das águas, os peixes devem diminuir em tamanho. “Os peixes, como animais de sangue frio, não podem regular suas próprias

Justiça Federal condena empresa de amianto por danos coletivos, em quatro municípios baianos

ABr A Justiça Federal na Bahia condenou a companhia Sama Minerações Associadas a pagar R$ 500 milhões por danos morais coletivos, em quatro municípios baianos.     A decisão é fruto de ação movida pelos ministérios públicos Federal e Estadual, na Bahia. Segundo a Justiça, o valor da indenização deve ser pago aos municípios de Bom Jesus da Serra, Poções, Caetanos e Vitória da Conquista. O dinheiro deve ser utilizado na compra de equipamentos

Livro revela patrimônio natural e aponta riscos na Reserva Biológica Marinha do Arvoredo e entorno

Obra lançada na quarta-feira (23 de agosto) por professores da UFSC é resultado de três anos de pesquisa e está disponível para download Três anos de pesquisa; cerca de 130 expedições ao mar; mais de 140 pessoas de diferentes campos do conhecimento trabalhando em uma área com biodiversidade única. Estes números sintetizam o tamanho do Projeto de Monitoramento Ambiental da Reserva Biológica Marinha do Arvoredo e Entorno (MAArE), que mapeou dados

RJ: Crimes de intolerância podem ser denunciados pelo Disque Combate ao Preconceito

    Denúncias de preconceito ou de intolerância contam com um novo instrumento lançado pela Secretaria de Estado de Direitos Humanos e Políticas para Mulheres e Idosos do Rio de Janeiro (SEDHMI). É o serviço Disque Combate ao Preconceito, que atende pelo número (21) 2334 9551. O público poderá denunciar atos preconceituosos como xenofobia, LGBTfobia, racismo, intolerância religiosa, entre outros. O secretário Átila Nunes informou na sexta-feira (18) à Agência Brasil que decidiu

Top