Índice da edição de 13/05/2009

O veneno à nossa mesa: EUA proíbem o uso do agrotóxico Carboruran em culturas alimentares Ciências Socioeconômicas x Ciências da Terra, artigo de Roberto Malvezzi (Gogó) D. Cappio recebe Prêmio Kant e convoca os presentes a participarem de campanha lançada pelos Povos Indígenas São Cidadãos do Mundo todos e todas que nos juntamos em defesa do São Francisco, terra e água, rio e povo OIT: Trabalhadores escravos deixam de receber mais de US$ 20

Ciências Socioeconômicas x Ciências da Terra, artigo de Roberto Malvezzi (Gogó)

[EcoDebate] Uma das razões fundamentais dos desencontros na interpretação das crises que passamos está exatamente em qual ciência nos apoiamos para buscar as categorias de interpretação da realidade. As ciências sociais e econômicas, a partir de suas diversas matizes ideológicas, têm uma resposta na manga para a crise. A leitura liberal está fragilizada. A neoliberal está morta. O que ressurgiu na prática é a intervenção avassaladora do Estado para salvar

D. Cappio recebe Prêmio Kant e convoca os presentes a participarem de campanha lançada pelos Povos Indígenas

D. Luiz Cappio, em foto de arquivo Ao som de música brasileira tocada por violonistas alemães, D. Luiz Cappio recebeu o Prêmio Kant de Cidadão do Mundo, na cidade de Freiburg, na Alemanha, no dia 9 de maio. Além de D. Cappio, o ativista judeu Jeff Halper, que se dedica a defender a paz israel-palestina e chegou a se acorrentar nas casas palestinas dos territórios ocupados, para impedir sua destruição por

São Cidadãos do Mundo todos e todas que nos juntamos em defesa do São Francisco, terra e água, rio e povo

D. Frei Luiz Flávio Cappio, no discurso de agradecimento pelo Prêmio Cidadão do Mundo "São Cidadãos do Mundo todos e todas que nos juntamos em defesa do “São Francisco – terra e água, rio e povo", afirma D. Frei Luiz Flávio Cappio, ofm, no discurso de agradecimento pelo Prêmio Cidadão do Mundo, da Fundação Kant. Segundo Cappio, "o atual governo, do Presidente Lula, frustrante das enormes expectativas da maioria que

OIT: Trabalhadores escravos deixam de receber mais de US$ 20 bilhões por ano no mundo

Os trabalhadores do mundo que estão em situação análoga à escravidão deixam de receber mais de US$ 20 bilhões por ano. A informação é do relatório O Custo da Coerção, divulgado ontem (12) pela Organização Internacional do Trabalho (OIT), e é referente ao que os trabalhadores nessas condições deixam de receber somado aos valores que eles desembolsam para conseguir trabalhar. 13434

OIT: Crise pode pôr em risco combate ao trabalho forçado

As dificuldades enfrentadas por vários países em função da crise financeira que atinge os mercados desde 2008 podem representar riscos para as estratégias de redução e combate ao trabalho forçado. O alerta é do relatório O Custo da Coerção, divulgado ontem (12) pela Organização Mundial do Trabalho (OIT). 13428

Minc diz que regularização fundiária da Amazônia sem condicionantes será ‘desastre ambiental’

Se prevalecer a posição da bancada ruralista, que quer retirar todas as condicionantes previstas no texto original da medida provisória 458, a regularização fundiária da Amazônia pode representar um "desastre ambiental de grandes proporções". Foi assim que o ministro Carlos Minc manifestou sua apreensão com a votação do texto do relator Asdrubal Bentes , que será submetida hoje (13) ao plenário da Câmara dos Deputados. Depois de quase três horas de

Operação do Ibama combate a exploração e o comércio de madeira ilegal, no Baixo Amazonas

O Ibama realizou no final de mês de abril duas operações de fiscalização ambiental na região dos municípios de Maués e Parintins onde foi constatada a exploração ilegal de madeira praticada por diversas empresas. Ao total, foram aplicados aproximadamente 4 milhões de reais em multas, apreendidos mais de 2 mil metros cúbicos de madeiras e diversos outros equipamentos como serrarias portáteis, tratores, balsas, barcos e caminhões. Essas operações fazem parte

Especial: Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) de 2007: Analfabetismo

No ritmo atual, Brasil ainda levará décadas para erradicar o analfabetismo Idade avançada é entrave para superar analfabetismo, apontam especialistas Analfabetismo funcional é mais um desafio que o Brasil precisa enfrentar MEC não consegue atrair professores formados para trabalhar em turmas de alfabetização Metas de redução do analfabetismo serão cumpridas, diz MEC 13419

Fábrica de fertilizantes das empresas multinacionais Bunge e Yara Brasil ameaça Anitápolis, Santa Catarina

...a existência de uma mina de fosfato, o interesse explícito do governo federal no processo, estão para promover um dos maiores desastres ambientais permitindo que mais de 300 hectares de mata atlântica sejam destruídas, sem falar na poluição do fosfato na água, destruição de mata ciliar e duas barragens de rejeitos com mais de 80 metros de altura que, se rompidas, levarão desastres a mais de 200 mil habitantes.

Top