Índice da edição nº 3.056, 2018 [de 20/09/2018]

  Revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394   Ambientalização de conflitos sociais, Parte 4/5, artigo de Roberto Naime Descongelamento do permafrost pode liberar mais CO2 do que se pensava anteriormente, sugere estudo Passar pouco tempo ao ar livre aumenta risco de desenvolver miopia Menos de 40% das cidades brasileiras têm política de saneamento Quase 35% das cidades tiveram casos de doenças ligadas ao saneamento Doenças ligadas à falta de saneamento geram custo de R$ 100 mi ao SUS Esgoto tratado

Ambientalização de conflitos sociais, Parte 4/5, artigo de Roberto Naime

    [EcoDebate] LOPES (2006) reafirma a importância de conflitos localizados na própria promulgação de leis federais, como foi o caso do conflito em torno da fábrica de cimento de Contagem em 1975 e a lei sobre poluição do mesmo ano, como foi também o caso da poluição em Cubatão nos anos 1980 e a promulgação das leis de 1981, 1985 e resolução do Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA) de 1986. Procedimentos

Descongelamento do permafrost pode liberar mais CO2 do que se pensava anteriormente, sugere estudo

  Novas pesquisas de ecologistas da University of Alberta mostram que o intemperismo de minerais pode ser um contribuinte significativo para a mudança climática do Ártico.     Por Katie Willis, University of Alberta* A quantidade de dióxido de carbono liberado pelo derretimento do permafrost pode ser maior do que se pensava por causa de um processo chamado de intemperismo mineral, de acordo com um novo estudo feito por ecologistas da Universidade de Alberta. O desgaste

Passar pouco tempo ao ar livre aumenta risco de desenvolver miopia

  Você sabia que crianças e adolescentes que passam mais tempo em espaços fechados e menos tempo ao ar livre correm um risco maior de desenvolver a miopia?     Por Leda Sangiorgio Estima-se que hoje as crianças passam mais de cinco horas vendo TV ou usando dispositivos eletrônicos em casa. Somando o período que elas passam na escola, podemos dizer que praticamente o tempo gasto em espaços abertos é mínimo. Porém, estudos recentes apontaram que

Menos de 40% das cidades brasileiras têm política de saneamento

  Entre os 5.570 municípios brasileiros, 2.126 têm política de saneamento básico, mesmo que não seja regulamentada por instrumento legal, o que equivale a 38,2% do total. Apesar do baixo percentual, o índice avançou 10 pontos percentuais desde 2011, quando 28,2% tinham uma política estruturada para a área, que engloba os serviços de abastecimento de água, esgotamento sanitário, manejo de águas pluviais e manejo de resíduos sólidos. Os dados foram divulgados ontem (19) pelo Instituto

Quase 35% das cidades tiveram casos de doenças ligadas ao saneamento

  Em 2017, 34,7% dos 5.570 municípios brasileiros relataram casos de endemia ou de epidemia de doenças relacionadas a condições deficientes de saneamento básico. A dengue foi a doença mais citada, com registro em 1.501 cidades, ou 26,9% do total, seguida da diarreia, com 23,1%. Em terceiro lugar, aparecem as verminoses e a chikungunya, com registro em 17,2% municípios cada, e depois zika, citada por 14,6% das prefeituras. Os dados estão na

Doenças ligadas à falta de saneamento geram custo de R$ 100 mi ao SUS

  As internações hospitalares de pacientes no Sistema Único de Saúde (SUS), em todo o país, por doenças causadas pela falta de saneamento básico e acesso à água de qualidade, ao longo de 2017, geraram um custo de R$ 100 milhões. De acordo com dados do Ministério da Saúde, ao todo, foram 263,4 mil internações. O número ainda é elevado, mesmo com o decréscimo em relação aos casos registrados no ano anterior, quando

Esgoto tratado reduz índice de doenças no Triângulo Mineiro; Uberlândia e Uberaba são destaque em indicadores de saneamento

  Com praticamente 100% de esgoto tratado, Uberlândia e Uberaba, os dois municípios mais populosos do Triângulo Mineiro, oeste de Minas Gerais, se destacam entre as dez cidades com melhor saneamento básico do país. Na terra do pão de queijo e de belas montanhas, não são apenas a gastronomia e a paisagem natural que têm chamado a atenção. A reportagem da Agência Brasil passou três dias na região e constatou que investimentos públicos realizados ao longo

Top