#EcoDebate: Índice da edição nº 3.428, de 11/05/2020

  Revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394   Brasil lidera o número de mortes entre os países do grupo BRICS, artigo de José Eustáquio Diniz Alves Tendências tecnológicas pré e pós pandemia Ação civil pública pede anulação de despacho do Ministério do Meio Ambiente (MMA) que coloca em risco a preservação da Mata Atlântica Povos e comunidades tradicionais na Amazônia adotam medidas de prevenção ao coronavírus Nota Pública: A violência no campo não respeita quarentena   (adsbygoogle = window.adsbygoogle ||

Brasil lidera o número de mortes entre os países do grupo BRICS, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

[EcoDebate] A pandemia do novo coronavírus começou na China - principal país do grupo BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) – e se espalhou rapidamente para todo o mundo. Depois da China e da Ásia, a pandemia alcançou em cheio a Europa e depois os Estados Unidos. Agora em maio de 2020, o Brasil se tornou o epicentro da pandemia, pois é o país que apresenta as

Tendências tecnológicas pré e pós pandemia

    Por Lorena Oliva Ramos A transformação digital começou com o e-mail em 1971 e com os primeiros editores de textos e planilhas na década de 1980, mas será muito mais sentida quando a inteligência artificial e processos robotizados forem mais efetivos na substituição do trabalho humano. Vive-se um boom de tecnologias que vão mudar a forma de convivência em sociedade e a grande transformação se dará quando não se souber mais

Ação civil pública pede anulação de despacho do Ministério do Meio Ambiente (MMA) que coloca em risco a preservação da Mata Atlântica

MPF, SOS Mata Atlântica e Abrampa protocolam ação civil pública para anular despacho do Ministério do Meio Ambiente (MMA) que coloca em risco a preservação da Mata Atlântica Ato administrativo pode anistiar, somente no Ibama, mais de 1.400 multas O Ministério Público Federal (MPF), em parceria com a Fundação SOS Mata Atlântica e a Associação Brasileira dos Membros do Ministério Público do Meio Ambiente (Abrampa), protocolou nesta quarta-feira (6) a

Povos e comunidades tradicionais na Amazônia adotam medidas de prevenção ao coronavírus

  Quilombolas, índios e ribeirinhos no Norte do Pará relatam os desafios do isolamento social em um contexto amazônico. ‘Ficar em casa’ pode significar falta de acesso a remédios de uso contínuo, a comunicação, a energia e a impossibilidade de resgatar a aposentadoria ou o Bolsa Família “A gente se organizou e estamos de quarentena, passando até dificuldade, a gente está muito triste porque essa é uma doença [Covid-19] muito ‘transmissora’. Estou

Nota Pública: A violência no campo não respeita quarentena

    Em Rondônia, os conflitos no campo não cessam, tampouco entram em quarentena. As famílias envolvidas nesses conflitos estão vulneráveis ao vírus da Covid-19 e à violência que há anos é perpetrada na incorporação de novas áreas para agricultura e na territorialização do agronegócio. O avanço do capital sobre áreas públicas está materializado nas inúmeras invasões de territórios indígenas e áreas de reservas estaduais ou federais denunciadas ano após ano, seja pela

Top