USP Leste é interditada por solo contaminado; docentes apontam prejuízos em pesquisas

  Vista aérea da Escola de Artes, Ciência e Humanidades (EACH), mais conhecida como USP Leste. Foto de Jorge Marura/USP   Começou ontem (9) a interdição do campus da Universidade de São Paulo (USP) na zona leste, obrigado a suspender as atividades por causa de uma decisão judicial de novembro do ano passado, que apontou contaminação no solo do local. As aulas, previstas para recomeçar no dia 13, vão ser transferidas para outras

Após infestação de piolhos de pombo, docentes da USP Leste cobram solução para solo contaminado

  Vista aérea da Escola de Artes, Ciência e Humanidades (EACH), mais conhecida como USP Leste. Foto de Jorge Marura/USP   Mesmo que sejam solucionados os problemas de infestação de piolhos de pombo e contaminação da água, os professores do campus Ermelino Matarazzo, da Universidade de São Paulo (USP), podem não retomar as atividades na próxima segunda-feira (13) e cobram da direção medidas para resolver também o problema do solo que concentra gás

Depois da contaminação do solo, USP Leste suspende atividades em razão de infestação de piolhos de pombo

  Vista aérea da Escola de Artes, Ciência e Humanidades (EACH), mais conhecida como USP Leste. Foto de Jorge Marura/USP   Foi prorrogada, até a próxima segunda-feira (13), a suspensão das atividades no campus Ermelino Matarazzo, da Universidade de São Paulo (USP), em razão de uma infestação de piolhos de pombos e de contaminação da água. A previsão era de que o retorno ocorreria hoje (6), mas, de acordo com a instituição, o

Professores USP Leste entram em greve após constatação de gás metano no campus

  O campus da USP Leste, na zona leste da capital paulista, não cumpriu 11 exigências de controle e despoluição do solo e foi autuado pela Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental (Cetesb). Foto: Sérgio Castro/Estadão   Professores da Universidade de São Paulo do campus Ermelino Matarazzo (USP Leste) entraram em greve após a Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental (Cetesb) colocar uma placa em um ponto onde há concentração de gás metano,

Divulgada relação áreas contaminados por substâncias químicas no Rio de Janeiro

  CADASTRO DE ÁREAS CONTAMINADAS E REABILITADAS – 1ª EDIÇÃO A degradação ambiental é atualmente uma das maiores preocupações mundiais, o que tem gerado amplas discussões e inúmeras pesquisas científicas sobre a relação do homem com o meio ambiente e suas consequências para o século XXI. Durante o último século o desenvolvimento da industrialização ocorreu em diversas áreas do Estado do Rio de Janeiro sem os devidos cuidados ambientais. As atividades potencialmente poluidoras

Rio não divulga lista das áreas contaminadas e moradores reclamam da falta de informação

  O Condomínio Volta Grande IV, que tem 791 imóveis, entre residenciais e comerciais, foi construído nos anos 1990 em terreno doado pela CSN ao Sindicato dos Metalúrgicos de Volta Redonda com finalidades expressamente residenciais. Foto no FocoRegional.com.br   Medo. Moradores do Volta Grande IV caminham ao lado de placa que alerta para a contaminação do solo por resíduos siderúrgicos: Inea quer a retirada das pessoas da área. Mão atadas. Lucinda de Souza

Paraíba do Sul: MPF/RJ alerta que contaminação em Volta Redonda põe em risco principal rio do estado

  Bacia do rio Paraíba do Sul. Mapa no Blog SOS RIOS DO BRASIL   A contaminação do solo no entorno da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) por metais pesados atinge as águas do Rio Paraíba do Sul, que abastece a Região Metropolitana do Rio. E a empresa tem conhecimento dessa situação desde 2004, segundo informações de uma ação do Ministério Público Federal (MPF), de junho do ano passado. No documento, o procurador Rodrigo

CSN é multada em R$ 35 milhões por contaminação de solo em Volta Redonda, RJ

  Foto: Luiz Morier / SEA   A Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) foi multada em R$ 35 milhões pela contaminação do terreno onde está situado o Condomínio Volta Grande IV, em Volta Redonda, na Região do Médio Paraíba, com substâncias altamente poluentes, incluindo metais pesados e ascarel. A decisão foi divulgada nesta segunda-feira (08/04) pelo secretário estadual do Ambiente, Carlos Minc, e pela presidente do Instituto Estadual do Ambiente (Inea), Marilene Ramos, em

Descontaminação pela CSN do lençol freático de terreno em Volta Redonda pode custar até R$ 60 milhões

  Foto: Luiz Morier / SEA   O secretário do Ambiente do Rio de Janeiro, Carlos Minc, disse ontem (8) que a Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) deverá gastar entre R$ 50 milhões e R$ 60 milhões apenas com a descontaminação do lençol freático do terreno que a empresa doou para a construção de casas para funcionários. A área, localizada em Volta Redonda, estava contaminada por 18 tipos diferentes de produtos químicos com substâncias

Maioria das famílias que moram em terreno contaminado em Volta Redonda não quer deixar o local

    A maioria das 750 famílias na localidade de Volta Grande 4, em Volta Redonda, sul fluminense, não quer sair de suas casas, mesmo sabendo que o solo está contaminado com substâncias cancerígenas. O pedido de retirada dos moradores foi divulgado na quinta-feira (4) pelo Instituto Estadual do Ambiente (Inea). A medida foi tomada por uma denúncia do Ministério Público. A dona de casa Danuza Ferreira, que vive no bairro há 15

CSN doa terreno contaminado com substâncias cancerígenas a funcionários

  Foto: SEA   O Instituto Estadual do Ambiente do Rio de Janeiro (Inea) confirmou nesta quinta-feira (04), que está contaminado com substâncias cancerígenas, o terreno cedido pela Companhia Siderúrgica Nacional, para construção de casas de funcionários em Volta Redonda, no sul do Rio de Janeiro. Segundo o estudo, os moradores estão expostos a substâncias extremamente perigosas e o terreno apresenta contaminação em nível intolerável à saúde humana. Apresentação de Isabela Vieira, da Radioagência

Governo do Rio multa CSN e pede retirada de famílias de área contaminada em Volta Redonda

    O secretário estadual do Ambiente, Carlos Minc, anunciou nesta quinta-feira (04/04), em entrevista coletiva, que a Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) será multada em até R$ 50 milhões e que a Secretaria de Estado do Ambiente (SEA) e o Instituto Estadual do Ambiente (Inea) solicitaram à Justiça que a companhia seja obrigada a retirar imediatamente 750 pessoas que residem em um terreno contaminado com substâncias tóxicas e potencialmente cancerígenas no Condomínio

Produção de fertilizantes fosfatados causa grave poluição na China

    As centenas de milhões de toneladas de lixo produzido pela indústria de fertilizantes fosfatados ocasionaram graves contaminações em diversas regiões da China, afirmou o Greenpeace nesta terça-feira. Matéria da AFP, no Yahoo Notícias, com informações complementares do EcoDebate. Desde 2001, a China duplicou sua capacidade de fabricação de fertilizantes fosfatados, convertendo-se no líder mundial desse setor, com 40% da produção em nível planetário. O país sofre atualmente com um excesso de

Vítimas de contaminação por chumbo na Bahia pedem punição de empresários

  Alexandra Martins / Câmara dos Deputados Comissão de Direitos Humanos discutiu danos causados por contaminação em município baiano.   Associações de moradores e vítimas de contaminação por metais pesados de Santo Amaro da Purificação (BA) querem que o governo federal tome providências para responsabilizar os sócios da empresa Companhia Brasileira de Chumbo pelos danos à saúde dos trabalhadores e habitantes da cidade. A reivindicação foi apresentada durante audiência pública realizada nesta quarta-feira (27) pela

Santo Amaro (BA), município mais contaminado por chumbo no mundo, deve receber centro de referência para vítimas

  Por mais de três décadas, a Companhia Brasileira de Chumbo (Cobrac) despejou na cidade 490 mil toneladas de rejeitos contaminados por esse e outros metais perigosos (cádmio, mercúrio e outros). O chumbo é associado ao saturnismo, doença que afina braços, provoca dores agudas por todo o corpo, causa impotência sexual nos homens, além de aborto nas mulheres ou malformações severas nos filhos nascidos. Desativada em 1993, a fábrica deixou um

Descontaminação de Fukushima caminha a passos lentos

  Sacos com solo contaminado em Fukushima. Foto em Fukushima Diary   Tanques com estoques de água contaminada em Fukushima. Reuters/Kyodo   É possível ver o azul dos sacos de um metro cúbico utilizados nas operações de descontaminação por todo o departamento de Fukushima, no Japão, atingido pela catástrofe nuclear do dia 11 de março de 2011: nas quadras esportivas das escolas, nos jardins das casas, nos arrozais... A matéria é de Philippe Mesmer, publicada no

Mais de 600 famílias sem teto permanecem em área contaminada por gás metano em SP

    Apesar do risco potencial de explosão, 604 famílias sem teto continuam morando em área contaminada por gás metano no bairro Cachoeirinha, na zona norte da capital paulista. No local funcionavam uma escola e uma creche que foram desativadas em 2011 também em razão da contaminação, segundo informações da prefeitura. O gás é decorrente de um aterro sanitário irregular que funcionava no terreno. A estimativa do movimento Frente de Luta por

Áreas contaminadas em São Paulo e a falta de ação

    [O Estado de S.Paulo] Há 1,2 mil pessoas vivendo numa área contaminada por metano na Cachoeirinha, zona norte da capital paulista. Três anos atrás, a Cetesb atestou em laudo o risco de explosão no local, onde funcionavam uma escola e uma creche municipais. As unidades de ensino foram desativadas, mas nenhum cuidado foi dispensado ao terreno que havia servido como aterro clandestino. A Prefeitura não cuidou sequer de isolar o

SP: Contaminada por metano área ocupada por cerca de 1.200 sem-teto tem risco de explosão

    Escola desativada na zona norte virou ocupação de sem-teto; Cetesb atestou risco no local, mas Prefeitura ainda não retirou moradores Os cerca de 1.200 sem-teto que ocupam uma área contaminada por gás metano, na Cachoeirinha, zona norte de São Paulo, sabem que vivem sobre um barril de pólvora. Eles moram no mesmo terreno de uma escola e uma creche municipais que foram desativadas em 2010, após um laudo da Companhia de

Combate aos metais pesados: Bactéria promove crescimento de plantas, minimizando efeitos da contaminação ambiental

  Contaminação por metais pesados no Rio Tietê (SP). (Foto: Eduardo Knapp/Folhapress)   O lançamento de metais pesados na natureza, em forma de resíduos industriais, é um dos mais graves problemas ambientais em todo o mundo. A contribuir para a gravidade do problema está o fato de que os metais pesados não podem ser destruídos pelo homem. E, quando bioacumulados no ambiente, passam de uma espécie a outra ao longo da cadeia alimentar.

Top