O lixo atrapalha, mas não é o vilão das enchentes, artigo de Álvaro Rodrigues dos Santos

O lixo urbano irregularmente lançado ou disposto tem sido apontado por um sem número de vozes como o responsável maior pelas enchentes. Essa tese tem sido insistentemente sustentada por autoridades públicas, com acrítica aceitação por boa parte da mídia e, pasmem, pela própria população de nossas cidades. No entanto, como veremos, é uma tese perigosa e equivocada que, ao espertamente jogar à população, por consequência de uma sua eventual falta

Áreas de risco: voltam a ocorrer mortes anunciadas e gratuitas, artigo de Álvaro Rodrigues dos Santos

    Os recentes acontecimentos de Minas e Espírito Santo nesse início de 2020, já com várias dezenas de mortos e milhares de desabrigados, vítimas de enchentes e deslizamentos em áreas de risco de há muito inteiramente conhecidas da população e das autoridades públicas, obrigam-nos a um exercício de reflexão sobre as atuais circunstâncias que envolvem essas recorrentes tragédias. A partir dos trágicos acontecimentos de novembro de 2008 em Santa Catarina, e vários

O caso Braskem-Maceió, a mineração e a geologia de engenharia, artigo de Álvaro Rodrigues dos Santos

  [EcoDebate] Foi definitivamente assinado o acordo, envolvendo, além da BRASKEM, o Ministério Público Federal (MPF), o Ministério Público de Alagoas (MPE Alagoas) e a Defensoria Pública da União (DPU) e de Alagoas (DPE Alagoas), pelo qual a companhia de mineração se compromete a reparar os prejuízos causados a milhares de cidadãos por afundamentos de solo e decorrentes danos estruturais em edificações ocorridos ao longo dos últimos anos nos bairros de

O assassinato arquitetônico do CRUSP, artigo de Álvaro Rodrigues dos Santos

    O ASSASSINATO ARQUITETÔNICO DO CRUSP Geol. Álvaro Rodrigues dos Santos (santosalvaro@uol.com.br) Morador do CRUSP do final de 1964 a 1968 - apto 602 E 1 - Introdução O CRUSP – Conjunto Residencial da Universidade de São Paulo situa-se no Campus da Cidade Universitária, Bairro do Butantã, na capital paulista. Representou, desde sua concepção arquitetônica original, a mais ousada e inspirada experiência de oferecimento de moradia a estudantes que dela necessitasse por sua condição econômica e social

Áreas de Risco: sistemas de alerta em caráter permanente constituem decisão oportunista, desumana e cruel, artigo de Álvaro Rodrigues dos Santos

[EcoDebate] Diferentemente de países com vulcanismo ativo, terremotos, furacões, tempestades tropicais cíclicas e outros poderosos agentes da Natureza, no Brasil as áreas de risco estão inequivocamente associadas a erros humanos na ocupação de terrenos geológica, geotécnica ou hidrologicamente mais sensíveis e instáveis. Por exemplo, no caso de deslizamentos são ocupados terrenos que por sua enorme suscetibilidade natural a esse tipo de fenômeno não poderiam de forma alguma ser ocupados. Ou

Enchentes: taxa de permeabilidade ou cota de acumulação/infiltração por lote? artigo de Álvaro Rodrigues dos Santos

[EcoDebate] Como se sabe, as enchentes urbanas tem sua principal causa na incapacidade das cidades em reter as águas de chuva, o que as faz, pela impermeabilização generalizada de sua superfície, lançar essas águas em enormes e crescentes volumes, e em tempos progressivamente reduzidos, sobre um sistema de drenagem que não lhes consegue dar a devida vazão. O excesso de córregos canalizados e o intenso assoreamento por sedimentos, lixo e

Estádio do Pacaembu, exemplo virtuoso da integração entre arquitetura e geologia, artigo de Álvaro Rodrigues dos Santos

INTRODUÇÃO Em atendimento a solicitação a mim feita pela arquiteta Sol Camacho, como suporte a projeto que desenvolve tendo como tema o estádio do Pacaembu, fiz um “mergulho” em pesquisas sobre essa odisséia arquitetônica paulista, com base em que elaborei esse artigo, o qual reputo bastante oportuno para exemplificar as indispensáveis boas relações entre a Arquitetura/Urbanismo e a Geologia. Além, claro, da oportunidade do registro histórico e da divulgação de uma

Saneamento deve ser o objetivo, a despoluição de rios apenas uma boa decorrência, artigo de Álvaro Rodrigues dos Santos

    [EcoDebate] Nesse nosso Brasil de sinais trocados o governador Dória anuncia, mais uma vez, um projeto de despoluição do rio Pinheiros. Para tanto seriam implantadas algumas medidas para melhorar o saneamento básico da bacia hidrográfica desse maltratado canal de dejetos em que foi transformado o Ainda que o referido projeto não preveja a extensão dos serviços de saneamento básico por todos os bairros da bacia, como também uma total despoluição do

A dinâmica evolutiva da escarpa da Serra do Mar e seus condicionamentos às intervenções humanas, artigo de Álvaro Rodrigues dos Santos

  [EcoDebate] A imponente escarpa da Serra do Mar, responsável, por obséquio de sua topografia acidentada, pela conservação do pouco que nos resta da Mata Atlântica na região sudeste brasileira, cumpre uma espetacular função ambiental, determinante na equação climática regional. Claro, além de sua importância cênica, ecológica, turística e cultural. Essa escarpa serrana, que desde tempos pré-coloniais impõe uma enorme dificuldade de transposição para homens e cargas na ligação litoral-interior, tem

O ônus do crescimento urbano por espraiamento geográfico, artigo de Álvaro Rodrigues dos Santos

  Imagem: Rede Nossa São Paulo   [EcoDebate] Diferentemente das condições do mundo desenvolvido, onde prevalecem cidades de crescimento nulo ou extremamente baixo, o que circunscreve e facilita tremendamente sua administração, nós temos o encargo adicional de administrar a cidade e seu crescimento. Ou seja, cabe-nos, adicionalmente, o ônus do crescimento. E é no crescimento das cidades onde, desafortunadamente, mais drasticamente se observam as danosas consequências da ausência de uma regulação técnica mais

Parque Augusta poderia ser uma referência paulistana para o lazer ambiental e o combate às enchentes, artigo de Álvaro Rodrigues dos Santos

  Parque Augusta     [EcoDebate] Conheci pelo G1 (Globo) alguns detalhes do Projeto de Construção do Parque Augusta, esquina da Augusta com a Caio Prado na capital paulista. Assustei-me um pouco com o grande número de “atrações” que o projeto pretende instalar naquele espaço, passando por cachorródromo, academia da 3ª idade, playground, praça, trilhas, arquibancada, bosque, etc.. Penso que essa seja uma preciosa oportunidade de conversarmos sobre quais as carências urbanas, e são

Imperiosa a participação ativa de Arquitetos e Urbanistas para o correto equacionamento da tragédia urbana associada a áreas de risco, artigo de Álvaro Rodrigues dos Santos

    [EcoDebate] Os graves e recorrentes problemas de ordem geológico-geotécnica-hidrológica que têm vitimado milhares de brasileiros, como processos de enchentes, deslizamentos de taludes e encostas, solapamentos de margens de curso d’água e orlas litorâneas, têm tido sua principal origem na incompatibilidade entre as técnicas de ocupação urbana e as características geológicas e geotécnicas dos terrenos onde são implantadas. No caso dos deslizamentos, ou são ocupados terrenos que por sua alta instabilidade geológica

Top