Portal EcoDebate: Índice da edição nº 1.652, de 08/08/2012

    Holoceno e Antropoceno, artigo de José Eustáquio Diniz Alves Ação flagra crimes ambientais em Rondônia e no Amazonas Ecoeconomia: uma resposta à crise ambiental? Ecoeconomia: Decrescimento ou barbárie! Decrescimento justo ou barbárie, artigo de Yayo Herrero e Luis González Reyes Em seis anos, Disque 180 recebe mais de 329 mil denúncias de violência contra a mulher País desconhece realidade da violência contra a mulher, dizem pesquisadoras INSS entra na Justiça

Holoceno e Antropoceno, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

    [EcoDebate] O Holoceno é um termo geológico para definir o período que se estende de 12 ou 10 mil anos - quando terninaram os efeitos da última glaciação - até a contemporalidade. A população humana no início do período Holoceno era de cerca de 5 milhões de habitantes (menor do que o número atual de moradores da cidade do Rio de Janeiro). Mas o Holoceno propiciou as condições climáticas para

Ação flagra crimes ambientais em Rondônia e no Amazonas

  Desmatamento na Amazônia, em foto de arquivo   Agentes de fiscalização do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) participaram, por meio da Comissão Interministerial de Combate aos Crimes e Infrações Ambientais (Ciccia), da operação Tamanduá, realizada dia 31 de julho. O objetivo foi combater o desmatamento e a exploração ilegal de madeira no sul do município de Lábrea (AM) e na região de Vista Alegre do Abunã, município de Porto

Ecoeconomia: uma resposta à crise ambiental?

    Ecoeconomia: uma resposta à crise ambiental? Decrescimento ou barbárie! Crise ecológica O Brasil está perdendo o bonde da história O pacote anti-ambiental. A ofensiva dos grupos econômicos País repete erros em nome do desenvolvimento Eis a análise. Ecoeconomia: uma resposta à crise ambiental? A conjuntura desta semana retoma, como ponto de partida, aquela feita há duas semanas e na qual tratamos a temática da economia e da sustentabilidade. Referenciados no artigo do economista e professor da USP José

Ecoeconomia: Decrescimento ou barbárie!

    Com outras palavras, mesmo distribuído, o consumo é demasiado alto para um único Planeta dar conta. Com isso estamos querendo chamar a atenção para o fato de que há um imperativo de mexer realmente na lógica econômica vigente. Sem isso não há saída. É nesse sentido que, novamente, apontam vários dos entrevistados pela Revista. Latouche prossegue propondo o que ele chama de “decrescimento”, o que não é “crescimento negativo”. O

Decrescimento justo ou barbárie, artigo de Yayo Herrero e Luis González Reyes

  Imagem: IHU   “O capitalismo é intrinsecamente incompatível com os limites físicos do planeta. Por isso, foi desenvolvendo toda uma série de pseudo-soluções que tentam demonstrar que se pode continuar crescendo indefinidamente em um planeta de recursos limitados”. A afirmação é de Yayo Herrero e Luis González Reyes em artigo publicado na revista espanhola Pueblos, 12-01-2012. Os autores são membros da organização Ecologistas en Acción. A tradução é do Cepat. Eis o artigo. Em

Em seis anos, Disque 180 recebe mais de 329 mil denúncias de violência contra a mulher

  Brasília - Solenidade de Abertura do encontro nacional "O Papel das Delegacias no Enfrentamento à Violência contra as Mulheres". Foto de Antonio Cruz/ABr   No dia em que a Lei Maria da Penha completa seis anos de existência, o Disque 180 registrou 2,7 milhões de atendimentos de 2006 a 2012. Desse total, 329,5 mil (14%) eram relatos de violência contra a mulher enquadrados na lei. A maioria (60%) foi pedidos de informação.

País desconhece realidade da violência contra a mulher, dizem pesquisadoras

    Tema: A Sistematização e o monitoramento de dados de violência - Miriam Grossi (representante do Núcleo de Identidades de Gênero e Subjetividade da UFSC), Lia Zanotta (representante do Núcleo de Estudos e Pesquisas Sobre a Mulher da UnB), sen. Ana Rita (relatora), dep. Jô Moraes (presidente), dep. Keiko Ota (vice-presidente), Cecília Sardenberg - representante da OBSERVE), Wania Pasinato (representante do Núcleo de Estudos da Violência da USP) Jô Moraes: solicitamos aos

INSS entra na Justiça com ações para que agressores de mulheres paguem por prejuízos causados ao órgão

  Brasília - Solenidade de Abertura do encontro nacional "O Papel das Delegacias no Enfrentamento à Violência contra as Mulheres". Foto de Antonio Cruz/ABr   Os agressores poderão ter de ressarcir os cofres públicos os benefícios, como auxílio-doença, pensão por morte ou por invalidez, pagos a mulheres vítimas de violência doméstica seguradas pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). As primeiras ações regressivas (cobrança do agente causador o valor pago por algum tipo

Reforma Agrária: No coração do latifúndio, uma estaca quebrada

  Por André de Oliveira e Jefferson Pinheiro*   Crianças que caminham quilômetros para ir à escola, falta de água e energia, famílias morando em barracos de lona porque não receberam verba para suas casas: a esperança vai sendo minada dia após dia, mês após mês, ano após ano É noite ainda, mas na casa de Rosa Maria da Rosa todos se movimentam como se já fosse dia. Com a cara amassada de sono,

[Áudio] Comissão da Verdade vai investigar crimes contra indígenas na ditadura militar

    Violações de direitos humanos, marcas de torturas, agressões e mortes que não se apagam de muitas memórias, marcaram o período da ditadura militar no Brasil. Muitos intelectuais, estudantes e artistas se tornaram presos políticos, ou foram mortos na luta pela liberdade. Mas há também uma versão pouco contada dessa fase triste da história brasileira: a das violações que povos indígenas sofreram nos governos militares. Confira neste especial depoimentos de indígenas,

Abrampa promove V Encontro em defesa do Patrimônio Cultural na cidade do Rio de Janeiro

    A Associação Brasileira dos Membros do Ministério Público de Meio Ambiente (Abrampa) realizará durante os dias 12, 13 e 14 de setembro deste ano, o “V Encontro Nacional do Ministério Público na Defesa do Patrimônio Cultural”. O evento, um dos mais importantes relacionados à defesa e à preservação do patrimônio cultural brasileiro, acontecerá no auditório do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), na Avenida Marechal Câmara 370,

Top