Água de reúso pode ser solução para crises hídricas provocadas pela falta de chuvas

  Por Nelson Lin*, da Radioagência Nacional   http://audios.ebc.com.br/ab/abf34f32a1297a2339eebcd9d743790a.mp3   O reuso da água é geralmente utilizado para fins industriais e em grande escala, mas você sabia que essa tecnologia também pode ser usada de forma potável? Pelo menos é o que afirmam especialistas ouvidos pela reportagem. Os custos para isso são competitivos, segundo eles, mas, para disseminar a prática é preciso ampliar a coleta e o tratamento de esgoto e também esclarecer a população

Crises hídricas: A corda arrebenta para todos, artigo de Maurício Dziedzic

    [EcoDebate] Ao pensar na África, geralmente formamos imagens com exuberância de recursos naturais. Falta de água nos remeteria aos desertos daquele continente, especialmente o Saara, no Norte. No Sul, ficam os desertos do Kalahari e da Namíbia. De resto, não se imaginaria escassez hídrica. Todavia, no extremo sul, a Cidade do Cabo, capital legislativa da África do Sul, está vivendo uma das piores crises hídricas urbanas que se tem notícia

ONU defende soluções para problemas hídricos baseadas na natureza

  Lembrado anualmente pela ONU em 22 de março, o Dia Mundial da Água teve como tema, em 2018, o uso de soluções baseadas no meio ambiente para resolver problemas hídricos. Essas estratégias focam na gestão de vegetações, solos, mangues, pântanos, rios e lagos, que podem ser utilizados por suas capacidades naturais para o armazenamento e limpeza da água. Lembrado anualmente pela ONU em 22 de março, o Dia Mundial da Água

Água, período de escassez, por Pollyana Rodero Fernandes e Fernando Braz Tangerino Hernandez

    [UNESP] Água é um bem público de suma importância para a humanidade, que além de manter todo o ecossistema terrestre em equilíbrio, é importante para a manutenção de atividades antrópicas, como a agricultura, a pecuária, o lazer, a produção de bens de consumo e a, primordial, que é a de abastecimento público. Sendo essencial para a sobrevivência humana, a sua ausência causa muitos transtornos ambientais, sociais e econômicos. Parece simples e

Distrito Federal convive com racionamento de água há um ano e sem data para terminar

  ABr Há um ano moradores do Distrito Federal convivem com racionamento de água. Ontem (16), a Barragem do Descoberto, o maior reservatório do DF, chegou a 38,7% do volume útil Há um ano, a Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb) interrompeu por um dia o fornecimento de água para cerca de 480 mil moradores de Recanto das Emas, Riacho Fundo II e de parte de Ceilândia, cidades do Distrito Federal.

Secas e estiagens: Quase metade dos municípios decretou emergência ou calamidade de 2003 a 2016

  ABr   Entre os anos de 2003 e 2016, praticamente metade dos 5.570 municípios do país foi obrigada a decretar, pelo menos uma vez em sete anos diferentes, situação de emergência ou estado de calamidade pública em virtude de secas e estiagens. De acordo com o relatório pleno de Conjuntura dos Recursos Hídricos no Brasil 2017, divulgado hoje (4) pela Agência Nacional de Águas (ANA), do total de cidades afetadas por longos

Estudo internacional destaca que o mundo precisa repensar o valor da água

    UNIVERSIDADE DE OXFORD* Pesquisa liderada pela Universidade de Oxford destaca a pressão acelerada sobre medir, monitorar e gerenciar a água local e globalmente. Uma nova estrutura de quatro partes é proposta para valorizar a água para o desenvolvimento sustentável para orientar políticas e práticas melhores. O valor da água para as pessoas, o meio ambiente, a indústria, a agricultura e as culturas tem sido reconhecido há muito tempo, porque a obtenção de

Crise hídrica no Ceará, por conta das secas constantes e do uso excessivo de água pelas termelétricas, mobiliza a população

  Com 'estado em colapso' por conta das secas constantes e do uso excessivo de água pelas termelétricas, comunidades se unem para cobrar atitudes do governo Coesus - Coalizão Não Fracking Brasil e 350.org Brasil. O Ceará tem vivenciado nos últimos anos a maior sequência de secas jamais vista no estado. Isso movimenta uma engrenagem viciosa que tem colocado a população em alerta geral. A falta de chuvas afeta não só o consumo

Água: a pergunta não é ‘E agora’, mas ‘E amanhã?’ artigo de João Ricardo Raiser

    [EcoDebate] Falta água, no Meia Ponte (GO), e no Tocantins, Araguaia, São Francisco, Nordeste e outras regiões. Os motivos? É fácil citar 3: 1- Uso e ocupação do solo: a impermeabilização e ações que prejudicam a infiltração da água no solo, nosso principal reservatório, somado à poluição e degradação das bacias, em áreas urbanas quanto rurais; 2- Gestão e planejamento dos usos: a gestão, regulação e organização dos diversos usos é vital para

Água desviada do São Francisco é mais da metade da usada por 20 cidades da Paraíba

    ABr Em uma fiscalização conjunta, o Ministério Público do Estado da Paraíba (MPPB) e o Ministério da Integração Nacional encontraram diversos pontos de captação irregular de água no Eixo Leste do Projeto de Integração do Rio São Francisco, todos voltados para irrigação de plantações. O desvio representa mais da metade do volume de água usado para abastecer Campina Grande e outras 19 cidades paraibanas, de acordo com o Ministério Público. Membro do

Chapada Diamantina: a caixa d’água da Bahia vai secar! por Cristiane Passos

  CPT Conhecida por ser uma das principais atrações turísticas do Brasil, por conta de suas belezas naturais, o mundo desconhece a importância que a Chapada Diamantina tem no fornecimento de água para o estado da Bahia, e para o equilíbrio da rede hidrográfica brasileira. (Cristiane Passos – CPT Nacional) Refém dos interesses comerciais de grandes produtores rurais, abandonada e maltratada pelo poder público, a Chapada está secando e seus rios estão morrendo. Comunidades

Uma seca de seis anos, artigo de Roberto Malvezzi (Gogó)

    [EcoDebate] Nesses quase 40 anos de sertão é a primeira vez que ficou um ano sem cair chuva no telhado de casa. A última chuva foi em Janeiro de 2016. No entorno da cidade, Juazeiro da Bahia, já choveu. O problema básico não é que fica sem chover, mas chover muito menos. Os cientistas estão perplexos, porque a cada ano se fala que teremos chuvas normais, até acima da média, mas

Depois de cinco anos de seca no Nordeste, a possibilidade de um colapso é significativa

  Depois de cinco anos de seca no Nordeste, a possibilidade de um colapso é significativa. Entrevista especial com David Ferran Os cinco anos consecutivos de seca no Nordeste brasileiro são explicados pela presença do El Niño e pela não ocorrência do fenômeno climático La Niña, que “favorece bastante a ocorrência de chuvas” na região, diz David Ferran à IHU On-Line, na entrevista a seguir, concedida por telefone. Segundo ele, a não

Cenários de seca extrema e seca excepcional cresceram no Nordeste, abrangendo partes de todos os 9 Estados

  Seca avança no Nordeste e assume contornos severos, mostra estudo  Os cenários de seca extrema e seca excepcional cresceram no Nordeste, abrangendo partes de todos os 9 estados. É o que mostra o mapa de setembro do Monitor de Secas do Nordeste do Brasil. O Ceará é um dos que apresentam maior avanço da estiagem. Segundo a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), 75% do território do estado apresenta

País desperdiça 36,4% da água disponível, diz Ministério do Meio Ambiente

    No Brasil, 36,4% da água são desperdiçados e apenas 40,8% do esgoto são tratados, segundo o diretor do Departamento de Recursos Hídricos do Ministério do Meio Ambiente, Sérgio Antônio Gonçalves. Ele participou na quinta-feira (24) de seminário promovido pela pasta para fortalecer o intercâmbio de informações sobre a gestão de recursos hídricos e subsidiar ações e políticas públicas no setor. De acordo com informações do ministério, esse desperdício se refere às

Água do mar pode dar segurança hídrica para grandes cidades, diz diretor da ANA

  O diretor-presidente da Agência Nacional de Águas (ANA), Vicente Andreu, disse que é preciso considerar a dessalinização da água do mar como fonte alternativa para a segurança hídrica das grandes cidades brasileiras, mesmo sendo uma tecnologia cara. Andreu participou do seminário organizado pela ANA para o Dia Mundial da Água, celebrado ontem (22).   A quantidade de água no mundo é finita, mas renovável, porém, segundo Andreu, além do aumento contínuo da

Fósforo, a próxima guerra? Depois da água, claro! artigo de Fábio José Gomes

    [EcoDebate] Nos últimos séculos, especialmente após a revolução industrial, os recursos naturais do planeta sofreram intensa exploração pelo homem. Isso se deve ao aumento explosivo da população humana e à mudança de seus hábitos. Hoje a população mundial passa de sete bilhões de indivíduos, com estimativa para 2100 de onze bilhões, de acordo com o artigo publicado na revista Science “World population stabilization unlikely this century”, sendo que essa população

ONGs lançam campanha para alertar sobre crise hídrica no Rio de Janeiro

  Voluntários da Greenpeace e da rede Meu Rio lançaram neste domingo (24), na Lagoa Rodrigo de Freitas, no Rio de Janeiro, a campanha Rio Maravilha Sem Água. A iniciativa visa informar os cariocas sobre a situação de crise hídrica que está ocorrendo nos reservatórios do estado. Segundo a coordenadora da campanha de água do Greenpeace, Fabiana Alves, a ideia é pedir que as pessoas se juntem aos voluntários para

No meio do caminho tinha uma seca … artigo de João Ricardo Raiser

crise hídrica

    [EcoDebate] Gosto de escrever, de rascunhar versos, em sua maioria feitos de rimas pobres, sem muita métrica, mas que sempre me ajudaram a organizar as ideias e a pensar. Recentemente resolvi enveredar por outras formas de escrita, e tomei a liberdade de usar um poema de Drumond - “E agora, José?” - como inspiração para escrever algumas linhas sobre outra paixão, o meu oficio, a gestão de recursos hídricos, intitulado

E a água, José? Como garantir que a ‘festa’ não acabe? artigo de João Ricardo Raiser

    [EcoDebate] E a água, José? Estranho falar sobre água, parece um assunto menor diante de tantas outras necessidades, como o famoso tripé: saúde, educação e segurança. Mas não se engane, é um assunto de igual relevância. Quando perguntam sobre o meu trabalho, respondo rápido: “- Trabalho com gestão de recursos hídricos.”. Frequentemente ouço de volta: “- Ah, essas coisas de meio ambiente?”. Por amor ao que faço, e não é fácil

Top