Portal EcoDebate: Índice da edição nº 2.085, de 28/05/2014

    O choque de oferta energética e o decrescimento, artigo de José Eustáquio Diniz Alves Muita chuva e desperdício de água em Belém do Pará, artigo de Raimundo Nonato Brabo Alves Uma avaliação sobre aplicação do mecanismo da compensação ambiental em projetos de significativos impactos ambientais Mata Atlântica perdeu 235 km2 de vegetação em um ano, um aumento de 9% em relação ao período 2011-2012 ALERJ aprova projeto de logística reversa

O choque de oferta energética e o decrescimento, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

    [EcoDebate] A natureza gastou entre 50 e 300 milhões de anos para desenvolver os estoques mundiais de combustíveis fósseis. Mas, desde que Edwin Laurentine Drake, em 1859, perfurou o primeiro poço para a produção de petróleo (a uma profundidade de 21 metros), no estado da Pensilvânia, nos Estados Unidos, a humanidade já consumiu a metade das reservas existentes e recuperáveis. Até o final do século XX, em 125 anos, foram

Muita chuva e desperdício de água em Belém do Pará, artigo de Raimundo Nonato Brabo Alves

  Belém do Pará, tarde de chuva. Foto de Rui Oliveira Santos, no Flickr.   Ironicamente numa região que chove todo dia, falta água para consumo da população   [EcoDebate] Muito se tem protestado sobre o problema do abastecimento de água potável na região metropolitana de Belém. Grande parte da população sofre com a falta d´água ou com a falta de qualidade do produto para consumo. No entanto todos os dias a natureza oferece gratuitamente

Uma avaliação sobre aplicação do mecanismo da compensação ambiental em projetos de significativos impactos ambientais

An evaluation of the Implementation of the mechanism of compensation in environmental projects of significant environmental impacts Gilson Lima da Silva, Departamento de Engenharia de Produção, Universidade Federal de Pernambuco, Campus Agreste, Rodoviária BR-104, km 59, Sítio Juriti, 55.002-970, Caruaru-PE, Brasil. Deise Pereira Rodrigues*, Instituto de Tecnologia de Pernambuco - ITEP, Av. Professor Luiz Freire, 700, Cidade Universitária, 50.740-540, Recife – PE, Brasil. RESUMO O presente estudo consistiu na avaliação sobre aplicação da

Mata Atlântica perdeu 235 km2 de vegetação em um ano, um aumento de 9% em relação ao período 2011-2012

  A Fundação SOS Mata Atlântica e o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) divulgaram hoje, Dia da Mata Atlântica, em entrevista coletiva, os novos dados do Atlas dos Remanescentes Florestais da Mata Atlântica, no período de 2012 a 2013. O levantamento foi apresentado por Marcia Hirota, diretora-executiva da Fundação SOS Mata Atlântica e coordenadora do Atlas pela organização; Flávio Jorge Ponzoni, pesquisador e coordenador técnico do estudo pelo INPE, e

ALERJ aprova projeto de logística reversa para o Rio de Janeiro

    Pneus, lâmpadas, eletroeletrônicos, pilhas e embalagens de agrotóxico, após o uso, terão que ser devolvidos para fabricantes, importadores, distribuidores e comerciantes   A Alerj acaba de aprovar, em segunda e última discussão, o Projeto de Lei 1133/2011, de autoria dos deputados Aspásia Camargo e Gustavo Tutuca, que obriga fabricantes, importadores, distribuidores e comerciantes de eletroeletrônicos, agrotóxicos, pilhas e baterias, lâmpadas de todos os tipos, pneus e óleos lubrificantes a se estruturarem para

Semeando o Bioma Cerrado faz 2 dias de oficinas com crianças para comemorar os 15 anos da Floresta Nacional de Brasília

  Foto: Elza Fiúza/ABr   Nos dias 28 e 29 de maio, o projeto Semeando o Bioma Cerrado vai reunir 200 crianças e adolescentes para oficinas de educação ambiental dentro da Floresta Nacional de Brasília. Eles são moradores de uma das áreas da reserva e de arredores. A proposta é apresentá-los à nobre vizinha Flona. No aniversário de 15 anos da Floresta Nacional de Brasília (Flona), o projeto Semeando o Bioma Cerrado promove atividades

Lesma invasora europeia chega à Mata Atlântica de Santa Catarina

  Estudos da Agência Europeia do Ambiente revelam a existência de 28 espécies invasoras naquele continente, entre as quais a lesma espanhola, que ameaçam a saúde, a natureza e a economia da Europa. (ver matéria no final) Praga está atacando canteiros de mudas de tabaco e causando grandes prejuízos aos agricultore sem Santa Catarina Quando se encontra uma planta ou animal desconhecido está cada vez mais difícil saber se é uma espécie nativa

SP: CESP responderá por degradação ambiental em reservatório no município de Ilha Solteira

  Barragem de Ilha Solteira. Foto: Ministério dos Transportes   MPF usou teoria do risco integral para demonstrar que concessionária também responde por danos ambientais causados por terceiros em área desapropriada em seu favor O Tribunal Regional Federal (TRF3) incluiu a Companhia Energética de São Paulo (Cesp) em ação que busca identificar os responsáveis por danos ambientais causados em área de preservação ambiental em reservatório no município de Ilha Solteira, no interior de São

‘Nunca antes na história deste país se atacou tanto áreas protegidas como agora’. Entrevista com Enrico Bernard

  “No Congresso Nacional há propostas que, se forem aprovadas, podem afetar mais 2 milhões de hectares só na região amazônica”, adverte o biólogo.  “Durante um longo período, de 1981 até recentemente, o governo brasileiro respeitava os limites das unidades de conservação nacionais. Agora, em função de uma visão extremamente desenvolvimentista, essas áreas protegidas passaram a ser vistas como um empecilho, como um estorvo, e a solução é: se está atrapalhando, desfaz”.

Senado aprova PEC do Trabalho Escravo, que será promulgada nesta quinta (28/5)

    Por unanimidade, o Plenário aprovou nesta terça-feira (27), a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 57A/1999, que prevê a expropriação de imóveis rurais ou urbanos em que se verifique a prática de trabalho escravo. A proposta, que altera o artigo 243 da Constituição, será promulgada em sessão solene na próxima quinta-feira (5), ao meio-dia. A PEC teve 59 votos favoráveis no primeiro turno e 60 no segundo. A definição de trabalho escravo, porém,

MT: MPF questiona Ibama, Sema e Dnit sobre impactos da BR-174 sobre terras indígenas

    Índios Cinta-Larga e Enawenê Nawê alertam para impactos causados pela obra na BR-174, entre MT e RO O Ministério Público Federal em Juína encaminhou ofício aos gestores do Departamento Nacional de Infra-estrutura de Transporte (DNIT) em Mato Grosso, do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais e Renováveis (IBAMA), da coordenação regional e à presidência da Fundação Nacional do Índio (FUNAI) para questionar a regularidade das obras que estão sendo

Top