Semiárido: dez anos de investimentos contraditórios. Entrevista especial com Roberto Malvezzi

  “Se continuássemos sem depósitos de água limpa, a tragédia social dessa longa estiagem teria se repetido”, declara o coordenador da Articulação no Semiárido Brasileiro – ASA. Confira a entrevista. Foto: http://blog.onhas.com Após completar dez anos, o Programa 1 Milhão de Cisternas mudou a perspectiva de vida e convivência com o semiárido, diz Roberto Malvezzi à IHU On-Line. “Com ele deixamos de focar nas grandes obras e dirigimos o olhar para cada casa, cada

Especialistas dizem que Nordeste tem água, mas falta capilaridade na distribuição

    A fome, sede e as perdas agrícolas enfrentadas, anualmente, por quase 20 milhões de brasileiros que vivem no Semiárido nordestino, poderiam ser evitadas se existisse um programa de abastecimento de água para a região nos mesmos moldes do Programa Luz para Todos. O defensor da proposta, João Abner Guimarães Júnior, especialista em recursos hídricos da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), garante que o novo sistema solucionaria, inclusive, os

A revanche dos invisíveis: territórios, educação no campo e inovações metodológicas, artigo de Rogério Almeida

[Ecodebate] Desde 1987, quando o governo reconheceu a primeira área ocupada como projeto de assentamento (PA) da reforma agrária, o Castanhal Araras, no município de São João do Araguaia, sudeste do Pará, o campesinato do sudeste tem conseguido se efetivar nas terras do Araguaia-Tocantins. Hoje são cerca de 500 PA´s, que representam mais de 50% do território dos 36 municípios do sul e sudeste do estado sob a responsabilidade do

Assentados em Corumbá estão sem água desde o começo do mês. Dinheiro do BID não foi aplicado

MPF/MS recomenda utilização de recursos para obras de abastecimento de água em assentamentos O Ministério Público Federal em Mato Grosso do Sul (MPF/MS) recomendou a imediata regularização do abastecimento de água no assentamento Tamarineiro II-Sul, em Corumbá (MS), fronteira de Mato Grosso do Sul com a Bolívia. O MPF quer que os assentados recebam, emergencialmente, água de caminhões-pipa. A recomendação foi encaminhada à Prefeitura de Corumbá, Instituto Nacional de Colonização e Reforma

Geografia Política da Água, artigo de Luciana Ziglio

Pensar na água como fonte de riqueza? Pensar na água como possível geradora de conflitos entre países? Imaginar a água como mercadoria em escala internacional? A água é um recurso da humanidade? Todos têm o direito de a usar? Essas questões foram discutidas pelo geógrafo, Wagner Costa Ribeiro, em sua obra Geografia Política da Água (*), levando os seus leitores a refletir sobre como, atualmente, é gerenciado esse recurso vital não

‘Reforma agrária deve ser defendida, política do Incra, não’

A divulgação da lista com os 100 maiores desmatadores da Amazônia Legal, entre 2005 e 2008, pelo MMA (Ministério do Meio Ambiente), recolocou o debate sobre quem são os principais responsáveis pela destruição da floresta. No documento do MMA aparecem oito assentamentos do Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária), sendo que seis deles ocupam os seis primeiros lugares da lista. (Leia esclarecimento do MST sobre o tema). Da

Conflitos no Campo Brasil 2007: Mais de 35% dos conflitos pela água nos Estados banhados pelo São Francisco

Os conflitos pela água praticamente duplicaram no Brasil de 2006 (45) para 2007 (87). O número de famílias envolvidas saltou de 13.072 para 32.747. Dezenove estados registraram conflitos pela água. Minas Gerais com 20 ocorrências é, de longe, o estado mais conflitivo. É sintomático que o maior número de conflitos aconteça em Minas Gerais, estado onde nasce o São Francisco, símbolo da integração nacional. O uso predatório de suas águas

Quando a água é conflito, artigo de Roberto Malvezzi (Gogó)

[EcoDebate] Os conflitos pela água praticamente duplicaram no Brasil de 2006 (45) para 2007 (86). O número de famílias envolvidas saltou de 13.072 para 32.746. Poderíamos até dizer que a CPT antes não estava conseguindo interpretar corretamente os fatos e não prestava atenção nos conflitos pela água, que agora está mais preparada, portanto, os conflitos estão sendo registrados com mais precisão. Pode ser, mas sem dúvida o aumento dos conflitos

Ambientalista defende o debate de um pacto nacional para socorrer o Nordeste

[Foto: ambientalista e coordenador do portal EcoDebate, Henrique Cortez] O verdadeiro projeto do governo para a transposição do Rio São Francisco não é conhecido pela sociedade, afirmou, nesta quinta-feira (14), o ambientalista e coordenador do portal EcoDebate, Henrique Cortez. Ele disse que existe muita fantasia em torno do tema e pediu a contribuição do Senado para realizar um pacto nacional destinado a discutir o desenvolvimento sustentável do Nordeste. Em sua opinião,

Especialista vê desigualdade social na raiz dos problemas de seca no Nordeste

Durante audiência pública no Plenário do Senado que discutiu o Projeto de Integração do Rio São Francisco com Bacias Hidrográficas do Nordeste Setentrional, o representante da entidade Articulação para o Semi-Árido Brasileiro (ASA-Brasil), Luciano Marçal da Silveira, apontou a desigualdade social e econômica, e não a falta de água, como a principal causa dos problemas da população do semi-árido nordestino. Iara Guimarães Altafin, da Agência Senado. 562

Top