Fórum de Políticas Públicas Indigenistas – Uma Ação Unificada em Defesa Da Vida

  A defesa da democracia sem criminalização das pessoas, com defesa das liberdades individuais e coletivas, do direito à participação popular nas decisões políticas e do direito à livre manifestação política garantida aos povos pan-amazônicos, indígenas e não-indígenas. Esse foi o preceito estabelecido no Fórum Regional de Políticas Indigenistas, realizado no Centro de Treinamento Irmão Falco, em Tefé, nos dias 12 e 13 de novembro. Por Ligia Kloster Apel*     O Fórum Regional de

Cimi repudia veementemente acusações do candidato Jair Bolsonaro contra os povos indígenas do Brasil

  O Cimi manifesta, inclusive, solidariedade a estes povos pelas ofensas injustas e aos Bispos, membros da Conferência Nacional do Bispos do Brasil (CNBB), também agredidos e aviltados covardemente pelo referido candidato. O Conselho Indigenista Missionário (Cimi) vem à público repudiar toda e qualquer acusação caluniosa e difamatória apresentada pelo candidato de extrema direita Jair Bolsonaro (PLS) contra os povos indígenas do Brasil. O Cimi manifesta, também, solidariedade a estes povos pelas ofensas

Povo Kanamari realiza o 1º Mutirão em Defesa dos Direitos Indígenas, em Maraã, Amazonas

Por Lígia Kloster Apel – Assessoria de Comunicação CIMI Tefé, com informações de Edvarde Bezerra e Nelma Catulino. Setembro foi um mês de grandes debates para a questão indígena no Brasil. O Conselho Indigenista Missionário (CIMI) lançou no dia 27, o relatório Violências Contra os Povos Indígenas no Brasil – Dados de 2017, que traz dados assustadores da violência contra os povos originários, mostrando o quanto aumentaram tais violências em números

Publicação mapeia atuação de 50 parlamentares contra os direitos dos povos originários

  A publicação “Congresso Anti-Indígena: Os parlamentares que mais atuaram contra os direitos indígenas” apresenta um levantamento sobre os 50 principais parlamentares com atuação anti-indígena no Senado e na Câmara Federal e os projetos que ameaçam os direitos indígenas no Congresso O Conselho Indigenista Missionário (Cimi) traz ao público o documento “Congresso Anti-Indígena: Os parlamentares que mais atuaram contra os direitos indígenas”. A publicação apresenta um levantamento sobre os 50 principais parlamentares

Povos indígenas do médio rio Solimões e afluentes reúnem-se e divulgam ‘Documento do Fórum de Política Indigenista de Tefé’

30 ANOS DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL: TEMPO DE RESISTÊNCIA “Solidariedade pela Vida” Kanamari, Madija Kulina, Deni, Miranha, Tikuna, Maku Nadëb, Kokama, Kambeba, Apurinã e Kaixana. Esses são os povos dos municípios de Tefé, Alvarães, Japurá, Maraã, Itamarati e Carauari que participam do projeto “Garantindo a defesa de direitos e a cidadania dos povos indígenas do médio rio Solimões e afluentes", realizado pela Cáritas e Conselho Indigenista Missionário (CIMI) da Prelazia de Tefé e

Bancada BBB (bala, boi e bíblia) domina política indigenista do governo

  IHU Atribuições da Funai e do Ministério da Justiça foram deslocadas para Casa Civil, que articula com a bancada ruralista e seus aliados as principais decisões envolvendo a política indígena e as terras na Amazônia. A reportagem é de Vasconcelo Quadros, publicada por A Pública, 23-04-2018. Encravada numa área densamente habitada nas cercanias do pico do Jaraguá, na zona norte da capital paulista, e a quase 5 mil quilômetros de distância da Terra Indígena (TI) Raposa Serra do Sol, em Roraima, a disputa em torno

Semana dos Povos Indígenas 2018 quebrando preconceitos e garantindo direitos, por Fábio Pereira, Francisco Amaral e Raimundo Francisco

SEMANA DOS POVOS INDÍGENAS: QUEBRANDO PRECONCEITOS E GARANTINDO DIREITOS [EcoDebate] O Relatório “Violência contra os povos indígenas no Brasil 2016”, lançado pelo Conselho Indigenista Missionário (CIMI), aponta que nesse ano ocorreram 118 assassinatos de homens e mulheres indígenas no país. Número alarmante, considerando que “evidencia que houve um aumento de alguns dos mais significativos tipos de violência e violação de direitos indígenas, como mortalidade na infância, suicídio, assassinato e omissão e

Um milhão de indígenas brasileiros lutam por mais autonomia e buscam alternativas para sobreviver

  ABr Há, no Brasil, cerca de 1 milhão de indígenas de mais de 250 etnias distintas vivendo em 13,8% do território nacional. Em meio às ameaças de violência, riscos de perda de direitos em decorrência da pressão dos latifundiários, mineradoras e usinas, alguns povos indígenas lutam por mais autonomia, tentando conquistar, com a comercialização de seus produtos e com o turismo, alternativas para diminuir a dependência dos recursos cada vez mais escassos da

Governo do Pará deve revogar decreto que viola direito de consulta prévia, livre e informada para comunidades tradicionais

  MPF Recomendação conjunta foi assinada pelo Ministério Público Federal, Ministério Público do Estado do Pará, Defensoria Pública da União e Defensoria Pública do Estado     Revogação imediata do decreto nº 1969, de 24 de janeiro de 2018, em razão de violar a Convenção 169 da Organização Internacional do Trabalho. É o que querem Ministério Público Federal, Ministério Público do Estado do Pará, Defensoria Pública da União e Defensoria Pública do Estado em recomendação

Projeto traz bons resultados: a certeza da capacidade indígena de enfrentar e confrontar os poderes constituídos para que respeitem as leis indigenistas

FORTALECER PARA PARTICIPAR, ENFRENTAR E INCIDIR     O 1º ano do Projeto Garantindo Direitos traz bons resultados: a certeza da capacidade indígena de enfrentar e confrontar os poderes constituídos para que respeitem as leis indigenistas. As equipes do CIMI em Tefé, no Amazonas, pertencente ao Regional Norte I, apoia e caminha junto com os povos indígenas da região do médio rio Solimões há mais de 40 anos. Nessa caminhada, muitas pedras que surgiram

Protocolos de consulta de diferentes povos indígenas na Amazônia são instrumentos de luta pelos direitos; entrevista com Angela Amankawa Kaxuyana

    Por Sucena Shkrada Resk* O protagonismo indígena na defesa dos seus direitos é a pauta desta semana. Na seara do contexto amazônico, a entrevistada é Angela Amankawa Kaxuyana, da TI Kaxuyana Tunayana, do extremo Norte do Pará, que pertence ao povo Kahyana e Katxuyana. Atual coordenadora tesoureira da Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (COIAB), ela fala ao Blog Cidadãos do Mundo – jornalista Sucena Shkrada Resk sobre as principais

Protocolos de consulta de diferentes povos indígenas na Amazônia são instrumentos de luta pelos direitos, entrevista com Angela Amankawa Kaxuyana

    Por Sucena Shkrada Resk* O protagonismo indígena na defesa dos seus direitos é a pauta desta semana. Na seara do contexto amazônico, a entrevistada é Angela Amankawa Kaxuyana, da TI Kaxuyana Tunayana, do extremo Norte do Pará, que pertence ao povo Kahyana e Katxuyana. Atual coordenadora tesoureira da Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (COIAB), ela fala ao Blog Cidadãos do Mundo – jornalista Sucena Shkrada Resk sobre as principais

Top